Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Novembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol feminino | Pegachas sem “artilharia” para leoas bem “armadas” (c/fotogaleria e audio)

CASA POVO PEGO 0 – SPORTING CLUBE PORTUGAL “B” 21

- Publicidade -

Campeonato Nacional da 2ª divisão / Grupo D / 11ª jornada

Campo de Jogos do Pego/15-12-2018

- Publicidade -

Na véspera de completar um ano após a sua inauguração, o sintético do Campo de Jogos do Pego recebeu outro dos “grandes” do futebol português. Depois da recepção ao S. L. Benfica a 5 de novembro, foi a vez das verdes e brancas de Lisboa visitarem a aldeia das casas baixas numa tarde a ameaçar chuva e com as bancadas meio despidas de público.

A viverem realidades bastante distintas, para as atletas da casa o jogo foi encarado como mais uma etapa na sua caminhada de crescimento, enfrentando um conjunto de jogadoras de outro nível oriundas de um clube com escola e que até se apresentou com algumas atletas que, normalmente, equipam na equipa principal que disputa a Liga BPI (escalão principal do futebol feminino português) casos de Rita Fontemanha, Nadine Cordeiro e da capitã Beatriz Conduto.

E foi mesmo Beatriz Conduto a abrir o livro ainda o cronómetro não tinha atingido o primeiro minuto da partida e de forma fácil perante uma equipa pegacha encolhida no seu último reduto e que deu bastantes espaços para as velozes e tecnicistas atletas do Sporting. Os golos foram surgindo, um atrás do outro, com a guardiã da Casa do Povo do Pego a ter muito trabalho e a “salvar” as suas redes por algumas ocasiões evitando um score ainda maior.

O jogo chegou ao intervalo com o marcador em 0-12 e onde a equipa da Casa do Povo do Pego apenas dispôs de uma boa oportunidade de se chegar à baliza de Margarida Costa, com Matilde a desperdiçar um livre próximo da área adversária.

No reatamento, Carolina Jesus ressentiu-se de uma pequena lesão trazida da primeira parte e teve mesmo que sair das quatro linhas, ficando a baliza do Pego entregue a Matilde que foi fazendo o que podia e sabia.

Neste segundo tempo, o Sporting “B” tirou o pé do acelerador, aproveita a sua técnica para fazer rodar algumas jovens atletas como o caso da mourisquense Filipa Matos que se mostrou a bom nível nos 23 minutos que esteve em campo até final da partida com o resultado final a cifrar-se em 0-21.

Naturalmente que não seria de se esperar mais das atletas da Casa do Povo do Pego que se bateram, mesmo assim, com muita galhardia mas completamente impotentes perante um adversário de outro campeonato com muitas escolhas dentro da sua Academia, dando-se ao “luxo” de se apresentar em terras pegachas com jogadores internacionais pela seleção das quinas.

FICHA DO JOGO:

CASA DO POVO DO PEGO:

Carolina Jesus, Bruna Lourenço, Daniela Esteves, Cátia Rodrigues (cap.), Filipa Lopes, Jessica Mendes, Matilde, Érica Batista, Inês Mendes, Marisa Rodrigues e Inês Cadete

Suplentes: Rute Ricardo, Joana Marques, Filipa Mendes, Carla Santos, Inês Gaudêncio e Beatriz Branco.

Treinador: Hermínio Rosado.

Casa do Povo do Pego.

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL “B”:

Margarida Costa, Rita Fontemanha, Bruna Costa, Joana Martins, Nadine Cordeiro, Beatriz Conduto (cap.), Marta Ferreira, Andreia Jacinto, Inês Macedo, Rita Barreto e Maria Matos.

Suplentes: Bárbara Lopes, Filipa Matos, Laura Silva e Vera Cid.

Treinadora: Mariana Cabral.

Sporting Clube de Portugal.

GOLOS: Beatriz Conduto (7), Inês Macedo (6) Rita Fontemanha (3), Marta Ferreira (3), Joana Martins e Nadine Cordeiro (Sporting “B”).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Joana Rodrigues, Paulo Leitão e Rúben Anjos (A. F. Leiria).

Equipa de Arbitragem com as capitãs.

No final fomos ouvir os treinadores de ambas as equipas:

Hermínio Rosado-Treinador do Pego.

 

Mariana Cabral-Treinadora do Sporting.

*Com David Belém Pereira e Jorge Santiago (fotos).

A grande “culpada” é uma velhinha máquina de escrever Royal esquecida lá por casa e que me “infectou” para uma vida que se revelou mais tarde não fazer sentido sem o jornalismo. O primeiro boletim da paróquia e o primeiro jornal da pequena aldeia onde frequentava a escola (tinha apenas 7 anos de idade) entranharam-me a alma (e o sangue) deste “vício” de escrever e comunicar. Seguiram-se os pequenos jornais de turma, os das escolas, os painéis informativos colocados nas paredes dos átrios e o dos escuteiros... e nunca mais o “vício” sarou. Ao longo da vida, foram vários e diversificados os ofícios exercidos profissionalmente, mas o “mar dos desejos” desaguava sempre numa folha de papel ou (mais tarde) num portátil de computador (e sempre com a máquina fotográfica como companhia). Já mais "a sério” e desde jornais regionais, rádios locais, periódicos nacionais e televisão (TVI), já são mais de 45 anos de um percurso “académico” de alguém que pouco se importa de não possuir um “canudo”.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Boa reportagem de texto e imagens, possibilitando conhecer quem, de facto, esteve em campo. Uma nota sobre o que está dito: a Beatriz Conduto, faz parte do plantel da Equipa ‘B’ e das Sub-19 do Sporting CP, e não do seu plantel principal/sénior/profissional. Em campo, estiveram desse referido plantel principal, para além das já mencionadas Rita Fontemanha e Nadine Cordeiro, também a Joana Martins e a Bruna Costa. Saudações desportivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome