Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Dois golos de Pisco dão vitória ao Tramagal frente ao Aldeiense em jogo com poucas oportunidades (C/ fotos e audio)

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E DESPORTIVA ALDEIENSE 0 – TRAMAGAL SPORT UNIÃO 2
Campeonato Distrital da AFS – 2ª Divisão – 3ª jornada
Campo Municipal
Montalvo
21-10-2018

- Publicidade -

Campo Municipal, em Montalvo.

Quem se deslocou a Montalvo, numa tarde pardacenta, a ameaçar chuva e com algum vento, não terá dado por mal empregue o tempo. O derby entre as equipas de duas terras vizinhas prometia animação até porque o Tramagal ainda não pontuara neste Campeonato.

- Publicidade -

Como seria expectável o jogo começou em toada de equilíbrio, com as equipas a apostarem em defesas sólidas e a procurarem, com rápidas transições chegar ao extremo reduto dos contrários.

Com treinadores e jogadores que se conhecem bem as equipas iam-se anulando mutuamente. As iniciativas atacantes esbarravam em cortinas defensivas robustas.

Pisco em apoio à sua defesa.

Foi necessário esperar meia hora para os níveis de adrenalina subirem. Leandro ganhou a linha de fundo, pela direita, e um centro rasteiro cruzou toda a área sem que alguém a interceptasse. Singéis, deslumbrado pela oferta, fez o mais difícil: atirou ao lado quando os apaniguados da borboleta já gritavam golo. Momento infeliz do avançado “metalúrgico”.

A resposta veio seis minutos depois na forma de um livre superiormente batido por Nélson ao primeiro poste e a obrigar Jaime a aplicar-se, a punhos, para esconjurar o perigo.

Aldeiense leva perigo à baliza de Jaime.

O jogo voltou a “adormecer” e continuava-se a jogar longe das balizas. Até que aos 43 minutos Singéis entrou na área do Aldeiense, solto de marcação, e na cara de Carlos Branco assistiu Gonçalo Fernandes que permitiu a intervenção de um defesa e a bola perdeu-se pela linha final.

O Tramagal desperdiçou as poucas oportunidades que lhe surgiram na primeira parte. O intervalo chegou com justiça no marcador e a saber a pouco. Lutou-se muito no meio campo e percebia-se as cautelas defensivas. Ninguém queria perder o derbi…

Defesas foram superiores aos ataques.

No reatamento, na primeira posse de bola dos “azuis”, vários remates esbarraram na defensiva aldeiense sem que ninguém afastasse o esférico que acabou por sobrar para Pisco que encheu o pé e fuzilou a baliza à guarda de Carlos Branco. O Tramagal passou para a frente do marcador logo aos 49 minutos de jogo.

Num jogo equilibrado era de supor que um erro defensivo poderia ser fatal. Este golo teve o condão de obrigar a equipa da Aldeia de Santa Margarida a subir linhas e a procurar ter mais bola. Conseguiu jogadas bem delineadas mas expunha-se a venenosos contra ataques.

Pisco, com dois golos, foi o “homem do jogo”.

O jogo passou a ter mais intensidade e algumas faltas mais duras chegaram mesmo a ser motivo para a amostragem de amarelos. As bolas paradas começaram a ser opção.
Aos 54 minutos Gonçalo Fernandes, na cobrança de um livre, assistiu Singéis que, de cabeça, atirou por cima do travessão.

À passagem do quarto de hora da segunda parte, em rápida transição ofensiva, permitiu a Singéis nova emenda ao lado. Os visitantes continuavam mais objectivos e foi sem espanto que se viu Gonçalo Fernandes, aos 62 minutos, receber o esférico à entrada da área, levantar a cabeça e descobrir Pisco sem marcação. Este voltou a não falhar e bisou no encontro.

Gonçalo Fernandes assiste para o segundo de Pisco e do jogo.

O Tramagal, com o marcador a acusar a vantagem de dois golos, confortável no encontro, permitiu o adiantamento da equipa de Pedro Varino que entrou no seu melhor período.
Foram-se construindo oportunidades mas o marcador não se alterava.

Aos 72 minutos, Moreno, na sequência de um canto, rematou cruzado e a bola passou perto da baliza de Jaime. Dois minutos depois foi a vez de David rematar já em desequilíbrio por cima. Poderá ter sido vítima de entrada à margem das leis. O árbitro mandou jogar.

A equipa de Rui Horta ia fechando os caminhos da sua baliza e o remate de longe de João Lopes aos 84 minutos terá sido a última chance de reduzir. O esférico saiu muito por cima dos ferros da baliza à guarda de Jaime.

Muita intensidade levou à amostragem de alguns cartões.

Com o tempo esgotado foi mostrada a placa com cinco minutos de compensação. Tempo ainda para Leandro rematar fraco, no coração da área, para defesa fácil de Carlos Branco. O mesmo Carlos Branco que iria aplicar-se no último momento do encontro opondo-se a livre bem batido.

Carlos Branco adiantado no terreno.

O jogo terminou com uma vitória justa da equipa mais eficaz. O Aldeiense foi penalizado por duas desatenções defensivas. Em jogo de equilíbrios fez toda a diferença. A equipa de arbitragem não teve influência no resultado.

Calado tenta organizar o seu ataque.

FICHA DO JOGO

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E DESPORTIVA ALDEIENSE:
Carlos Branco, Dário, Ulisses, João Rodrigues, Nélson, Wilson, Moreno (Paulo Ferreira), David, João Lopes, Pedro Brito (Rúben) e João Oliveira (Santana).
Suplentes não utilizados: Norberto, Pika, Miguel e Rui Pedro.
Treinador: Pedro Varino.

ACD Aldeiense.

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
Jaime, André Miguel, Alfaro, Condeixa, Tonicha, Rui Costa, Gonçalo Fernandes, Calado (Monteirinho), Pisco, Leandro e Singéis (Dany).
Suplentes não utilizados: Félix, Veiga, Rui Leal, Ruivo e Valente.
Treinador: Rui Horta.

Tramagal Sport União.

GOLOS:
(2)Pisco (Tramagal)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Anthony Silva, Pedro Santos e Afonso Claudino.

Equipa de Arbitragem: Anthony silva, Pedro Santos e Afonso Claudino com os capitães.

DISCIPLINA
Cartão amarelo: Dário e David (Aldeiense); Condeixa, Costa e Pisco (Tramagal).

No final do encontro ouvimos ambos os técnicos:

Pedro Varino-Treinador do Aldeiense.

Rui Horta, treinador do Tramagal SU

Com David Belém Pereira (fotos).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome