Futebol: Ortiga vence Venda Nova numa tarde com pouco futebol

O Festejo do golo da equipa da Ortiga. Foto: José Belém.

     

PUB

Campeonato Distrital de Futebol de 11 da Inatel – Delegação de Santarém

Série G 3ª jornada

Parque Desportivo Municipal de Sardoal

PUB

Sardoal, 6 de Novembro de 2016, 15 horas

Equipas : Venda Nova 0 vs Ortiga 1

PUB

Árbitro Principal, José Neves

Árbitros Auxiliares, João Costa e Ricardo Dias

Árbitro Principal e os seus assistentes juntamente com os capitães das duas equipas foto: José Belém
Árbitro Principal e os seus assistentes juntamente com os capitães das duas equipas foto: José Belém

Onze Inicial

Apresentação das três equipas ao publico presente. Foto: José Belém
Apresentação das três equipas ao publico presente.
Foto: José Belém

Venda Nova

Nelson Santos, Bruno Gomes (Bijou), Anderson Santos (Nando), Marcelo Gaspar, Diogo Marques, Diogo Roldão (cap.) (João Fernandes), Paulo Silva, Eduardo Dias, Ricardo Dias, Jorge Gil e Duarte Batista (Túlio Almeida)

Suplentes :

Sérgio Salgueiro, Bijou, Nando, João Fernandes, Túlio Almeida e Fábio Almeida

Treinador :

Paulo Santos

Paulo Santos, treinador da equipa da Venda Nova. Foto: José Belém
Paulo Santos, treinador da equipa da Venda Nova.
Foto: José Belém

Ortiga

Nuno António, Miguel Lourenço (Nuno Mariquitos), Nando Lopes (Rodrio Brízida), João Aleixo, Falua (cap.), Ricardo Conde, Jorge Dias, Kasa (Rui Dias), Duarte Marques, Jorge Mansinho (Joel Marcão) e Edgar Esteves

Suplentes :

Vasco Dias, Rui Dias, Artur Conde, Joel Marcão, Nuno Mariquitos, Rodrio Brízida e Ricardo Veiga

Treinador :

José Carlos

Treinador do Ortiga, José Carlos. Foto: José Belém
Treinador do Ortiga, José Carlos.
Foto: José Belém

Cartões Amarelos :

Diogo Roldão (Venda Nova), Diogo Marques (Venda Nova), Paulo Silva (Venda Nova); Miguel Lourenço (Ortiga), Edgar Esteves (Ortiga), João Aleixo (Ortiga) e Falua (Ortiga)

Cartões Vermelhos :

Edgar Esteves (Ortiga)

Golos :

Nando Lopes (1)

Momento do golo marcado por Nando Lopes ao minuto quarenta e oito (48) da 2ª parte. Foto: José Belém
Momento do golo marcado por Nando Lopes ao minuto quarenta e oito (48) da 2ª parte.
Foto: José Belém

Crónica do Jogo de José Belém

Antes do apito inicial de José Neves poderia pensar-se que iríamos assistir a um bom espectáculo de futebol, tendo em conta os resultados de ambos os conjuntos nas duas jornadas anteriores, mas tal não aconteceu, antes pelo contrário: este encontro, de futebol, teve muito pouco!

Sempre bastante nervosa, a equipa de Venda Nova cedo mostrou “medo” da Ortiga, principalmente o seu sector defensivo que nunca se encontrou, jogando (quase sempre) bastante desligada e apática. O melhor exemplo disso aconteceu logo aos 12 minutos quando o desinspirado Anderson quase fazia autogolo num mau alívio de cabeça, valendo a atenção do guardião Nelson Santos que, numa bela estirada, salvou as suas redes, voando e defendendo para canto.

Apenas aos 33 minutos do primeiro tempo é que a Venda Nova deu um ar da sua graça, numa incursão pelo seu sector ofensivo direito tendo Paulo Silva cruzado junto à linha de fundo. Apesar de se elevar, faltaram alguns centímetros a Duarte Baptista para ser feliz e abrir o activo para os homens da casa. Era o melhor período dos comandados de Paulo Santos, mas o tempo de intervalo chegou pouco depois com o resultado a zeros, tal como começara.

Era preciso fazer mais (muito mais) e melhor e, no reatamento, a Venda Nova tenta rectificar o seu esquema com as entradas de Nando e Túlio para o lugar dos “apagados” Anderson e Duarte Batista. Desafortunadamente, o “tiro saiu pela culatra”.

Na primeira ocasião do segundo tempo em que a Ortiga chega à pequena àrea contrária, faz o golo solitário da partida. Jogada de insistência e algo confusa, com alguns ressaltos de bola. Caprichosamente, o esférico acaba por sobrar para o “suspeito” Nando Lopes que num remate colocado, mais em jeito do que em força, desfeita Nelson Santos que pouco ou nada poderia fazer.

Pelo que mostrou, até então, a Ortiga já merecia estar na frente do marcador. Sempre se mostrou mais cómoda em campo com os seus jogadores mais tranquilos, coesos e a mostrarem solidariedade acabando por chegar ao prémio merecido.

Lance de perigo na área. Foto: José Belém
Lance de perigo na área.
Foto: José Belém

Mas ainda havia muito tempo pela frente e Paulo Santos, jovem técnico do Venda Nova, faz entrar Bijou numa tentativa de dar mais “alma” ao seu ataque. Do outro lado, o experiente José Carlos, satisfeito com o resultado, coloca Rui Dias, começando a trancar as portas de acesso à sua baliza.

Da forma como o jogo se desenrolava, era nos “bancos” que se jogava mais do que no campo onde, em sentidos contrários, se tentava o “tudo ou nada” ou o “mais vale um pássaro na mão…”!

Nos últimos minutos, e numa tentativa desesperada de chegar pelo menos ao empate, a Venda Nova chega a colocar cinco homens na sua frente de ataque. E o objectivo esteve mesmo perto de acontecer já em período de descontos na marcação de um livre directo. Nuno António, guarda-redes da Ortiga, quase que por instinto, evita o golo de Nando que desfere um potente remate com o esférico quase a entrar junto à base do poste esquerdo da baliza forasteira. Era o “canto do cisne”!

O desafio aproximava-se do seu final, mas, e após o árbitro José Neves tomar a decisão de alongar o jogo dando oito minutos de compensação (mais quatro de descontos sobre os descontos), aconteceu uma série de situações poucos “saudáveis” com jogadores a envolverem-se em confrontos físicos directos (sem justificação) de que acabou por resultar na expulsão de Edgar Esteves (Ortiga) por acumulação de cartões amarelos; por falar em acção disciplinar por parte do trio de arbitragem, o jogo foi um autêntico show de distribuição de cartolinas: oito no total (mas muitos outros ficaram por mostrar). É o que acontece quando, no início da partida e na ocasião certa, não se seguram as “picardias” dos atletas levando a que estes acabem por se sentir no direito de usar (e abusar) de acções menos próprias. O trio de arbitragem pecou nesse aspecto e numa outra ocasião que nos suscitou algumas dúvidas: ao minuto 73, Paulo Silva, da Venda Nova, cai na área contrária ficando a nítida sensação de ter sido derrubado em falta passível de grande penalidade, mas estando nós com o campo de visão um pouco tapado por outros jogadores, não conseguimos ver toda a sequência do lance… Os protestos dos homens da casa e da assistência foram mais que muitos, mas nem o auxiliar João Costa nem José Neves consideraram a acção faltosa.

Conclusão: resultado e vitória justa da equipa que mais fez por merecê-la.

Resultado Final :

0 Venda Nova vs Ortiga 1

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here