- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Futebol | Golo solitário de Zé Pedro fez a diferença na vitória do Abrantes e Benfica (C/fotos e audio)

SPORT ABRANTES E BENFICA 1 – CCRD MOÇARRIENSE 0
Campeonato da 2ª Divisão da AFS – Apuramento de Campeão – 4ª jornada
Estádio Municipal – Abrantes
28-04-2019

- Publicidade -

Municipal de Abrantes assistiu a um jogo com muita entrega.

Numa tarde de primavera, soalheira, o excelente relvado do Municipal de Abrantes preparou-se para um jogo importante entre os líderes do “play-off” de apuramento de Campeão da divisão secundária da Associação de Futebol de Santarém. Assistência em número razoável com muita gente a viajar da Moçarria. Invicta, a equipa de Paulo Séninho, não podia perder o ensejo de cavar um fosso maior, sendo que o Moçarriense a perseguia no segundo posto da classificação.

- Publicidade -

Jogo importante para as aspirações de ambos os conjuntos.

O Abrantes e Benfica apresentou-se com um xadrez muito ofensivo, subindo os laterais, com o trinco Diogo Mateus a fazer as compensações. Respondeu Nuno Guerra com um clássico 4-4-2, com Chaparro e Pelarigo, ambos muito experientes a assumirem as despesas ofensivas.

Rapidamente se percebeu que as equipas encaixaram na perfeição, assumindo o Benfica de Abrantes uma maior posse de bola. Com muita segurança defensiva, a equipa forasteira apostou nas rápidas transições ofensivas, criando desequilíbrios defensivos aos da casa.

Rui Sousa assumiu a ala esquerda do Abrantes.

O primeiro sinal de perigo dos abrantinos aconteceu logo aos cinco minutos quando Rafa fez uma diagonal interior, a partir da ala esquerda, enquadrou-se com a baliza de Piedade e rematou fraco. O guarda redes defendeu sem problemas.

Dois minutos depois, a equipa da casa beneficiou dum livre, um canto “de mangas arregaçadas”, e Basílio obrigou o guarda redes forasteiro a aplicar-se.

A resposta do Moçarriense veio logo de seguida e numa rápida transição encontrou Pelarigo em boa posição para “fuzilar” Joel. O guarda redes defendeu com classe.

Joel manteve a sua baliza inviolável. Grande tarde…

À passagem dos dez minutos Rui Sousa, a fazer toda a ala esquerda, entrou em tabelas com os companheiros do ataque mas o remate embateu num defesa.

Só ao quarto de hora os visitantes voltaram a incomodar Joel. O remate de Tiago Vitoriano, de longe, permitiu a defesa atenta do guarda redes.

Na resposta os “encarnados” ensaiaram um cruzamento bem medido do lado direito. Marcos Patrício saltou em falta sobre o guarda redes.

Muito ativo o artilheiro abrantino Marcos Patrício.
Desta vez ficou em branco.

Marcos Patrício viria a estar de novo em foco ao emendar um livre batido do lado direito aos 19 minutos. Zé Pedro chegou um pouco atrasado e o guarda redes Piedade resolveu.
Seria de bola parada que a equipa da Moçarria iria criar fortes embaraços aos benfiquistas.

Na sequência dum canto, o alívio caiu no pé de Fábio Matias que não se fez rogado. Uma “bomba” que Joel parou com uma defesa de elevado grau de dificuldade.

Moçarriense criou problemas à equipa de Paulo Séninho.

À passagem da meia hora os visitantes poderiam ter inaugurado o marcador. Um atraso deficiente para o guarda redes Joel permitiu que Pelarigo se intrometesse e rematasse ao poste. Estava dado o aviso aos comandados de Séninho.

Pouco depois, Rui Sousa foi à linha cruzar para Marcos Patrício que rematou ao lado.
Já perto do descanso Fábio Matias tentou a meia distância mas o esférico ganhou altura e perdeu-se pela linha de fundo.

Chaparro procura alvejar a baliza de Joel.

Respondeu a equipa de Abrantes com o tridente Rui Sousa, Bexiga e Marcos Patrício a fazerem estragos na defensiva moçarriense. Marcos Patrício rematou por cima mas muito perto da baliza de Piedade. Já em tempo de desconto Fábio Matias cabeceou, na sequência dum livre, para defesa fácil de Joel.

Pese o facto do Abrantes e Benfica ter maior iniciativa ofensiva o nulo ao intervalo afigurava-se como o mais justo.

Nulo justificado ao intervalo.

Os técnicos queriam mais e Paulo Séninho pedia mais critério aos seus jogadores na altura de decidir. Nuno Guerra sentia que com segurança defensiva e transições rápidas poderia ambicionar ganhar a contenda. Foi neste ambiente que se avançou para o recomeço.

Durante largos minutos jogou-se longe das áreas até que aos 56 minutos Zé Pedro queixou-se dum empurrão pelas costas. O árbitro Rúben Pinheiro nada assinalou e mandou jogar.

Muita vontade de resolver mas com pouco critério.

Com uma hora de jogo o guarda redes Piedade afastou um cruzamento e numa segunda vaga Diogo Mateus adiantou o esférico já dentro da área, gorando-se a oportunidade.
No minuto seguinte Chaparro isolou-se e na cara de Joel rematou ao lado.

Do outro lado do campo Bexiga rematou forte, à entrada da área. O guarda redes Piedade defendeu para canto.

Guarda redes Piedade em bom plano.

Aos 70 minutos Costinha descobriu Chaparro na área em boa posição. Este rematou cruzado para uma enorme defesa de Joel. Grande tarde do guarda redes “encarnado”…

Não marcou Chaparro marcou Zé Pedro.

Em posição frontal arriscou o remate, Piedade não deverá ter visto a bola partir e esta anichou-se nas redes. Momento de inspiração do atacante abrantino que valeu a vitória.

Abrantinos festejam o golo solitário que deu os três pontos.

Não se entregaram os homens da Moçarria e logo no minuto seguinte um cruzamento largo permitiu a Chaparro cabecear para as luvas de Joel. Chaparro era a referência do Moçarriense na área da casa.

Aos 76 minutos voltou a ser solicitado por Tiago Martinho, falhou a emenda e Joel agarrou com segurança. Pouco depois Zé Pedro voltou a aparecer caído na área adversária com o árbitro a mandar jogar.

Zé Pedro marcou e esteve sempre muito dentro do jogo.

Com o tempo regulamentar a chegar ao fim uma triangulação entre Marcos Patrício e os entrados Hélio Ocante e João Reis permitiu o remate deste último. O esférico passou ao lado. Com cinco minutos de compensação ainda se viu no último deles a um cruzamento de Pedro Átila. A bola perdeu-se pela linha de fundo e o árbitro mandou terminar o jogo.

Trinco Diogo Mateus com muito trabalho. Saiu esgotado.

Jogo intenso, não muito conseguido por ambos os conjuntos. A entrega ao jogo compensou e acabou por ser um jogo interessante. Vitória justa. O empate não escandalizaria.
O Abrantes e Benfica segue invicto em primeiro e o Moçarriense caiu para quarto da tabela.
Arbitragem sem influência no resultado mas não isenta de contestação.

FICHA DO JOGO:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel, Miguel Catarino, Tony, Basílio, Rui Sousa, Diogo Mateus (Hélio Ocante), Barrocas, Bexiga (João Reis), Rafa Silva (Luís Ferreira), Zé Pedro e Marcos Patrício.
Suplentes não utilizados: Bernardo Amaro, Luís Filipe, Diogo Rocha e Francisco Loureiro.
Treinador: Paulo Séninho.

Sport Abrantes e Benfica.

CENTRO DE CULTURA, RECREIO E DESPORTO MOÇARRIENSE:
Piedade, Tiago Vitoriano, Costinha, Tiago Martinho, Pelarigo (Pedro Átila), João Maria, Chaparro, Laranjeira, Rui Dias, Telmo Maniés (Duarte) e Fábio Matias (Miguel Crua).
Suplentes não utilizados: Diogo, Ricardo santos, Sandro e Leonardo.
Treinador: Nuno Guerra.

CCRD Moçarriense.

GOLO: Zé Pedro (Abrantes).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Rúben Pinheiro, João Cardoso e Vasco Pinhão.

Equipa de arbitragem: Rúben Pinheiro, João Cardoso e Vasco Pinhão com os capitães.

No final fomos ouvir os responsáveis técnicos:

Paulo Séninho, treinador Sport Abrantes e Benfica (foto: mediotejo.net)

 

Nuno Guerra-Treinador do Moçarriense.

*Com David Belém Pereira (fotos).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome