Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Com o regresso dos séniores, Sport Abrantes e Benfica (SAB) assume “conceito global de futebol total” (C/VIDEO)

O Sport Abrantes e Benfica (SAB) e a União Desportiva Abrantina (UDA) idealizaram e concluíram um processo de integração que deu origem a uma única coletividade e que mantém o nome do centenário SAB, clube que faz assim regressar o futebol sénior após uma ausência de quase três décadas. Com mais de 200 atletas em competição, o SAB é o único clube do concelho de Abrantes com todos os escalões de formação no ativo nesta época desportiva.

- Publicidade -

Burilados “os aspetos técnicos, administrativos, logísticos e financeiros”, a integração da UDA no SAB foi um processo tão “corajoso” quanto “natural”, tendo os dois clubes entendido que “este é o caminho que poderá levar à evolução do futebol em Abrantes, para além de permitir uma racionalidade de meios económico-financeiros e logísticos adaptados à realidade atual”.

Gonçalo Manito, diretor desportivo do SAB, Paulo Neto, presidente do clube, e António Carvalho, vice-presidente. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

O mediotejo.net entrevistou três elementos decisivos para o desenrolar deste processo e que assumem posições de destaque na estrutura dirigente do Sport Abrantes e Benfica. Desde logo, o vice-presidente do SAB, António Carvalho, e Gonçalo Manito, ex-diretor da UDA e atual diretor desportivo do SAB, e também Paulo Neto, o presidente da direção do clube abrantino.

O mediotejo.net começou por falar com António Carvalho, vice presidente do Sport Abrantes e Benfica, a quem perguntou “como começou este processo”…

António Carvalho – O processo foi que eu e o Gonçalo Manito tivemos várias conversas na época passada onde falámos na integração da parte deles no Sport Abrantes e Benfica, nomeadamente os seniores. E, no final de muitos diálogos, conversação, e troca de ideias vimos que seria o melhor para os dois e daí nasceu este projeto comum.

Há quase 30 anos que não havia futebol sénior no SAB…

O Sport Abrantes e Benfica há sensivelmente 20 anos ou mais… até é engraçado porque há aí um treinador que está nos nossos juvenis, que é o senhor Manuel, foi dos últimos guarda-redes da equipa sénior do SAB e agora é treinador. E Há aqui uma coisa que é preciso ter em conta: 60, 70 ou 80 por cento dos atletas seniores [da ex-UDA e atual SAB] foram todos atletas que foram criados e aprenderam a jogar à bola no Sport Abrantes e Benfica, o que é um fator muito importante. Até há muitos deles de quem fui director nos escalões de iniciados, de juvenis, de juniores, etc. Dá gosto e dá gozo ter esta equipa de seniores.

António Carvalho, vice-presidente do Sport Abrantes e Benfica. Foto: mediotejo.net

O diretor desportivo do SAB é Gonçalo Manito, que vem precisamente da União Desportiva Abrantina…é um dos elementos integrados no SAB no âmbito deste projeto…

Gonçalo Manito – O processo acabou por ser natural. Quando entrei para a União Desportiva  Abrantina, há cerca de 4 anos, tento eu como o actual treinador, o Paulo Fernando, na altura director desportivo, digamos que era uma ideia que já tínhamos em mente há muito tempo. Agora nós também sabíamos que para as coisas se fazerem é preciso ganhar confiança de uma parte e de outra e ao longo destes 4 anos foi aquilo que fomos fazendo. Fomos fazendo o nosso trabalho de maneira a ganhar confiança, fomos fazendo porque queríamos fazer bem, mas fomos sendo rigorosos, fomos fazendo as coisas da melhor maneira que conseguíamos, e com poucos recursos em relação aos clubes com os quais disputávamos os nossos campeonatos, mas, e ao fim e ao cabo, mais durante a época passada, nós começámos – eu e o senhor António e o Paulo – começamos a trocar opiniões, a falar de como isto poderia ser feito, começámos a saber exactamente como as coisas funcionavam de um lado e de outro, começamos a saber quais eram os pontos de contacto, quais é que eram as divergências. Os pontos de contactos eram fáceis, as divergências fomos procurando saber como as poderíamos limar. Depois, no final do ano passado juntámos várias pessoas, responsáveis por ambos os clubes e decidimos que seria a melhor maneira, aquilo que era melhor para o futebol em Abrantes, aquilo que acabava por ser melhor para os jovens ou para aqueles que praticam futebol, independentemente da colectividade que representavam. Achámos que era a melhor opção para todos e decidimos avançar com coragem, ouvindo algumas criticas, que existiram e vão sempre existir, mas sempre com a certeza que íamos fazer um bom trabalho, que as coisas iam correr bem e cá estamos nós no dia de hoje, com 5 equipas de futebol de 11, quatro equipas de futebol 7, prestes a atingir se calhar este ano a barreira dos 200 atletas e isso também nos deixa orgulhosos. Chegar a este ponto e ter um clube enorme, um clube centenário, um dos dois centenários da Associação de Futebol de Santarém, com esta dinâmica, nesta época de 2018/2019.

Gonçalo Manito é o diretor desportivo do Sport Abrantes e Benfica. Foto: mediotejo.net

Hoje veste de corpo e alma a camisola do centenário Sport Abrantes e Benfica…

Um grande amigo meu, noutro clube onde estive com ele dizia muita vez que os clubes eram as pessoas que estavam envolvidas, eram os atletas, os directores, os treinadores e que os símbolos eram ilustrações. Naturalmente a história do SAB merece todo o respeito, a história recente da União Abrantina que nós construímos também acho que merece algum respeito e que nos seja atribuído algum mérito por isso, mas o mais importante para mim são as pessoas mais do que os clubes e hoje estou aqui porque já tinha muitos amigos na Abrantina e agora tenho mais amigos no SAB.

Paulo Neto, como presidente da direção do SAB, foi preciso alguma coragem para avançar com um processo que é pouco usual acontecer?

Paulo Neto – Não só coragem, como determinação. Isto foi uma ideia pensada e já há umas 3 épocas atrás eu e o António Carvalho fomos acercados por alguém da parte desportiva do município que nos perguntou se nós não tínhamos ideia de ter o futebol sénior. Claro que já o tivemos há cerca de 30 anos e era um desafio, mas como todos os desafios têm de ser encarados com o máximo de seriedade. Somos um clube que no concelho de Abrantes tem todos os escalões de formação e agora o futebol sénior, ou seja temos 200 atletas, aliás, já ultrapassámos a barreira dos 200 atletas. É claro que este desafio era muito importante para nós para aproveitar todo o potencial que nós temos da formação, porque chegávamos aos juniores e dávamos os jogadores de braços abertos para quem os quisesse aproveitar e até mesmo àqueles que nunca os aproveitaram. Nesta altura podemos dizer que vamos querer aproveitar esta equipa que vem da UD Abrantina, cerca de 60, 70, 80 por cento foram jogadores com formação no SAB, e é um gosto que nós temos vê-los no campo depois de acabar a formação, ou seja depois dos juniores, poder vê-los a crescer de novo no campo. É claro que o desafio que nos foi feito, o desafio que nós quisemos encarar junto com a UDA não é uma fusão, não é uma integração, é sim integração dos elementos que nos faltavam para encarar o futebol sénior e não só, porque também temos alguns elementos nas outras camadas, nomeadamente atletas, directores e treinadores, assim como directores que vamos aproveitar porque eles também estavam empenhados na época passada noutros escalões. O que nos faz falta é pessoal de trabalho. É por isso que decidimos abraçar este projecto que não é fácil, foi bem pensado, com os pés assentes no próprio chão que pisamos, porque queremos ver a evolução, queremos ver o futebol a evoluir e nunca a regredir. E com esse espírito é que abraçámos este projecto que é uma continuidade ao nosso futebol de formação. E foi esse conceito, para nós termos uma abrangência na continuidade do futebol, ou seja podermos dizer que temos atletas dos 4 aos 40, se tiverem capacidade de poder jogar.

Paulo Neto, presidente da direção do Sport Abrantes e Benfica. Foto: mediotejo.net

É o único clube com todos os escalões em Abrantes…o verdadeiro conceito abrangente de futebol total…

Exatamente. No concelho de Abrantes somos os únicos que temos os escalões todos de formação e seniores nesta época.

E a jogar aqui no Estádio Municipal de Abrantes, um palco desportivo com excelentes condições…

Sim, este é o nosso palco principal dos seniores, também nos juniores, e fica o convite à população abrantina e quem nos quiser apoiar e aos nossos atletas. Ao domingo à tarde iremos concretizar aqui os jogos, nos sábados à tarde iremos ter aqui jogos também. São jogos oficiais, é o nosso palco principal e só falta a população abrantina apoiar-nos e trazer para junto dos atletas um número significativo para que nós possamos pensar mais além. Nesta altura podemos pensar no dia de hoje na segunda divisão distrital e as contas finais irão ser feitas lá mais para a frente.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome