Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol: Mação – Amiense, uma parte para cada lado só podia dar empate (com áudio)

14 de fevereiro de 2016, 15 horas, Mação

- Publicidade -

Campeonato Distrital da 1ª Divisão de Seniores da AFS

Associação Desportiva de Mação 2 – Clube Desportivo Amiense 2

- Publicidade -

Crónica do jogo por Vitor Falcão

Os astros empurrados pelo natureza faziam prever o pior. Quinze minutos antes das 15 horas a Vila de Mação foi fustigada pela fúria do tempo que deixou o sintético do Municipal de Mação num verdadeiro pesadelo. Todavia, a natureza fez um pacto com a moldura humana que queria assistir a um bom jogo de futebol e precisamente à hora marcada, o vento deixou de incomodar e o sol apresentou-se radioso e sublime.

Apesar do terreno pesado e algo empapado, o jogo entre Mação e Amiense não iludiu a expetativa criada. As equipas apresentaram sistemas diferentes e cada uma a seu jeito iam dando corpo, num quanto baste, ás ideias dos seus treinadores, apostando na velocidade, entrega, pressão e na rigidez tática. A equipa de Amiais montou uma segura muralha defensiva com Ricardo Rei e Carrapito na frente a fixarem o setor recuado maçaense. Pareceu-nos que além de uma adaptação mais fácil ao terreno de jogo, a equipa de Mação, respeitou em demasia a equipa do Amiense, deixando apenas na frente de ataque um desamparado Persi.

Porém, os jogadores de Amiais de Baixo não se limitaram a tomar contra da sua baliza. Partiam para a contra ofensiva com a lição bem estudada. O trabalho de casa foi feito e quando se trabalha bem a sorte costuma aparecer. Aos 15 minutos, numa bola ganha a meio campo por Dany, que de pronto coloca na direita, para Miguel Mateus cruzar, onde no coração da área aparece Ricardo Rei, à ponta de lança, a introduzir a bola na baliza de João Rosa. Ainda o Mação procurava desmontar a armadilha montada por Rui Gaivoto, surge o 2-0, novamente em contra golpe, por Beny. Resultado com que se atingiu o intervalo, parecendo estar traçada a história do jogo.

Ricardo Rei2
Ricardo Rei marcou o primeiro golo do jogo. Foto de arquivo.

Após o intervalo, Paulo Costa apostou no plano B, colocando Rui Bento ao lado de Persi. Foi uma jogada de mestre e que mostra que nestes escalões já existe gente, leia-se treinadores, muita qualidade.

Numa jogada bem concebida, o recém entrado Rui Bento deu expressão a este nova dinâmica da equipa da “Catedral do Presunto”, e aos 50 minutos reduz para 1-2. Com novo processo ofensivo o Mação passou a jogar a toda a largura do terreno, conseguindo ao mesmo tempo esticar o seu jogo. Linhas mais compactas e uma transição mais motivadora, empurravam a equipa para outros feitos. Do outro lado, no Amiense, os sectores começaram a ficar mais distantes entre si, permitindo ao Mação controlar, em especial, no último terço do terreno. Rui Pedro Gaivoto tentou estancar o problema, mudando o desenho tático da equipa, mas as alterações, através de um novo posicionamento de Rui Silva, Louro e Fojo, não surtiram o efeito pretendido.

E foi já com Marcos Patrício em campo (outra alteração com sucesso de Paulo Costa) que o Mação chegou ao empate. Roubo de bola a meio campo, tendo o esférico aparecido à frente de João Vitor que não se fez rogado. Nesta fase do jogo em que o tempo que restava não dava para procurar muito mais, a história dos pontos estava traçada.

João Vitor
João Vitor apontou o tento do empate da equipa de Mação. Foto de arquivo.

Apesar do estado do terreno os jogadores de ambas as equipas foram sempre muito agressivos (no bom sentido) na recuperação da bola. A repartição dos pontos, pelo que aconteceu durante os 90 minutos, parece-nos ser justa, numa tarde em que os jogadores, com o seu empenho, quiseram brindar com um bom espetáculo os corajosos que se deslocaram ao Municipal de Mação.

O árbitro, apesar do estado do terreno, propício a contactos e a decisões difíceis de tomar, foi contestado por ambas as equipas em lances nas áreas, mas consideramos ter estado num plano aceitável.

Ficha do jogo

Campo Municipal Agostinho Pereira Carreira

Árbitros: André Fonseca, João Conde e Rodrigo Viana

André Fonseca, João Conde e Rodrigo Viana
João Conde, André Fonseca e Rodrigo Viana. Foto de arquivo.

AD Mação

João Rosa, Diogo Rocha, Lélé, Saul, João Vitor, Ducho, Esteves, Rui Sousa (Marcos Patricio), Samuel, Persi e Tenta (Rui Bento)

Suplentes: Mário Lopes, Leonardo Matos, Rodrigo, Pedro Louro, Marcos Patrício, Rui Bento e Bernardo Bento

Treinador: Paulo Costa

CD Amiense

Francisco, Parreira, Rodrigo Neves, Luís Duarte, Carrapito (Louro), Dany (Fojo), João Alves, Miguel Mateus, Beny (Pires), Vindima (Rui Silva) e Ricardo Rei

Suplentes: Castelão, Lista, Fojo, Crespo, Rui Silva, Pedro e Pires

Treinador: Rui Pedro Gaivoto

Marcadores: Rui Bento (50′) e  João Vitor (78′) ; Ricardo Rei (15′) e Beny (34′)

A opinião dos treinadores

Paulo Costa (Mação)

Paulo Costa
Paulo Costa

 

Rui Pedro Gaivoto (Amiense)

Rui Gaivoto
Rui Pedro Gaivoto

 

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here