Futebol | Em jogo de equilíbrio valeu o golo de Hélio Ocante na vitória abrantina (C/fotos e áudio)

Em jogo equilibrado valeu o golo de Hélio Ocante.

SPORT ABRANTES E BENFICA 1 – CLUBE DESPORTIVO AMIENSE 0
Campeonato Distrital da 1ªDivisão da AFS – 5ª jornada
Estádio Municipal de Abrantes
13-10-2019

PUB

Numa tarde agradável, apesar das nuvens carregadas ameaçarem chuva, encontraram-se no Municipal de Abrantes duas boas equipas.

Estádio Municipal de Abrantes.

A equipa da casa, o Sport Abrantes e Benfica, apenas perdeu na 1ª ronda com o líder Almeirim tendo somado vitórias nos restantes jogos. A equipa visitante, o Clube Desportivo Amiense, também perdeu com o líder em casa, tendo na última jornada arrancado um empate em Ferreira do Zêzere.

PUB

A acrescentar à expectativa de um bom jogo o facto da equipa de arbitragem ser chefiada pelo único árbitro do Distrito a militar no escalão máximo do futebol nacional, João Bento, tal como o assistente, Carlos Covão.

Duas equipas muito batalhadoras deram bom espetáculo.

O Amiense, com uma equipa jovem mas valorosa, muito bem orientada pelo experimentado Jorge Peralta, trazia a lição bem estudada. Sabendo do valor do adversário, no último terço do terreno optou pela segurança defensiva, a jogar recuado com as linhas muito juntas, à espreita de uma oportunidade para contra atacar.

PUB

Ainda assim os abrantinos, no segundo minuto, lançaram uma bola para as costas da defensiva amiense onde apareceu Marcos Patrício a tentar o chapéu, sem sucesso. O guarda redes Francisco amarrou o esférico.

Marcos Patrício deu o primeiro sinal de perigo.

À passagem dos sete minutos o Amiense abeirou-se da baliza dos “encarnados” de Abrantes, a jogarem de branco, e na sequência de um canto curto o centro remate criou dificuldades a Joel. Dois minutos depois, quando o Amiense já equilibrava a contenda, Peralta voltou a por Joel à prova.

Com as equipas encaixadas, em toada de parada e resposta, o esférico foi muito disputado a meio campo, longe das balizas. Os passes falhados por ambos os conjuntos na fase de construção impedia a progressão.

Muitas perdas de bola retirou capacidade de progressão.

Aos 19 minutos o Amiense chegou à área da equipa da casa mas Diogo Pereira fez falta atacante sobre o capitão Toni. Como a progressão estava difícil, Pedro Damas tentou a meia distância aos 22 minutos. A bola embateu na muralha defensiva da equipa de Amiais.

À passagem dos 25 minutos a equipa da casa esteve muito perto de marcar. Um canto bem batido, ao segundo poste, encontrou Toni que havia subido à área do Amiense. A cabeçada levava o selo de golo mas o guarda redes Francisco, com uma enorme defesa, não o permitiu.

Guarda redes Francisco em bom nível.

Pedro Damas, muito ativo no jogo, ia tentando, com os remates de longe, levar perigo à baliza dos visitantes. Assim foi aos 29 minutos com a bola a passar muito perto do poste da baliza à guarda de Francisco. Após dez minutos de alguma acalmia e ausência de jogadas de perigo Hélio Ocante cruzou ao segundo poste onde surgiu Pedro Damas a cabecear para fora.

O Amiense sempre que podia subia à área contrária e fazia perigar o extremo reduto abrantino. Aos 40 minutos um cruzamento para o coração da área obrigou Toni a ceder canto.

Amiense nunca deixou de procurar o ataque.

Aos 43 minutos os abrantinos metem o esférico na zona do guarda redes, este soca para a zona de tiro. Quando Pedro Damas se preparava para encher o pé um defensor, mais rápido, desarmou-o cedendo canto.

Em cima do intervalo Diogo Barrocas disputou a bola, nas alturas, com o guarda redes Francisco, esta sobrou para Pedro Damas que tentou o chapéu, que ficou curto.
Resultado certo ao intervalo pelo labor das duas equipas. O nulo penalizava o pouco acerto.

Nulo ao intervalo ajustava-se à produção de ambos os conjuntos.

O segundo tempo começou com uma soberana oportunidade para o Amiense logo na bola de saída. O remate colocado de Diogo Pereira obrigou Joel a defesa apertada.

Responderam os abrantinos e aos 47 minutos beneficiaram de uma série de pontapés de canto. No último deles Zé Pedro “penteou” para a zona de penalti onde surgiu Hélio Ocante, muito oportuno, a cabecear para o fundo das redes da baliza de Francisco.

Hélio Ocante (à dtª) fez o único golo da partida.

O golo de Hélio Ocante fez ruir a estratégia de Jorge Peralta para este encontro e rapidamente saltaram do banco jogadores para o aquecimento. Pouco depois o técnico do Amiense mexeu no xadrez da sua equipa, fazendo entrar Moleiro e Bernardo Louro.

Aos 56 minutos Marcos Patrício, com fome de golo, despachou os adversário que lhe saíram ao caminho. Levou longe de mais o esforço e a bola acabou por se perder pela linha de fundo.

Golo do Benfica de Abrantes obrigou a mexidas no Amiense.

Passados dois minutos o Amiense teve uma boa iniciativa com o recém entrado Bernardo Louro a rematar forte já dentro da área, obrigando Joel a defesa de recurso com os punhos.

A resposta dos da casa surgiu aos 63 minutos. Na sequência de um canto Miguel Vitor enviou a bola ao travessão e na recarga Toni rematou por cima. Os visitantes procuravam o empate e o forte remate de Tiago Mateus, em tarefas ofensivas, obrigou Joel a ceder canto.

Amiense nunca se rendeu.

O Amiais estava no seu melhor momento e aos 71 minutos um cruzamento milimétrico encontrou Moleiro ao segundo poste. Era só encostar mas a bola saiu ao lado da baliza de Joel.

Cinco minutos volvidos Marcos Patrício, numa rápida transição, serviu de cabeça Hélio Ocante que rematou sem encontrar o caminho da baliza.

Marcos Patrício serviu Ocante de cabeça.

Com o jogo a encaminhar-se para o final e com as forças a escassearem, o Amiense ainda teve um último fôlego aos 85 minutos. Ganhou dois cantos seguidos levando perigo à baliza contrária.

Já no terceiro minuto de desconto Marcos Patrício enjeitou excelente ocasião, dentro da área, enviando o esférico ao lado.

Jogo agradável de seguir.

Pouco depois o árbitro João Bento deu o jogo por terminado. Foi um bom jogo de campeonato, rijamente disputado, nem sempre bem jogado mas com muita entrega e correção. Com tanto equilíbrio o golo de Hélio Ocante fez toda a diferença.

Arbitragem de primeira de João Bento e assistentes. Discreto, tecnicamente perfeito, usou os cartões com parcimónia.

Entradas impetuosas levara João Bento a exibir o cartão amarelo em jogo correto.

FICHA DO JOGO:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel, Catarino, Toni, Diogo Mateus (Duarte Basílio), Diogo Barrocas, Zé Pedro (Will Intumbi), Hélio Ocante, Marcos Patrício, Pedro Damas (Rui Sousa), Diogo Rocha e Manuel Vitor.
Suplentes não utilizados: Canais, Daniel Domingues, João Roldão e Luís Silva.
Treinador: Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

CLUBE DESPORTIVO AMIENSE:
Francisco, Costinha, Tiago Mateus, Peralta, Diogo Queiróz (Moleiro), Fábio Marques, Fábio Dâmaso (Monteiro), Quim Zé, Diogo Pereira (Bernardo Louro), Rama e Sandro.
Suplentes não utilizados: Lourenço, Luís Duarte, Berna e André Santos.
Treinador: Jorge Peralta.

Clube Desportivo Amiense.

GOLO:
Hélio Ocante (Abrantes).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Bento, Carlos Covão e Rafael Duarte.

Equipa de arbitragem: João Bento, Carlos Covão e Rafael Duarte com os capitães.

No final, como habitualmente, fomos ouvir os técnicos de ambas as equipas:

Paulo Seninho-Treinador do SAB.

 

Jorge Peralta-Treinador do Amiense.

*Com David Belém Pereira (fotos e áudio).

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here