Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol (Inatel): Amoreira vence em Paço dos Negros e apura-se para a final da Taça (com áudio)

20 de março de 2016, 15 horas, Paço dos Negros

- Publicidade -

Taça Agência de Santarém da Inatel – Meia-Final

Associação Desportiva Cultural e Recreativa de Paço dos Negros 3 – Centro de Cultura e Desporto de Amoreira 3

- Publicidade -

(2-3 no desempate pela marcação de grandes penalidades)

Crónica do jogo por Jorge Beirão

Foto1.1
Jorge Beirão

Tarde farrusca com alguns chuviscos no primeiro dia de Primavera do ano.

Campo de Jogos em Paço dos Negros com relvado sintético em excelentes condições para a prática do futebol.

Entrou com mais confiança a equipa de Amoreira e com melhores soluções para as primeiras dificuldades impostas pela equipa da casa e cedo se colocou em vantagem no marcador. Eram decorridos cerca de dezassete minutos de jogo quando Hugo Grácio numa incursão à área da equipa da casa remata de pé direito fora do alcance de João Santos que vê a bola viajar até ao fundo da sua baliza. Vantagem merecida devido à superioridade imposta na organização ofensiva, com a bola a circular a toda a largura do terreno de jogo, sob a batuta do experiente Marco Cadete, que por algumas vezes foi castigado pelo adversário, sem que o senhor Norberto Santos, árbitro da partida, fizesse algo (entenda-se a amostragem da respetiva cartolina amarela), para conter essas jogadas mais ríspidas por parte de alguns dos jogadores da equipa do Paço dos Negros.

IMG_7225 1º golo da partida nº9 Amoreira
Hugo Grácio faz o primeiro golo da partida

A equipa da casa esporadicamente contrariou esta superioridade da equipa visitante. Quando o fez, foi em alguns tímidos contra-ataques, sempre com o futebol direto, dividindo assim a oportunidade de posse da bola o que favoreceu sempre a defensiva Amoreirense devido à maior velocidade dos seus jogadores na procura da posse da bola. E não foi surpresa o segundo golo da equipa de Amoreira. Jogada rápida em que Cláudio entra na área sobre o lado direito e é rasteirado por Pedro Pereira, sendo prontamente sancionada a grande penalidade por Norberto Santos. Chamado à marcação, Fábio atira para um lado lançando-se João Santos para o outro.

IMG_7227 2º golo da Amoreira nº30
Fábio de penalti aumentou a vantagem de Amoreira para 2-0

Rejubilavam as hostes da Amoreira com o dilatar do resultado para dois a zero, dentro e fora do campo, porque como é habitual as gentes desta aldeia do concelho de Abrantes e concretamente da Freguesia de Rio de Moinhos, que acompanha a sua equipa manifestando sempre o seu apoio. Faltando ainda cerca de sete minutos para o final da primeira parte ainda pensámos que o Paço dos Negros conseguisse libertar-se da pressão que os homens de Amoreira fizeram quer em aplicação e concentração na disputa dos lances, quer na entreajuda e entrosamento na organização ofensiva. No que se refere à organização ofensiva tudo bem, dois zero no final da primeira parte.

No início do segundo tempo verificámos que Daniel Silva, treinador da equipa anfitriã, começa por fazer três alterações na sua equipa, ficando no balneário Nelson, João Oliveira e João Botas, entrando Guilherme, João Carlos e Roberto. Boa inspiração, porque tudo mudou, pese embora o nível ofensivo da equipa de Amoreira se mantivesse a sua organização defensiva começou a demonstrar alguma fragilidade.

Volvidos três minutos da segunda parte, Guilherme, recém entrado, reduz para 1-2, justificando a alteração operada pelo treinador. A partir da obtenção do golo por parte da equipa da casa, verifica-se que a organização defensiva da equipa de Amoreira tremeu, até porque Guilherme beneficiou de uma paragem incompreensível da defesa contrária, ficando esta, inclusive, a pedir uma pertença irregularidade no lance, o que a haver, foi sim uma irregular falta de concentração na marcação aos adversários.

IMG_7242 Guilherme reduz para um dois para o Paços
Guilherme faz o 1-2, o seu primeiro golo no jogo

Com este golo marcado bem cedo, a equipa de Paço dos Negros cresceu e inverteram-se os papéis que haviam sido assumidos na primeira parte do jogo. Passa então a defender a equipa de Amoreira e aqui as coisas complicam-se porque surgem algumas lacunas principalmente na zona central, havendo necessidade de uma correcção no xadrez da equipa, mas com a saída obrigatória de Hugo Grácio por lesão, mais preocupação vieram para Tó Santos, que fica sem o seu mais perigoso dianteiro e que segurava as subidas no terreno dos defensores contrários.

Depois sai Marinheiro e entra Dário (Bá) e logo a seguir mais uma vez Guilherme, aproveitando uma bola que não foi despachada da zona de perigo de Amoreira, não se fez rogado empatando a partida.

IMG_7251 Golo do  empate e Guilherme a bisar.
Guilherme restabelece a igualdade com o seu bis no jogo

Assistimos nos minutos seguintes a um futebol pouco esclarecido com muita luta na disputa dos lances mas com perda para os homens da Amoreira, que vêem o cartão amarelo e o mesmo não acontece aos seus colegas contrários. Neste capítulo perderam por três a um.

Tó Santos processa então uma alteração na sua equipa, sai Batex e entra Samuel. E bastaram dois minutos para que este jogador fizesse o terceiro golo do CCD de Amoreira, a onze minutos do fim do jogo. Outra boa inspiração de treinador.

A equipa de Paço dos Negros, tremeu mas não vergou, acreditou e beneficiando do tal desacerto defensivo por parte da equipa visitante vê, Cristofe, marcar de cabeça e sem oposição o terceiro golo e empatar a partida.

Faltando sete minutos para o fim do jogo, é Daniel Silva o primeiro a demonstrar que já não quer veleidades e prefere a sorte ou lotaria dos penaltis. O jogo disputa-se então com um futebol de contenção e perda de tempo com algumas lesões ou simulações, diremos nós, chegando o minuto 80 sem mais alterações no marcador.

Na lotaria das grandes penalidades, começou mal a equipa da Amoreira, falhando o primeiro e terceiro penalti enquanto o seu adversário começa bem e acaba mal, falhando os três últimos penaltis. Pinga foi chamado a bater o quinto e último para a Amoreira e não falhou, colocando a sua equipa na final da Taça Agência de Santarém, podendo assim revalidar o título que lhe pertence.

Última grande penalidade batida por Pinga, que colocou a Amoreira na final da Taça Agência de Santarém
Última grande penalidade batida por Pinga, que colocou a Amoreira na final da Taça Agência de Santarém

Quanto à equipa de arbitragem, chefiada por Norberto Santos e tendo como assistentes Celestino Dias e Tiago Vicente, realizaram um bom trabalho no aspeto técnico. Em termos disciplinares pensamos que não utilizou um critério uniforme na amostragem dos cartões amarelos, tendo sido algo condescendente com os jogadores da equipa da casa.

Ficha do jogo

Complexo Desportivo de Paço dos Negros

Árbitros: Norberto Santos, Celestino Dias e Tiago Vicente

IMG_7208
Trio de arbitragem. Tiago Vicente, Norberto Santos e Celestino Dias

ADCR Paço dos Negros

João Santos, Diogo Reguinga, Carlos Madureira, Nelson Cardoso (Guilherme Oliveira), Pedro Pereira, João Botas (Roberto Caniço), Ivo Gouveia, André Fidalgo (João), João Oliveira (João Carlos), André Fernandes (João Cipriano) e Cristofe

Suplentes: João Cipriano, Roberto Caniço, Guilherme Oliveira, João Carlos, Gonçalo Bento, João e Vitor Russo

Treinador: Daniel Fidalgo

IMG_7214
ADCR Paço dos Negros

CCD Amoreira

Tiago, Marinheiro (Bá), Pinga, Fábio Duque, Fábio, Dinga, Batex (Samuel), Marco Cadete, Cláudio, Hugo Grácio (Nuno Fortes) e Fred (Marlon)

Suplentes: Luís Eufrásio, Nuno Fortes, Samuel, Marlon, Tó Santos, Gil e Bá

Treinador: Tó Santos

Onze inicial da Amoreira apresentado esta tarde em Paço dos Negros
CCD Amoreira

Marcadores: Guilherme Oliveira (43′ e 67′) e Cristofe (73′) ; Hugo Grácio (17′), Fábio (24′) e Samuel (71′)

A opinião dos treinadores:

Daniel Fidalgo (Paço dos Negros)

f

Hugo Grácio (capitão de Amoreira)

f

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here