Sábado, Fevereiro 27, 2021
- Publicidade -

Futebol/Inatel | Alvega vence nas Mouriscas e carimba passaporte para a fase seguinte (c/fotos e audio)

CLUBE DESPORTIVO MOURISQUENSE 2 – ASSOCIAÇÂO DE MELHORAMENTOS DA FREGUESIA DE ALVEGA 3
Campeonato Distrital do Inatel- Grupo E2- 8ªjornada
Campo das Aldeias
Mouriscas
17-03-2018

- Publicidade -

Jogo teve bons pormenores.

Com os últimos temporais a deixarem marcas no pelado do Campo das Aldeias, em Mouriscas, as equipas apresentaram-se dispostas a discutir os pontos em jogo. Perante uma boa moldura humana, apesar do tempo frio e chuvoso, cedo se percebeu a postura atacante de ambos os conjuntos.

- Publicidade -

As Mouriscas abriu as hostilidades aos quatro minutos com o remate de André Batista a passar perto do poste. Respondeu o Alvega, de livre, no minuto seguinte, batido por Fábio Marques também para fora. Aos sete minutos a equipa da casa conquistou um livre em zona frontal, à entrada da área alveguense.

Na transformação André Batista simulou o remate, Marco Cadete, com um toque subtil serviu Aleocársio que rematou para boa defesa de Luís Matos. Dois minutos volvidos, na sequência de um canto, Marco Cadete “penteia” o esférico para nova defesa do guarda redes do Alvega.

À passagem do quarto de hora Marco Cadete, muito activo, ensaiou um forte remate de longe que parou nas luvas de Luís Matos.

Marco Cadete e Santana.
Muita veterania e qualidade.

Aos 18 minutos o defesa da casa Bruno Martins executou um corte deficiente servindo Fábio Marques que rematou forte mas por cima. O jogo passou então por uma fase de acalmia, com poucas oportunidades para ambas as equipas.

Aos 29 minutos Fábio Marques isolou-se, executou um chapéu bem medido a Anselmo e, quando o esférico se encaminhava para a baliza, apareceu Dorlevay a salvar sobre a linha de golo.
A quatro minutos do tempo regulamentar um canto bem executado pela equipa da casa permitiu a cabeçada de Aleocársio interceptada pelos defensores de Alvega.

Mouriscas vendeu cara a derrota.

Aos 38 minutos os visitante ganharam um canto que a defesa mourisquense aliviou para a entrada da área. Nessa zona surgiu Pedro santos a encher o pé e a bater Anselmo pela primeira vez.
Adiantava-se a equipa de Alvega muito perto do intervalo, em resultado penalizador para os da casa, pouco eficazes na finalização.

Luís Barão remata à baliza de Anselmo.

A segunda parte chegou com um forte remate de João Farinha por cima do travessão da baliza de Anselmo. O resultado não servia à agremiação de Mouriscas que partiu à procura do golo.

Havia de surgir aos 45 minutos quando Péron levou o esférico à linha de fundo e cruzou para Bruno Martins “faturar” e empatar a partida.

Perón tenta levar perigo à área contrária.

Respondeu o Alvega, aos 48 minutos, por intermédio de Pedro Santos a responder a cruzamento da esquerda mas por cima.

No minuto seguinte, em jogada em tudo idêntica, o mesmo Pedro Santos obrigou Anselmo a defesa de recurso. Reclamou-se que a bola teria transposto a linha de golo mas o árbitro Júlio Paixão, bem colocado, mandou seguir.

Anselmo resolve a soco.

Ao minuto 54 uma sucessão de remates e ressaltos na área forasteira permitiu a Marco Cadete ensaiar forte remate de ressaca colocando as Mouriscas na frente do marcador pela primeira vez.

O piso muito pesado ia fazendo estragos e o jogo tornou-se menos vivo até que, a faltar um quarto de hora para o final, Santana apareceu a cabecear na área da casa mas ao lado.

No minuto seguinte, na sequência dum livre batido para a área, o árbitro entendeu que um defensor jogou com a mão e assinalou a marca da grande penalidade. Daí Santana permitiu a defesa de Anselmo, festejada como se dum golo se tratasse.

Santana, muito em jogo nesta fase, entrou em dribles curtos na área da equipa da casa e rematou forte mas ao lado. O cronómetro assinalava 69 minutos.

Muita luta e entrega.

Aos 74 minutos Anselmo teve dificuldade em parar o remate de Miguel Ângelo, Pedro Santos emendou e valeu o corte dum defesa para canto. O canto, batido ao segundo poste, apanhou o defesa Jorge Guerreiro em boa posição. Não se fez rogado e, de cabeça, restabeleceu a igualdade.

Jorge Guerreiro ganha lance aéreo.

A faltarem três minutos para o fim, em novo canto, o Alvega chegou à vitória com o remate vitorioso do veterano Santana.

Pouco depois o árbitro mandou toda a gente para o banho.

Bom jogo num campo difícil, com incerteza e alternância no marcador que premiou a equipa de Alvega que se apurou para a fase seguinte. As Mouriscas deixaram boa impressão e poderá ser um conjunto a ter em linha de conta na próxima época.
Arbitragem em bom plano.

Aspecto físico foi determinante.

FICHA DE JOGO

CLUBE DESPORTIVO MOURISQUENSE:
Anselmo, Bruno Martins, Dorlevay, Péron, André Batista, Marco Cadete, Diogo Marques, Bruno Rodrigues, Aleocársio, Bruno Quinas (Vanderley) e Fernando Marques.
Treinador: André Batista

Grupo Desportivo Mourisquense.

ASSOCIAÇÂO DE MELHORAMENTOS DA FREGUESIA DE ALVEGA:
Luís Matos, Dário Cardoso, Pedro Rodrigues (Vasco Bernardo, depois Carlos Matos), Santana, Jorge Guerreiro, David Almeida, João Farinha, Fábio Marques, Luís Barão (Miguel Ângelo), Eduardo Catarrinho e Pedro Santos.
Suplentes não utilizados: Nuno Costa, David Peres e Duarte Calado.
Treinador: Miguel Ângelo.

Associação de Melhoramentos da Freguesia de Alvega.

GOLOS: Bruno Martins e Marco Cadete (Mouriscas); Pedro Santos, Jorge Guerreiro e Santana (Alvega)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Júlio Paixão, Paulo Marques e José Tavares.

Equipa de arbitragem: Júlio Paixão, Paulo Marques e José Tavares com os capitães.

No final fomos ouvir responsáveis de ambas as equipas:

André Batista- Treinador de Mouriscas.

 

Jorge Guerreiro- Capitão do Alvega.

*Com David Pereira (fotos).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).