- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Futebol/Inatel | Em tarde de regressos e homenagens Carvoeiro empatou com Mouriscas (c/FOTOS e ÁUDIO)

GRUPO DESPORTIVO E RECREATIVO DE CARVOEIRO 2 – CASA DO POVO DE MOURISCAS 2
Liga Inatel Santarém 20/21 – Fase de Grupos – Série Norte – 2ªjornada
Campo de Jogos de Carvoeiro
24-10-2021

- Publicidade -

Subitamente, na serpenteante estrada de montanha uma placa queimada, cicatriz deixada pelos últimos incêndios, anuncia que chegámos ao destino. Estamos no Carvoeiro e a música que se ouve no Complexo Desportivo diz-nos que o futebol regressou, após longa ausência, a esta localidade do concelho de Mação.

Muito público no Campo de Jogos de Carvoeiro.

- Publicidade -

Foi um regresso saudado por muito público e apadrinhado pela Casa do Povo de Mouriscas.
Outro regresso que se saúda foi o de André Gralha, árbitro que militou vários anos no escalão máximo do futebol nacional e que, depois de pisar os maiores palcos lusos, regressou às suas origens: o Inatel.

Minuto de silêncio em memória de Raúl “Macena” Loureiro.

Estavam reunidas as condições para ser um dia de festa mas o desaparecimento a meio da semana de Raúl Loureiro “Macena”, vitimado por doença oncológica, obrigou a momentos de luto, recolhimento e homenagem.

Raúl, que tinha apenas 48 anos, jogou e treinou várias equipas da região onde granjeou amizades de todos os agentes desportivos. Antes mesmo do início da partida foi guardado um minuto de silêncio em sua homenagem.

André Gralha regressou às origens.

Com o apito inicial de André Gralha o experiente capitão dos visitantes, Marco Cadete, tentou surpreender na bola de saída. O guarda redes Leonardo estava atento e agarrou, lançando de imediato o contra ataque. Maikon tentou deixar Sérgio André na cara do guarda redes Rafael Pombo mas este foi lesto a sair dos postes e chegou primeiro.

Começo auspicioso duma partida que prometia ser de qualidade. Aos quatro minutos, uma bola bombeada para Mauro testou de novo a atenção do guarda redes da equipa da casa.

Atento o guarda redes da casa.

Responderam os do Carvoeiro passados dois minutos com Maikon a aparecer na área com perigo, obrigando David Santos a corte para canto. Logo a seguir, Marco Cadete viu a subida pela direita de Gonçalves e endossou-lhe o esférico. Tentou virar para o flanco oposto onde surgia Dani mas a defensiva cortou pela lateral.

Em cima dos dez minutos uma enorme atrapalhação coletiva da defensiva mourisquense permitiu o remate de Maikon desenquadrado com a baliza de Pombo.

Estava vivo o jogo e no minuto seguinte o mesmo Maikon rematou cruzado da direita e João António emendou para abrir o ativo e colocar o Carvoeiro na frente do marcador.

Equipa da casa adiantou-se aos onze minutos.

A equipa do concelho de Abrantes não pareceu acusar o golo e o jogo manteve a tendência de equilíbrio que já vinha apresentando. Aos 13 minutos, Sérgio André, um tecnicista, deixou de calcanhar para remate pronto de Maikon por cima do travessão. Bonito gesto técnico de Sérgio.

Num campo de dimensões reduzidas as reposições laterais são verdadeiros “cantos” e a equipa de Mouriscas, que treina num campo semelhante, tentou tirar partido disso mesmo.
Aos 16 minutos Marco Cadete recebeu da linha e rematou forte para boa defesa de Leonardo.

Mourisquenses em busca da igualdade.

A equipa visitante procurava com afinco o golo da igualdade, mesmo correndo o risco de ser surpreendida, e aos 18 minutos viu um cruzamento vindo da sua ala esquerda encontrar Gonçalves ao segundo poste. Rematou contra o guarda redes local, ganhando um pontapé do quarto de círculo.

A meio da primeira parte nova reposição lateral, favorável às Mouriscas, com Marco Cadete a procurar a cabeça de Dani perto da marca de grande penalidade. A bola sobrevoou os ferros da baliza de Leonardo e perdeu-se para lá da linha de fundo.

Na resposta uma boa iniciativa individual de Maikon na área mourisquense terminou com um oportuno desarme para canto.

Partida muito disputada.

Em cada reposição lateral a equipa das Mouriscas levava perigo à área contrária. Aos 23 minutos Gonçalves recebeu e rematou ao lado. Depois de um período de acalmia, um livre favorável ao Carvoeiro, aos 31 minutos, levou o capitão João Ricardo a enviar o esférico contra a densa barreira defensiva dos visitantes ganhando novo canto.

Na resposta, a equipa azul colocou verticalmente em Dani que se deixou antecipar pelo guarda redes Leonardo. Aos 35 minutos Luís Marques voltou a solicitar Dani na área e desta feita conseguiu cabecear mas para defesa do guarda redes.

Guarda redes Leonardo sofreu golo pouco usual.

Responderam os “Escaravelhos” e Nando com um remate em vólei faz o esférico passar muito perto do travessão. Já perto do descanso, aos 38 minutos, assistiu-se a um lance pouco usual.

Em nova reposição lateral, Marco Cadete lançou longe para a zona do guarda redes. Leonardo tentou afastar acabando o esférico por entrar na sua baliza. Um lance infeliz do jovem guarda redes que deu novo empate na partida.

Resultado fácil de aceitar ao intervalo tal foi o equilíbrio numa partida interessante de seguir.

Equilíbrio foi nota dominante.

No recomeço foi a vez da equipa equipada de negro tentar surpreender. Na saída, Sérgio André fez todo o flanco direito e rematou forte. Mas por cima…

Aos 44 minutos, em nova reposição lateral, Marco Cadete encontrou a cabeça de Mauro na área mas o esférico sobrevoou a baliza da equipa da casa.

Para o minuto 46 estava guardado o melhor momento do jogo. Ao forte remate de David Santos respondeu Leonardo com uma enorme defesa, a redimir-se completamente do lance do golo dos visitantes.

Lances de perigo numa e noutra baliza.

Aos 50 minutos Fábio Vicente cometeu uma falta dura que lhe valeu a amostragem da cartolina amarela e um livre perigoso para a equipa de Nélson Ramos. Chamado à conversão Nando bateu forte para defesa de categoria de Leonardo para canto.

Depois dum breve período de acalmia, jogado longe das balizas, as equipas voltaram à carga. Aos 57 minutos, um cruzamento bem medido vindo do flanco esquerdo do ataque das Mouriscas encontrou o central David Santos bem subido no terreno. Instalado no segundo poste rematou por alto.

Boas investidas das Mouriscas.

A meio do segundo tempo, com uma hora jogada, Ricardo Alves executou um enorme balão para a área dos visitantes que Pombo agarrou sem dificuldade. Dois minutos depois o Carvoeiro voltou à carga com João António a enviar o esférico para o poste da baliza mourisquense.

David Dias, entrado pouco antes, obrigou Pombo a uma enorme defesa. No minuto seguinte André Batista fez falta grosseira à entrada da sua área e André Gralha foi obrigado a puxar do cartão amarelo. João Ricardo rematou contra a barreira.

Aos 65 minutos, numa rápida transição atacante, o Carvoeiro voltou a colocar o guarda redes contrário à prova. A defensiva visitante não afastou de pronto e o lateral direito, Filipe André, surgiu no sítio certo a rematar para o 2-1.

Filipe André voltou a colocar o Carvoeiro na liderança.

Numa boa atitude, a equipa da Casa do Povo de Mouriscas nunca se rendeu e procurou sempre os caminhos para a baliza de Leonardo. Aos 72 minutos chegou a fazer balançar as redes mas já havia sido cometida falta atacante sobre o guarda redes.

No minuto seguinte valeu mesmo. Um cruzamento bem medido da ala direita do ataque mourisquense permitiu a David Santos, de cabeça, o golo de nova igualdade.

David Santos estabeleceu o resultado final.

Já com pouco tempo para jogar e o cansaço instalado, as equipas encetaram um jogo partido, com a bola a rondar ambas as balizas, com pouca capacidade física e anímica para que houvessem mais golos.

Aos 77 minutos David Dias tentou progredir na área ladeado por dois contrários e apareceu por terra. André Gralha viu bem e mandou jogar. No segundo minuto dos quatro dados por Gralha, a bola chegou a entrar na baliza dos visitantes mas o árbitro já tinha interrompido o lance por falta sobre Cadete, em funções defensivas.

Com o tempo esgotado, Ricardo Alves, de livre, fez o esférico ganhar altura e perder-se para lá dos fundos.

Jogo rijamente disputado até final.

Pouco depois André Gralha deu o jogo por terminado. Boa partida da Liga Inatel, com os jogadores de ambos os conjuntos a deixarem tudo no pelado. Rijamente disputado, houve respeito e “fair play”. Resultado ajustado. Ninguém merecia perder esta partida. Releva-se a bonita homenagem a Raúl Loureiro “Macena”.

Regresso de André Gralha que se saúda. Esteve sempre numa atitude pedagógica mas firme, fazendo respeitar as leis do jogo, contendo excessos. Bem auxiliado.

Boa arbitragem no regresso de André Gralha ao Inatel.

Ficha do Jogo:

GRUPO DESPORTIVO E RECREATIVO DE CARVOEIRO:
Leonardo, Filipe André, Miguel Ângelo, Fábio Vicente, Pinto, Ricardo Alves, João Ricardo, João António (Ricardo Dias), Sérgio André (Carmona), Maikon (David Dias) e Bruno Filipe.
Suplentes não utilizados: Tiago André, Rodrigo Miguel, Rodrigo Filipe e Bruno Martins.
Treinador: Luís Tavares.

Grupo Desportivo e Recreativo de Carvoeiro.

CASA DO POVO DE MOURISCAS:
Rafael Pombo, Luís Marques, Marco Cadete, David Santos, Diogo Antunes (Rafa), Bruno Martins (Rui Rodrigues), André Batista, Mauro, Gonçalves (Bruno Quinas), Dani e Nando.
Suplentes não utilizados: Anselmo, Bernardo e André Marques.
Treinador: Nelson Matos.

Casa do Povo de Mouriscas.

GOLOS: João António e Filipe André (Carvoeiro), Leonardo [npb] e David Santos (Mouriscas).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
André Gralha, José Freitas e Joaquim Ventura.

Equipa de Arbitragem: André Gralha, José Freitas e Joaquim Ventura com os capitães.

No final fomos ouvir os responsáveis pela duas equipas:

LUÍS QUINTAS (Presidente do Carvoeiro)

Luís Quintas, presidente do Carvoeiro. Foto GDR Carvoeiro.

NÉLSON MATOS (Mouriscas)

Nelson Matos- Treinador da Casa do Povo de Mouriscas. Foto: Arquivo mediotejo.net

Falámos ainda com o árbitro André Gralha sobre as motivações deste regresso:

VIDEO | ANDRÉ GRALHA, ÁRBITRO DA PARTIDA:

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome