Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Líder Sport Abrantes e Benfica vence Ortiga por 2-0, mas teve que sofrer (fotos e áudio)

SPORT ABRANTES E BENFICA 2 – LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DE ORTIGA 0
Séria A – 9ª Jornada
Estádio Municipal de Abrantes – Campo nº 1
09-12-2018

- Publicidade -

O Abrantes e Benfica venceu a formação de Ortiga por 2-0, mas teve que sofrer muito.

O Sport Abrantes e Benfica venceu no seu reduto a formação de Ortiga por 2-0, mas muito teve que sofrer para conseguir os três pontos perante um adversário muito bem estruturado e que lhes causou alguns calafrios, principalmente na primeira parte onde poderiam ter surpreendido os locais.

- Publicidade -

A Ortiga apresentou-se muito bem estruturada o que causou alguns calafrios aos encarnados de Abrantes.

Com mais esta vitória, a equipa abrantina mantém a liderança da Série A ao cabo da primeira volta e só com vitórias, ficando por “acertar” o calendário já nesta quarta-feira, dia 12, em Caxarias, onde se jogarão os 45 minutos que faltam depois do jogo relativo à 6ª jornada, disputado no dia 11 de novembro, ter sido interrompido ao intervalo pelo árbitro Ricardo Bico, devido ao mau tempo. Na ocasião, os encarnados de Abrantes venciam por 0-1 com golo de Duarte Basílio, logo aos 4 minutos.

A primeira parte foi bastante agradável e o equilíbrio foi a nota dominante.

A primeira parte do jogo foi bastante agradável com as duas equipas a dividirem as despesas do encontro e o equilíbrio foi a nota dominante. Os homens de Ortiga cedo se adaptaram ao relvado natural do Municipal de Abrantes e, de quando em vez, exploravam o contra-ataque, causando alguns calafrios na defesa encarnada.

Não admiraria se até ao intervalo tivessem ocorrido golos para ambos os conjuntos com o Benfica de Abrantes mais perigoso nos lances de bola parada (pontapés de canto e livres laterais) mas sem ocasiões claras de golo, ao invés da Ortiga que podia ter feito o gosto ao pé não fora o desacerto na hora da finalização. O nulo subsistiu com os técnicos a terem que refletir bastante no descanso.

Até ao intervalo ambas as equipas poderiam ter marcado com a Ortiga a ter as melhores chances.

A segunda metade já foi diferente com a equipa da casa a inaugurar o marcador logo no reatamento. Atrapalhação na defensiva de Ortiga com a bola a ressaltar para o experiente tecnicista Rui Sousa que cruza ao segundo poste. Toni recebe e remata ao ferro mas Marcos Patrício estava no local certo para a emenda e assim faturar o primeiro da partida.

Com a obtenção do segundo golo aos 71 minutos, o SAB acabou com as dúvidas quanto ao vencedor da partida.

Golpe duro para os forasteiros que traziam do balneário a intenção de continuar a fazer o que tão bem fizeram na primeira parte, mas este tento logo aos 3 minutos após o recomeço, deitou por terra a estratégia de José Carlos que se via a braços com a falta de opções no banco para ombrear com uma equipa como a do Sport Abrantes e Benfica.

A equipa da casa acabou por dominar o resto da contenda, vindo a apontar o segundo tento novamente por Marcos Patrício, aos 71 minutos. Sempre oportuno, acabou por ser a figura do jogo e o elemento desbloqueador que valeu três pontos ao Abrantes e Benfica que continua invicto na Série A da 2ª Divisão Distrital e, segundo as estatísticas, passa a integrar o restrito lote de três equipas portuguesas de futebol sénior masculino só com vitórias quando estamos a meio da época desportiva 2018/2019. As outras duas são a Liga dos Amigos de Aguada de Cima (LAAC), que disputa a série B da 2ª divisão distrital de Aveiro, e o Belenenses Clube, da 1ª divisão distrital da AF Lisboa.

Derrota difícil para a Ortiga principalmente pelo que fizeram na primeira parte.

Derrota difícil para a Ortiga principalmente pelo que fizeram na primeira parte onde mostraram bastante acerto e concentração, mas um resultado inteiramente justo analisando o jogo pelo seu todo e pelo que o SAB construiu na segunda metade.

Em termos gerais, o resultado ajusta-se pelo que o SAB fez ao longo dos 90 minutos.

FICHA DO JOGO

SPORT ABRANTES E BENFICA:

Joel Dias, Miguel Catarino, Toni (cap.), Duarte Basílio, Luís Ferreira, Diogo Mateus, Bernardo Bexiga, Rafael Silva, Rui Sousa, José Pedro e Marcos Patrício.

Suplentes: Diogo Pascoal, Diogo Rocha, Luís Loureiro, Luís Silva, Hélio Ocante, Diogo Barrocas e Ricardo Amaral.

Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DE ORTIGA:

Márcio Martins, Filipe Falua (cap.), Rui Dias, Pedro Afonso, André Moleiro, Pedro Louro, Rui Bento, João Matos, Daniel Barão, Jorge Lourenço e Fernando.

Suplentes: Hélder, Vasco Dias, Joel Marcão e Carlos Aleixo.

Treinador: José Carlos.

Liga Regional de Melhoramentos de Ortiga.

GOLOS: Marcos Patrício (2) (SAB).

Marcos Patrício, o homem do jogo ao apontar os dois tentos da sua equipa.

EQUIPA DE ARBITRAGEM:

Pedro Serra, André Cordeiro e João Perdigão.

Trio de arbitragem e respectivas capitães de equipa.

Os técnicos José Carlos (Ortiga) e Paulo Seninho (Benfica de Abrantes) estiveram de acordo quanto ao desfecho da partida, em palavras dirigidas ao mediotejo.net:

Técnico José Carlos (Ortiga).

 

Técnico Paulo Seninho (SAB).

A grande “culpada” é uma velhinha máquina de escrever Royal esquecida lá por casa e que me “infectou” para uma vida que se revelou mais tarde não fazer sentido sem o jornalismo. O primeiro boletim da paróquia e o primeiro jornal da pequena aldeia onde frequentava a escola (tinha apenas 7 anos de idade) entranharam-me a alma (e o sangue) deste “vício” de escrever e comunicar. Seguiram-se os pequenos jornais de turma, os das escolas, os painéis informativos colocados nas paredes dos átrios e o dos escuteiros... e nunca mais o “vício” sarou. Ao longo da vida, foram vários e diversificados os ofícios exercidos profissionalmente, mas o “mar dos desejos” desaguava sempre numa folha de papel ou (mais tarde) num portátil de computador (e sempre com a máquina fotográfica como companhia). Já mais "a sério” e desde jornais regionais, rádios locais, periódicos nacionais e televisão (TVI), já são mais de 45 anos de um percurso “académico” de alguém que pouco se importa de não possuir um “canudo”.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome