Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

FUTEBOL JOVEM: Juvenis do Sardoal com empate a saber a pouco

15 de novembro de 2015, 10.30 horas, Sardoal

- Publicidade -

Campeonato Distrital da 2ª Divisão de Juvenis

Grupo Desportivo e Recreativo “Os Lagartos” de Sardoal 1 – Escola de Futebol de Tomar 1

- Publicidade -

Crónica do jogo por José Belém

Juvenis de Sardoal, com algumas queixas da arbitragem, surpreenderam uma escultural equipa das Escolas de Tomar que entraram em campo pensando que mais minuto menos minuto resolveriam o jogo a seu favor.

Mas foi rigorosamente o contrário o que se assistiu no Parque Desportivo Municipal de Sardoal, com uma equipa da casa que faz da sua união colectiva o seu maior trunfo.

Ainda não tinham decorrido 10 minutos de jogo e já os jovens sardoalenses dispunham de um par de oportunidades claras para inaugurar o marcador, sendo que (à terceira vez, decorria o minuto 11) o trio de arbitragem fez “vista grossa” a um empurrão pelas costas a Gonçalo Madeiras, já bem dentro da área quando este se esgueirava, com perigo, para a baliza contrária.

Mas o golo de “Os Lagartos” acabou mesmo por acontecer quando decorria o minuto 19, por intermédio de João Paulino, aproveitando um deslize colectivo da defesa de Tomar.

Foi, então, que tocou o sinal de alarme na equipa forasteira que não estaria à espera dum jogo tão consistente dos rapazes de Sardoal. E, respondendo de imediato, igualam a partida aos 24 minutos, por Rui Simões, num potente remate à “queima-roupa” não dando qualquer hipótese ao guardião da casa. Foi uma bela (talvez a melhor) jogada da equipa nabantina, onde conseguiram surpreender os defensores contrários.

Este era um castigo demasiado pesado para “Os Lagartos” que dominaram (até então) o jogo a seu bel-prazer com jogadas simples e ao primeiro toque, que baralhou toda a estratégia montada pelo técnico Manuel Alves.

2 (3)

A equipa da casa acusou o golo do empate e demorou até se reencontrar e voltar a dominar a partida. Durante alguns minutos, a equipa tomarense “assustou” os da casa com algumas investidas perigosas e pensou-se que, realmente, o poderio físico dos nabantinos acabaria por pender o resultado a seu favor. Mas, e passado o “choque” do golo sofrido, o conjunto sardoalense reequilibrou o jogo e dispôs de mais algumas ocasiões de golo mas a falta de clarividência na hora de rematar à baliza veio ao de cima, mostrando que Ricardo Marçal ainda tem muito trabalho a efectuar com os seus pupilos, no aspecto da finalização.

Para alívio da equipa das Escolas de Tomar, soou o apito para intervalo com um empate que sabia a pouco para as hostes caseiras.

A segunda metade do jogo começou rigorosamente como a primeira, com nova carga sobre Gonçalo Madeiras, dentro da área, ficando outra grande penalidade por marcar a favor de “Os Lagartos”, decorria o segundo minuto do segundo tempo.

Apenas através de lances de bola parada (livres directos ou cantos) é que a equipa das Escolas de Tomar tentava incomodar o último reduto dos jovens lagartos mas, ou saiam “balões” para fora do Parque Desportivo ou a defesa e guarda-redes iam resolvendo a situação!

5 (1)

Até que, aos 62 minutos da partida, Rodrigo Antunes remata forte e acerta na trave da baliza do “gigante” mas desamparado Gonçalo Cartaxo e numa altura em que o jogo tinha sentido único, os atletas de Tomar perceberam que, faltando pouco mais de 15 minutos para o fim da partida, seria melhor segurar o empate, entendendo que melhor não iriam conseguir.

Com as portas todas trancadas e apesar de algumas tentativas, os comandados de Ricardo Marçal não conseguiram chegar ao golo que lhe permitisse atingir a vitória que mereciam pelo que mostraram ao longo dos 80 minutos de jogo. Para a equipa das Escolas de Tomar acaba por ser um resultado feliz mas a felicidade também se procura e souberam gerir o resultado quando isso foi preciso.

O trio de arbitragem que viajou do Entroncamento teve nota média/baixa tendo errado em alguns lances que poderiam ter ditado outro resultado (a formação de Tomar também se queixa de um lance cortado com a mão, por um defesa caseiro, dentro da área, a meio da primeira parte, logo após o golo do empate).

Ficha de jogo

Parque de Jogos Municipal de Sardoal

Sardoal
Parque de Jogos Municipal de Sardoal

Árbitros: Miguel Marques, Mário Vieira e Roberto Vasconcelos

GDR “Os Lagartos” de Sardoal

Duarte Belém, Alexandre Duarte, Diogo Ventura, Diogo Batista, João Paulino, David Louro, João Pires, Tiago Águas, Tiago Gaspar, Fábio Alves e Gonçalo Madeiras

Suplentes: Rui Teixeira, Diogo Alves, Joaquim Lopes, Alexandre Serras e Rodrigo Antunes

Treinador: Ricardo Marçal

3 (1)
“Os Lagartos” de Sardoal, toque de união

Escola de Futebol de Tomar

Gonçalo Cartaxo, Rui Simões, Diogo Albuquerque, Diogo Bernardino, António Lopes, André Cotrim, Gonçalo Mendes, Daniel Jesus, Eduardo Paiva, Tiago Freitas e Leonardo Coelho

Suplentes: Rodrigo Pena, Ruben Santos, Renato Branco, Leandro Ferreira, João Lopes, Rui Fortes e João Ferreira

Treinador: Manuel Alves

Escolas de Tomar
Escola de Futebol de Tomar – Juvenis 2015/2016

Marcadores: João Paulino; Rui Simões

 

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome