Futebol | Golo nos descontos valeu a vitória do Tramagal na Ortiga com dedicatória a Cipri (c/áudio e fotos)

LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DE ORTIGA 1 – TRAMAGAL SPORT UNIÃO 2
Campeonato Distrital da AFS – 2ªDivisão – Série A – 6ªjornada
Campo de Futebol Alfredo Daniel “Smith”, em Ortiga
15-11-2020

PUB

Pela manhã de domingo, o Campo de Futebol de Ortiga (Mação), ostentando o nome dum saudoso filho da terra com uma vida dedicada ao desporto, Alfredo “Smith”, abriu os portões para receber, a uma hora pouco habitual, onze horas, o Tramagal Sport União em luto pela partida, esta semana, do seu técnico de equipamentos, diretor e figura carismática, Cipriano Costa, vitima de doença prolongada.

No Campo de Futebol Alfredo Daniel “Smith cumpriu-se um minuto de silêncio por Cipriano Costa.

PUB

Antes do início do encontro, o plantel partilhou com alguns adeptos, no exterior do recinto, a sua emoção, ostentando a camisola com o número 57, ano de nascimento e o nome “Cipri”, diminutivo pelo qual era carinhosamente conhecido Cipriano Costa.

As equipas da Ortiga, Tramagal e de Arbitragem uniram-se num minuto de silêncio.

PUB

Ambas as equipas precisavam dos pontos em disputa

Feitas as homenagens rolou o esférico. Num campo pelado, de difícil controle e circulação de bola os processos têm de ser simples.

O Tramagal, com o Adjunto Bruno Alves no comando por indisponibilidade de Júlio Batista, pareceu ter entrado com a lição bem estudada e surpreendeu a equipa de Mazo, a jogar “sobre brasas”, com necessidade de vitórias, tal como o seu adversário.

Logo no minuto inicial um cruzamento do lado esquerdo do ataque visitante testou a atenção do guarda redes Cláudio.

Cláudio com muito trabalho de qualidade.

Respondeu a Ortiga com Tiago Barão a assistir André Romão à entrada da área. O remate saiu torto, para fora. Aos cinco minutos, os visitantes ganharam um canto e, com os centrais a adiantarem-se no terreno, Nalha cabeceou ao lado mas muito perto dos ferros da baliza à guarda de Cláudio.

À passagem dos dez minutos David Nunes quis testar a sua meia distância tendo o esférico embatido num defesa, indo “morrer” nas luvas do guarda redes.

David Nunes esteve em foco nos visitantes.

Com as equipas a encaixarem, o jogo passou a disputar-se num meio campo muito povoado com dificuldade para ambas as equipas progredirem e incomodarem as linhas mais recuadas.

Só aos 20 minutos voltou a “soar o alarme” quando o tramagalense Grilo ensaiou forte remate que Cláudio não segurou. A emenda do autor do remate foi fraca para defesa fácil do guarda redes.

Equipas com muitas dificuldades de progressão.

O Tramagal estava agora mais pressionante e Roma rematou dentro da área da Ortiga e ganhou um canto. Aos 25 minutos o canto batido de forma curta procurou Gonçalo Fernandes que cruzou tenso para a área onde saltaram vários jogadores.

Cláudio não afastou, alegadamente por ter sido carregado, e João Baião enviou a bola para a baliza deserta abrindo o marcador. Protestaram os da casa uma alegada carga sobre o seu guarda redes que a acontecer foi feita pelo seu colega Tiago Barão em luta com Nalha.

Golo de João Baião (15) foi reclamado pelos da casa.

A perder, a equipa do concelho de Mação teria de fazer pela vida e começou a pressionar mais o seu adversário que ia espreitando uma ocasião para lançar o contra golpe.

Aos 28 minutos, o incansável Luís Vieira ensaiou o remate para defesa do guarda redes visitante, João Félix. Entretanto o jogo foi parado para permitir a assistência a André Miguel, lesionado. Acabaria por ser substituído aos 35 minutos por Espadinha.

Após o golo sofrido, a equipa Ortiga surgiu mais ofensiva.

Aos 39 minutos, João Baião fez uma falta passível da amostragem do cartão amarelo. O livre, perto do bico da área, era numa posição perigosa mas embateu na barreira.
Já com o cronómetro a marcar tempo de desconto a Ortiga beneficiou dum canto inviabilizado por entrada à margem das leis sobre o guarda redes da equipa “metalúrgica”.

O descanso chegou com um resultado que se ajustava ao futebol praticado. O Tramagal Sport União justificava a vantagem mínima por ser a equipa com maior clarividência no retângulo de jogo.

Tramagal justificava resultado ao intervalo.

Para o segundo tempo Mazo tinha de mexer na estratégia da sua equipa de modo a inverter o rumo dos acontecimentos. Deixou um defesa no balneário, apostou num xadrez com três defesas, subindo linhas, tentando ter supremacia a meio campo.

Ainda assim, o primeiro sinal de perigo foi dos visitantes. Aos 47 minutos Grilo permitiu o corte de Pedro Afonso quando já se esgueirava rumo à baliza de Cláudio. No minuto seguinte um livre batido por Gonçalo Fernandes para a área originou um pontapé de canto.

Capitão Gonçalo Fernandes importante na manobra da sua equipa.

À passagem do 50º minuto uma bola muito comprida obrigou João Félix a sair da sua área, desentendeu-se com Nalha, sobrando o esférico para um contrário que foi travado de forma faltosa de Espadinha. Valeu-lhe o cartão amarelo e um livre perigoso que Félix defendeu para canto.

Logo a seguir Roma recuperou uma bola ao adversário e lançou David Nunes que rematou de pé esquerdo para fora. Aos 53 minutos Bernardo Barreiros entregou para a velocidade de Grilo que à entrada da área permitiu o corte dum defesa da equipa da casa.

Grilo dispôs de várias oportunidades mas estava em dia não.

Dois minutos depois um cruzamento muito largo a partir da ala direita da Ortiga encontrou Luís Vieira em boa posição ao segundo poste. Permitiu um corte temerário de Espadinha.

As bolas paradas resolvem jogos e este não foi excepção. Um livre batido para a área permitiu um toque vistoso de calcanhar a David Nunes que, no entanto, não levou perigo ao extremo reduto da equipa da casa.

Mazo refrescou a sua equipa que à passagem da hora de jogo chegou ao empate numa cabeçada de Pedro Afonso ao segundo poste na sequência dum pontapé de canto. Estava relançada a discussão pela vitória.

Defesa Pedro Afonso (5) empatou de cabeça na sequência dum canto.

Com meia hora para jogar na mente dos jogadores de ambas as equipas apenas passava um objetivo: vencer. Com a Ortiga a crescer no jogo e o Tramagal a encaixar no novo desenho tático do adversário, esperava-se um final de jogo intenso e competitivo. E assim foi…

Aos 64 minutos, Gonçalo Fernandes assistiu David Nunes, com um passe muito longo mas preciso, na ala direita. Com Tiago Roma a entrar pelo eixo da defesa da casa foi para lá que David enviou o esférico. Atento, o guarda redes Cláudio, antecipou-se e resolveu o lance.

O Tramagal ia criando muitas oportunidades mas a eficácia era muito baixa.

Pouco depois foi Luís Vieira que quis surpreender Félix na outra baliza. O remate de meia distância não passou longe da trave. Aos 69 minutos, a Ortiga ia replicando o lance do golo. O canto batido do lado esquerdo encontrou de novo Pedro Afonso ao segundo poste.

Pressionado, não conseguiu dar o melhor seguimento ao lance e a defesa dos “azuis” afastou.

Na jogada seguinte, Grilo, em esforço, ganhou um lance a meio campo e lançou David Nunes. Este tentou devolver a Grilo mas a defesa da casa foi mais rápida e resolveu.
Aos 72 minutos uma falta dura de Rúben Neves valeu-lhe um cartão amarelo e uma excelente oportunidade para David Nunes alvejar a baliza de Cláudio. Atirou ao lado.

Muita luta e repartição da posse de bola.

Respondeu a equipa da Ortiga com Leandro Morais a rematar de longe mas com fraca direção. Aos 77 minutos, Nuno Mariquitos “roubou” uma bola e ao ver André Romão sem marcação endossou-lhe o esférico. Caiu na armadilha do fora do jogo e o lance foi inviabilizado pelo árbitro João Grácio.

Pouco depois Tiago Roma foi derrubado em cima do bico da grande área da Ortiga, do lado direito como atacava o Tramagal. Gonçalo Fernandes bateu forte para defesa esforçada de Cláudio. O jogo estava repartido pelos dois meio campos e os remates a uma e outra baliza iam-se sucedendo.

Grilo perdeu várias oportunidades de “matar” o jogo.

O Tramagal começou a encostar a equipa da casa mais atrás, contrariando o maior pendor ofensivo do início da segunda parte. A faltarem menos de dez minutos para o tempo regulamentar David Nunes isolou, com um passe milimétrico, Tiago Roma que rematou com selo de golo. Cláudio, enorme, desviou com uma “sapatada” para canto. Que grande exibição do guarda redes da Ortiga!!!

Com tanto equilíbrio ninguém merecia perder.

Aos 86 minutos, Grilo assistiu David Nunes que rematou cruzado, perto do poste mais distante, mas por fora. Na resposta, o inconformado Luís Vieira tentou fazer uso do seu forte remate. Embateu na defesa visitante e perdeu-se pela linha lateral.

Os últimos minutos regulamentares ficaram marcados por duas perdidas de Grilo. Na primeira permitiu a defesa de Cláudio e na segunda atirou ao lado.

Cláudio defendeu quase tudo e cotou-se como um dos melhores no jogo.Aqui Nalha levou a melhor…

O árbitro concedeu quatro minutos e já não se esperava por mexidas no marcador. Puro engano…

Após nova defesa do guarda redes da casa a remate dum infeliz Grilo, com o tempo esgotado, o Tramagal ganhou um canto a que Nalha respondeu com uma cabeçada certeira, plena de antecipação.

Ao cair do pano a equipa do Tramagal garantia os três pontos que fez por merecer. Numa partida muito intensa, com empenhamento dos jogadores de ambos os conjuntos, a Ortiga podia ter pontuado.

Arbitragem com vistas largas e pequenos erros sem interferência no resultado final. Nos lances capitais terá julgado bem.

Árbitro João Grácio acompanhou os lances de perto e teve largo critério.

Ficha do Jogo:

LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DE ORTIGA:

Cláudio, Daniel Barão (Joel Marcão), Eduardo António (Luís Dias), João Cartaxo, Pedro Afonso, Tiago Gaspar (Nuno Mariquitos), José Lourenço, Luís Vieira, André Romão, Rúben Neves e Tiago Barão (Leandro Morais).

Suplentes não utilizados: Vasco Dias e Rui Dias.
Treinador: Mazo.

Liga Regional de Melhoramentos de Ortiga.

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:

João Felix, André Miguel (Espadinha, depois David Matias), Rui Nalha, João Baião, Pedro Alves, Francisco Oliveira, Gonçalo Fernandes, Tiago Roma, Gonçalo Grilo, David Nunes e Bernado Barreiros.

Suplentes não utilizados: João Serafim, Zé Garcia, Monteirinho, Rui Leal e Tiago Gonçalves.
Treinador: Bruno Alves (Adjunto).

GOLOS: Pedro Afonso (Ortiga), João Baião e Rui Nalha (Tramagal).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Grácio, Bruno Franco e Tiago Ramos.

Equipa de Arbitragem: João Grácio, Bruno Franco e Tiago Ramos com os capitães.

FOTOGALERIA:

No final fomos ouvir os responsáveis técnicos de ambas as equipas:

Mazo, treinador da Ortiga.

 

Bruno Alves, treinador-adjunto do Tramagal.

* Com David Belém Pereira (multimédia).

PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).