Futebol | Caxarias com preparação mais adiantada venceu no Tramagal (c/fotos e áudio)

Jogo teve momentos bem interessante.

TRAMAGAL SPORT UNIÃO 0 – CENTRO DE CULTURA E DESPORTO DE CAXARIAS 4
Campeonato Distrital da AFSantarém-2ªDivisão-Série A
Campo Comendador Eduardo Duarte Ferreira
Tramagal
12-10-2020

PUB

Num início de época atípico a bola voltou a rolar nos campos das equipas da divisão secundária da Associação de Futebol de Santarém (AFS).

Campo Comendador Eduardo Duarte Ferreira.

No Comendador, em Tramagal, o clube da casa recebeu o Caxarias após muitas hesitações e incertezas o que levou a atrasos na preparação, tendo o início dos trabalhos ocorrido há apenas duas semanas. Os visitantes, com oito semanas de trabalho, apresentaram uma intensidade de jogo que veio a revelar-se decisiva no desenrolar da partida e no resultado.

PUB
Enquanto houveram forças o equilíbrio foi nota dominante.

O jogo começou em toada de equilíbrio com as equipas a encaixarem rapidamente e a bola a alternar a sua posse pelos dois conjuntos. Aos três minutos, o Tramagal beneficiou dum livre ainda longa da baliza adversária. O capitão Gonçalo Fernandes bateu colocado mas o guarda redes Francisco Ferreira defendeu sem dificuldade.

A resposta veio logo a seguir com o brasileiro Felipi Rigoleto a rematar forte da meia distância mas com o esférico a ganhar altura, não incomodando João Félix.

PUB
Gonçalo Fernandes ganha nas alturas.

As equipas tentavam explanar o seu jogo à largura do campo procurando ganhar a linha de fundo para daí servir os atacantes. Com as formações a defenderem com segurança os lances de perigo foram inexistentes durante largos períodos.

Aos 11 minutos, o ala direito da equipa da casa, André Miguel, conseguiu “arrancar” um cruzamento bem medido mas a defesa dos “negro-rubros” foi lesta a esconjurar o perigo.
Na resposta, no minuto seguinte, o Caxarias ensaiou um perigoso contra ataque mas o auxiliar inviabilizou a jogada, assinalando posição irregular dum jogador forasteiro.

Tramagal usou os lances de bola parada para criar perigo.

À passagem do quarto de hora o Tramagal ganhou um canto mas o remate de Garcia não encontrou as redes da baliza adversária. Nem de bola parada os “metalúrgicos” levavam perigo ao reduto do guarda redes Francisco Ferreira.

As bolas paradas, tal como a meia distância, começaram a ser opção já que as defesas se iam superiorizando aos ataques.

Aos 24 minutos Afonso rematou de longe mas sem acertar com a baliza de João Félix.
Novo livre, aos 28 minutos, para a equipa liderada por Júlio Batista, batido de forma irrepreensível por Gonçalo Fernandes, tendo passado a bola muito perto do poste da baliza.

Afonso deu muito trabalho à defensiva azul.

À meia hora Francisco Oliveira, central da equipa da casa, fez uma falta em zona proibida que lhe valeu o cartão amarelo e deu lugar a um livre para o Caxarias em local muito perigoso, à entrada da área. Um primeiro remate esbarrou na barreira dos “azuis” e sobrou para Afonso que encheu o pé levando o esférico a ganhar altura e a perder-se pela linha de fundo.

Aos 32 minutos o Tramagal gizou a sua melhor jogada na partida. Gonçalo Fernandes, lançado em velocidade, ganhou a linha de fundo pelo lado esquerdo e cruzou atrasado para Grilo que vinha em corrida. O remate, na passada, não passou longe…

Na resposta o Caxarias chegou ao golo em jogada semelhante, pelo lado direito com Rigoleto a assistir Afonso que encostou para o fundo das redes de João Félix.

Rigoleto assistiu Afonso para o primeiro golo.

Aos 33 minutos os visitantes adiantaram-se no marcador, criando dificuldades acrescidas à equipa de Júlio Batista que começava a denotar pouca eficácia ofensiva.

Aos 37 minutos a cartolina amarela voltou a saltar do bolso do árbitro João Lopes. Uma entrada muito dura de Marco Freitas sobre o capitão Gonçalo Fernandes justificou a amostragem do amarelo a descair para o alaranjado!

Gonçalo Fernandes sofre falta dura.

Já em tempo de desconto Afonso ainda rematou forte contra um defensor da equipa da casa. Na resposta o Tramagal ganhou um canto que permitiu a Tiago Roma atirar muito perto da baliza de Francisco Ferreira.

O intervalo chegou com um resultado favorável à equipa de Caxarias, justificado na maior eficácia atacante num jogo agradável de seguir pautado pelo equilíbrio.

Equilíbrio foi a nota dominante.

As equipas regressaram dos balneários sem alterações nas respetivas formações, adivinhando-se uma segunda parte equilibrada com o resultado a ser decidido nos pormenores. A perder, a equipa da casa surgiu mais atacante e logo aos 50 minutos David Nunes, na cobrança dum livre, disparou colocado com a bola a passar muito perto da baliza do Caxarias.

Na resposta o perigoso atacante Afonso executou um centro remate que não chegou a incomodar João Félix. No melhor período dos tramagalenses os lances iam-se sucedendo com sinal mais para os da casa. Aos 61 minutos um livre assinalado ao Caxarias levou o árbitro a “amarelar” Rigoleto por se ter excedido nos protestos.

Pouco depois um cruzamento tenso de Pedro Alves obrigou Francisco Ferreira a saída arrojada perante a ameaça de Garcia e Grilo em posição de tiro. Recolhido o esférico, o guarda redes lançou o rápido contragolpe, apanhando a defensiva da casa desposicionada.

Felipi Rigoleto preferiu testar a sua meia distância e obteve um golo de belo efeito à passagem do minuto 62.

Júlio Batista com tarde cheia de contrariedades.

Aumentavam as preocupações do treinador Júlio Batista. A sua equipa não só não marcou no período de maior ascendente como, com novo erro posicional, sofreu o segundo golo, começando o resultado da partida a parecer irremediavelmente perdido.

Os lances de maior perigo junto à baliza dos visitante vinham das bolas paradas. Um livre aos 70 minutos obrigou Francisco Ferreira a saída arrojada a punhos. O pontapé de ressaca passou por cima.

Francisco Ferreira com tarde tranquila no seu regresso ao Comendador.

Aos 73 minutos, Singéis, com apenas nove minutos no jogo, foi obrigado a travar um contra ataque do Caxarias a meio campo. O árbitro exibiu-lhe o cartão amarelo. Os protestos excessivos, na opinião do juiz da partida, excluiram Singéis do jogo ficando o Tramagal a jogar em inferioridade numérica.

Dois minutos depois nova “machadada” nas aspirações dos “azuis”. Nalha tem uma entrada temerária, perto da sua área, e o árbitro não contemporizou. O vermelho direto, o segundo em dois minutos, deixou o Tramagal com nove jogadores em campo e com um quarto de hora para jogar.

Cartões “mataram” o que restava do jogo.

Estava difícil a vida para os pupilos de Júlio Batista. Aliada à inferioridade numérica o menor ritmo e tempo de trabalho começava a fazer mossa. Um livre direto, superiormente cobrado por Afonso, aos 79 minutos, apenas veio confirmar o que se pressentia.

As expulsões “mataram” o jogo e só o fator sorte poderia evitar um resultado volumoso.
Com os jogadores a apresentarem debilidades físicas, ainda houve tempo, no primeiro dos três minutos da compensação, para um grande golo de Barnabé. Um potente remate do “meio da rua” bateu João Félix de forma inapelável, fechando as contas do jogo.

Jogo agradável, equilibrado e com bons pormenores, com um justo vencedor, apesar dos números serem exagerados. A diferença de tempo de trabalho foi notória, penalizando a equipa da casa.

Com a interdição de público nas bancadas foram largas as dezenas que a partir do exterior fizeram chegar o seu apoio à equipa da casa.

Arbitragem com alguns equívocos, sendo o “pecado capital” a exclusão de Nalha com uma falta idêntica a um adversário que apena viu ser exibido o amarelo. Dualidade de critério a evitar…

Apesar das regras sanitárias não permitirem público o apoio chegou do exterior.

Ficha do Jogo

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Félix, André Miguel, Pedro Alves, Francisco Oliveira, Gonçalo Fernandes, Nalha, Baião, David Nunes, Grilo (Bráz), Roma (Tiago Gonçalves) e Garcia (Singéis).
Suplentes não utilizados: Serafim, Dias e Pisco II.
Treinador: Júlio Batista.

Tramagal Sport União.

CENTRO DE CULTURA E DESPORTO DE CAXARIAS:
Francisco Ferreira, Faustino, Marco, Manuel, Joel, Dominic (Phill), Telmo Ferreira, Afonso, Breno (Barnabé), Felipi Rigoleto (Filipe Gonçalves) e Luís Lopes.
Suplentes não utilizados: André, Diogo e Piri.
Treinador: Marco Marques.

Centro de Cultura e Desporto de Caxarias.

GOLOS:
Afonso (2), Felipi Rigoleto e Barnabé (Caxarias).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Lopes, João Lamas e Daniel Chaves.

Equipa de Arbitragem: João Lopes, João Lamas e Daniel Chaves com os capitâes.

No final fomos ouvir os treinadores:

Júlio Batista-Treinador do Tramagal Sport União.

 

Marco Marques-Treinador do Caxarias.

Com David Belém Pereira (multimédia).

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here