Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol: Fátima vence Caixeiros e carimba título distrital (com áudio)

20 de março de 2016, 15 horas, Ribeira de Santarém

- Publicidade -

Campeonato Distrital da 1ª Divisão de Seniores da Associação de Futebol de Santarém

Grupo de Futebol dos Empregados no Comércio 0 – Centro Desportivo de Fátima 1

- Publicidade -

Jogo com inicio agendado para as 15 horas, mas a falta de policiamento à hora marcada, fez com que Rui Cabeleira atrasasse o apito inicial em 25 minutos.

Jogo aguardado com alguma expetativa, pois frente-a-frente estavam duas equipas com objetivos diferentes mas claros. Os “Caixeiros” queriam em casa somar pontos para fugir aos lugares de aflição do fundo da tabela classificativa, enquanto o Fátima queria já garantir a conquista do segundo título distrital da sua história.

Se as equipas estavam ansiosas por cumprir os objectivos, essa ansiedade não se notou nos homens de Fátima. Logo ao primeiro minuto, Nélson Sousa à entrada da pequena área, em posição privilegiada, cabeceia para as mãos de Picão.

_MG_9675
Nelson Sousa ao primeiro minuto de jogo levou perigo à baliza de Picão

Quatro minutos volvidos, surge o golo do Fátima. Uma bola colocada por alto na frente de ataque fatimense à procura de Pedro Emanuel, Picão sai da baliza sem necessidade, não fala com o seu colega Dani que estava na marcação ao avançado de Fátima. Este fazendo a sua missão, afasta de cabeça, mas nessa zona estava Miguel Neves que ao ver a baliza deserta remata acrobaticamente, colocando a sua equipa a vencer.

_MG_9691
Miguel Neves viu bem a ausência do guarda-redes na baliza e num remate acrobático fez o único golo da partida

Este golo teve o condão de serenar os visitantes, que conseguiam cedo, uma vantagem preciosa num campo difícil e enervou a equipa da casa. O Fátima a partir do golo assentou o seu jogo e com um sentido posicional muito bom, retirou espaço e tempo ao meio campo adversário para pensar o jogo. Refira-se que na primeira parte, os comandados de Jorge Peralta sentiram muitas dificuldades em ligar jogo, mostrando muitas dificuldades em fazer chegar a bola perto da área do Fátima. Tirando um lance ao minuto 37, em que Godinho na sequência de um livre, consegue espaço na área fatimense para cabecear, um tudo nada ao lado, quase todas as bolas que rondaram a baliza de Nuno Ribeiro foram dominadas por este, pela sua defesa ou foram diretamente para fora.

_MG_9761
Este foi o lance mais perigoso dos Empregados no Comércio, por Godinho, em toda a primeira parte

Do outro lado estava uma equipa que se sentia como “peixinho na água”. Tinha mais bola, circulava o esférico entre setores, conseguia fazer as mudanças de flanco tão habituais e jogava mais tempo no meio-campo adversário. João Martins, Jorge Neves e Miguel Neves iam colocando a máquina a funcionar, com a ajuda nos flancos de Imran e Laranjeiro. O Fátima dominava mas não era sufocante. Nota para três boas ocasiões de golo. Aos 15 minutos, Pedro Emanuel, em zona central remata para golo, mas Picão negou-lhe os intentos com intervenção de categoria.

_MG_9715
Picão nega pela primeira vez o golo a Pedro Emanuel

À passagem da meia hora, novamente os mesmos protagonistas. Pedro Emanuel procurou o golo da ordem, mas Picão disse que não era tarde para o número 9 festejar, voltando a negar o golo com nova intervenção de classe. Já a terminar a primeira parte, Imran, do meio da rua, num remate de ressaca, certamente a mais de 100 Km/hora, chegou a gritar golo, mas Picão com um voo magistral atira para canto.

_MG_9743
Com um voo vistoso, Picão evitou o segundo golo fatimense

Pouco depois chegava o descanso, com alguns segundos de compensação e uma vitória do Fátima por 1-0, que se fosse por dois golos de diferença também não era exagerado, mas Picão esteve lá para evitar males maiores.

_MG_9768
Picão esteve no bom e no mau da sua equipa. Se no golo não ficou bem na fotografia, redimiu-se entre os postes a negar vários golos aos forasteiros

A etapa complementar foi melhor. O meio campo dos Empregados no Comércio começou a funcionar e a conseguir fazer fluir mais a bola até ao ataque. Altura em que apareceram no jogo Godinho, Zé Miguel e Vasco, chamando mais vezes a jogo lá na frente Chaparro. O jogo foi mais repartido, a bola rondou as duas áreas, mas oportunidades claras de golo foram escassas. Muitos cantos, muitos remates, mas ou a bola ia sem a direção certa ou parava nas mãos dos guarda-redes ou então era parada pelas muralhas defensivas. Do banco, João Henriques, vendo que a equipa não conseguia o golo de tranquilidade, ia tentando mexer do banco, mas nem Serginho, nem Hamza trouxeram ao jogo novo alento. Do outro lado, Jorge Peralta, tinha quatro suplentes, mas só um em plenas condições, ia tentando jogar com as peças dentro do campo e lançou Rui Simões, mas este também não foi o jóquer da partida.

A oportunidade mais clara de golo, pertenceu aos azuis. Aos 72 minutos, Diogo aproveita uma má saída de Nuno Ribeiro da baliza e de um ângulo desfavorável ainda atira para a baliza, mas Bruno Heleno, em cima da linha fatal, não permitiu qualquer festejo atirando para canto.

_MG_9891
Melhor oportunidade da segunda parte para golo. Diogo já passou por Nuno Ribeiro, que saiu mal da baliza, mas o remate esbarrou em Bruno Heleno

Chega o apito final e os festejos da equipa de Fátima por garantirem a subida aos campeonatos nacionais. Pelo que se passou nos 90 minutos, a vitória fatimense não sofre contestação (marcou um e podia ter marcado mais um), embora considerássemos mais certo um resultado com golos para ambas as equipas.

Rui Cabeleira e seus pares rubricaram um trabalho positivo e sem influência no resultado. Talvez uma ou outra entrada que passaram sem admoestação, mas foi o critério escolhido e mantido até final para ambos os lados sem exceção, o que só temos que respeitar.

Ficha do jogo

Campo da Ribeira de Santarém

Árbitros: Rui Cabeleira, Gonçalo Antunes e Rafael Escudeiro

_MG_9660
Rafael Escudeiro, Rui Cabeleira e Gonçalo Antunes

GF Empregados no Comércio

Picão, Formiga, Dani, Zé Santos, Serginho, Godinho, Zé Miguel, Diogo, Miguel Calisto, Vasco (Rui Simões) e Valter Chaparro

Suplentes: Pató, Ruas, Rui Simões e Ricardo Alves

Treinador: Jorge Peralta

_MG_9640
GF Empregados no Comércio

CD Fátima

Nuno Ribeiro, Laranjeiro, Imran, Bruno Heleno, André Sousa, Nelson Sousa, João Martins (Hamza), Jorge Neves, Fábio Coça, Miguel Neves (Serginho) e Pedro Emanuel (Cédric)

Suplentes: Hélio, Serginho, Vasco Gonçalves, Ivan, Cédric, Hamza e Luisito

Treinador: João Henriques

_MG_9644
CD Fátima

Marcador: Miguel Neves (5′)

A opinião dos treinadores:

Jorge Peralta (Empregados no Comércio)

_MG_9791
Jorge Peralta

 

João Henriques (Fátima)

_MG_9840
João Henriques

 

 

Festa fatimense no final do jogo em Santarém,
Festa fatimense no final do jogo em Santarém

_MG_9972
A equipa técnica que devolveu o Fátima aos campeonatos nacionais

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome