- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Futebol | Mação vence Coruchense e conquista Taça do Ribatejo (C/AUDIO e FOTOS)


Equipa de arbitragem e capitães: Rui Cabeleira, Carolina Vieira, João Vitor (Coruchense), Hugo Silva, Rui Esteves (Mação), Diogo Vicente e Duarte Escudeiro.

- Publicidade -

GRUPO DESPORTIVO “O CORUCHENSE”   2  –  ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO   2
(2-3 nas grandes penalidades)
Final da Taça do Ribatejo
Complexo Desportivo do Bonito
Entroncamento – 01-05-2017 (18H00)

Foi um Complexo do Bonito engalanado, em ambiente de festa, que recebeu a final da Taça do Ribatejo. Bancadas cheias de adeptos de ambos os emblemas, uma organização cuidada e três boas equipas no relvado bem tratado prometiam um espetáculo empolgante. De um lado o novel Campeão Distrital e do outro uma equipa aguerrida que boa conta deu de si.

- Publicidade -

Ainda o apito inicial ecoava no recinto, aos 40 segundos (!!!) de jogo e a marca da grande penalidade a ser apontada pelo árbitro Hugo Silva. Na primeira jogada do encontro, Joel, da equipa de Coruche, é travado à margem da lei pelo guarda redes Francisco Sousa.
Chamado à conversão, Ricardo Henriques não vacilou e inaugurou o marcador.

Aos 40 segundos (!!!) Francisco Sousa foi impotente para parar penalty que deu vantagem ao Coruchense

Começava mal a equipa de Mação e pior ficou aos 6 minutos ao consentir que “O Coruchense” aumentasse a vantagem para dois golos num remate cruzado, pela esquerda, de Batista.

A equipa do sul do distrito não dava mostras de abrandar e os maçaenses, cautelosamente, iam aguentando o ímpeto e procurando espreitar o rápido contra ataque. Num desses lances, numa jogada confusa na área de Nuno Carrapato, a bola é jogada à mão por um defesa e o árbitro não teve dúvidas em apontar a marca dos onze metros, de onde Bruno Lemos, chamado à conversão, não perdoou.

Com uma excelente moldura humana jogou-se a Final da Taça do Ribatejo

Estava vivo o jogo. Os ataques apoiados e os contra ataques sucediam-se e as defesas iam encontrando soluções. Aos 24 minutos, Seninho tem uma arrancada pelo seu lado direito, possante, ia deixando adversários para trás até assistir para o coração da área onde o veterano Nuno Carrapato resolveu com coragem. A resposta não tardou e, no minuto seguinte, dentro da área contrária surgiu Joel a rematar para defesa segura de Francisco Sousa, que voltaria a brilhar, volvidos três minutos, a remate perigoso de Pedro Soares.

Bruno Lemos (Mação) que seria o MVP da partida, foi um dos “motores” da sua equipa

Aos 32 minutos após uma sequência de cantos a favor da equipa de azul, o Mação lança rápido contra ataque com Bruno Lemos, junto à linha lateral esquerda, a chocar com Nuno Carrapato, ficando ambos caídos no terreno. Viveram-se momentos de angústia, mas ambos haveriam de recuperar.

Excelente momento do Mação, aos 39 minutos, em jogada bem gizada pela direita com mais um cruzamento de Seninho a apanhar Diogo Rosado em boa posição para marcar. Opôs-se Nuno Carrapato, com classe, em voo.

Ducho e Marcos Patrício controlam investida coruchense

Parecia estar melhor a equipa da Capital do Presunto e num livre batido do lado esquerdo, aos 41 minutos, obriga de novo Nuno Carrapato a defesa apertada para canto.
O tempo para o terminus da primeira parte esgotava-se. Não sem que antes Joel, na marcação de um livre, obrigasse Francisco Sousa a valorosa intervenção para canto. Do canto nada resultou e o árbitro apitou para o descanso. O resultado aceitava-se pela melhor entrada no jogo da equipa de Coruche.

Segurança defensiva foi estratégia dos comandados de Fernando Rosado

A equipa de Mação regressa do intervalo com uma alteração, com a saída de Rui Sousa para a entrada de Rui Bento, que viria a ser determinante no desenrolar do encontro.
Começou melhor “O Coruchense” e logo aos 48 minutos Rodrigo atirou por cima na cobrança de um canto. A resposta não tardou e aos 51 minutos Marcos Patrício, no coração da área coruchense, amorteceu de cabeça, assistindo o recém entrado Rui Bento, que não se fez rogado, restabelecendo a igualdade.

André Luis, treinador do Coruche, não se conformou e incentivou a condução de ataques seguros, quase cirúrgicos, ao que respondia a “velha raposa” Fernando Rosado. Mas “O Coruchense” queria a dobradinha e tornou-se mais contundente.

Beneficiando de livre no meio da rua, aos 58 minutos, quase marca para volvidos dois minutos beneficiar de uma sequência de cantos, que terminou com o defesa Rodrigo, exímio neste tipo de lances, a obrigar Francisco Sousa a aplicar-se. Com o jogo a tornar-se de novo tendencialmente equilibrado, foi a equipa maçaense a criar perigo, a meio da segunda parte, mas a cabeçada final a sair fraca à figura do seguro Nuno Carrapato. No contra ataque reclamou-se grande penalidade (sem grande convicção, diga-se), e Hugo Silva, bem colocado, nada assinalou.

Em cima da meia hora do segundo tempo, a equipa campeã distrital beneficiou de livre, em zona frontal, que esbarrou na densa barreira maçaense. O remate de ressaca saiu torto, ao lado. Pareceu ser o canto do cisne… A partir daí as equipas, já a acusarem desgaste físico e psicológico, entraram numa toada de um misto de ataque débil e preocupações defensivas.

Ninguém queria arriscar muito. Entrou-se em picardias, paragens do jogo, parecendo que ambas as formações acreditavam nos penalties como forma de resolver a contenda. E foi mesmo nos penalties que tudo se resolveu.

Onda amarelo-grená invadiu o relvado no final

Foi mais certeira a equipa da Associação Desportiva de Mação que assim inscreve, pela segunda vez (já o havia feito em 2008), o seu nome nos vencedores da Taça do Ribatejo.
“O Coruchense” que iniciou o jogo a ganhar foi penalizado pela sorte.

A Taça foi para Mação pela segunda vez no seu historial

Tem uma excelente equipa, o que valoriza a vitória maçaense. No final, uma enorme onda amarelo-grená invadiu o relvado partilhando um ambicionado troféu entre jogadores, equipas técnica e diretiva e adeptos. Lágrimas em muitos rostos, das boas, de alegria.
Foi bonita a festa…

Família maçaense celebrou conquista da Taça do Ribatejo

Uma palavra de apreço à equipa de arbitragem: segura, parcimoniosa, que conduziu o jogo a contento. Futuro assegurado na arbitragem do distrito e nacional. Excelente.

Presidente da edilidade maçaense, Vasco Estrela, era um adepto feliz

FICHA DO JOGO

GRUPO DESPORTIVO “O CORUCHENSE”:
Nuno Carrapato, Rodrigo, Cajarana, Semeano, João Vitor, Pedro Soares, Barbosa (Caniço), Batista, Ricardo Henriques, Joel e Ricardinho (Xande).
Suplentes: Fábio, Filipe, Caniço, Reinaldo, Leandro, David e Xande.
Treinador: André Luis.

Grupo Desportivo “O Coruchense”

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
Francisco Sousa, Seninho, Luís Esteves, Saúl, João Vitor, Ruben Neves, Ducho, Rui Sousa (Rui Bento), Bruno Lemos, Diogo Rosado, e Marcos Patrício (André Romão).
Suplentes: João Rosa, Bernardo Bento, Rui Bento, Diogo Rocha, Gonçalo Lelé, André Romão e Daniel Lourenço.
Treinador: Fernando Rosado.

Associação Desportiva de Mação

Fernando Rosado, emocionado, não conteve as lágrimas de alegria

A OPINIÃO DO TREINADOR FERNANDO ROSADO:

GOLOS: Ricardo Henriques e Batista (Coruchense); Bruno Lemos e Rui Bento (Mação).
MELHOR JOGADOR (atribuição AFS): Bruno Lemos (Mação)

Bruno Lemos recebeu o troféu de melhor jogador

EQUIPA DE ARBITRAGEM: Hugo Silva, Duarte Escudeiro e Rui Cabeleira; Carolina Vieira e Diogo Vicente (4ºs árbitros)

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome