PUB

Futebol | Atalaiense venceu em Alferrarede e ocupou vaga para a fase seguinte (c/fotos e audio)

CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO DE ALFERRAREDE “OS DRAGÕES 0 – UNIÃO DESPORTIVA ATALAIENSE 3
Campeonato Distrital AFS – 2ª Divisão – Série A
Estádio CUF
Alferrarede
22-04-2018

PUB

Adiado por falta de policiamento o jogo decorreu dentro da normalidade.

Num jogo adiado por ausência de policiamento que tanta tinta fez correr ao longo da semana a União Desportiva Atalaiense venceu de forma categórica e apurou-se para a fase de apuramento do Campeão da 2ª Divisão e acesso à subida.

PUB

Numa tarde anormalmente quente e com a relva em excelentes condições o público compareceu em número escasso atendendo ao que estava em jogo. A equipa da Atalaia, consciente que só a vitória lhe servia entrou disposta a marcar cedo mas sem correr riscos.

O Alferrarede, com muita juventude, fez da velocidade a sua arma e os defensores visitantes estavam de sobreaviso.

Muitos jovens em ambos os conjuntos.

O primeiro lance de perigo aconteceu ao minuto nove com David a cabecear com o guarda redes da casa batido. Um dos centrais tirou para canto. O maior caudal ofensivo da Atalaia viria a dar frutos no minuto seguinte: cruzamento do lado direito a apanhar Ivo sem marcação já dentro da área e este a encher o pé e a “fuzilar” a baliza à guarda de Valegas.

Após o golo a equipa que viajou do concelho da Barquinha passou a gerir o esforço e a dar mais iniciativa à equipa da casa.

Veterano Luís Contente organiza o seu meio campo.

Aos 22 minutos Diogo Cartaxo ensaiou um forte disparo fora da área que saiu por cima do travessão da baliza de Filipe.
À passagem do minuto 27 foi a vez da veterania fazer mossa. O defesa Miranda apareceu a desiquilibrar na área dos “Dragões”, ensaiou um primeiro remate, defendido por Valegas e a bola voltou a sobrar para Miranda. De cabeça, não perdoou e aumentou a contagem.

Miranda rematou para defesa de Valegas e na recarga fez golo.

Reagiu a equipa da casa e começou a abeirar-se da baliza de Filipe com algum perigo. Ganhou alguns cantos e à passagem da meia hora enviou uma bola ao travessão. Estava em crescendo a jovem equipa de Nuno Mateus.

Aos 34 minutos Diogo Cartaxo isolou-se e permitiu a defesa de Filipe. Em cima do tempo de intervalo Pedro Lourenço entrou na área atalaiense com a bola dominada e rematou ao lado.
Pouco depois o árbitro Henrique Paula mandava toda a gente para as cabines.

Alferrarede vendeu cara a derrota.

Após o descanso o jogo recomeçou na mesma toada da primeira parte. Maior domínio dos “axadrezados” com os “Dragões” à espreita duma oportunidade para reduzir.

Aos 54 minutos Sérgio Salgado caiu na área do Alferrarede, pediu-se grande penalidade mas o árbitro, em boa posição, assinalou pontapé de canto.

O veterano David, sempre muito dentro do jogo, teve uma soberana ocasião aos 57 minutos. O remate saiu ao lado.

Dois minutos depois numa bola longa que o guarda redes Valegas não conseguiu interceptar permitiu a Zé Carlos marcar o terceiro golo da Atalaiense e fixar o resultado final.

Falhanço de Valegas permitiu o golo a Zé Carlos.

O Alferrarede queria dignificar a partida e procurou o “golo de honra”. Dispôs de algumas ocasiões, incomodou o guarda redes Filipe mas sem conseguir marcar. Expunha-se ao contra ataque “axadrezado” e ao minuto 78 Diogo Cartaxo cabeceou sem o guarda redes Valegas na baliza.

Valeu, na circunstância, David Marques que tirou sobre a linha de golo. O jogo entrou numa fase menos bonita, com entradas à margem da lei que o árbitro sancionou com cartões amarelos.

Entradas duras valeram alguns cartões.

Prevaleceu o bom senso e o jogo decorreu dentro dos parâmetros da lei. Já com o final da partida a aproximar-se rapidamente o Alferrarede podia ter marcado, aos 86 minutos, quando Dário Milagaia rematou dentro da pequena área. A bola foi à malha lateral mas pelo lado de fora.

Em cima do tempo regulamentar Alcarraio quis ficar na história da partida mas o guarda redes Valegas, com valorosa intervenção, defendeu para canto.

Alcarraio visa a baliza dos “Dragões”.

Pouco depois o árbitro Henrique Paula apitou pela derradeira vez no encontro. Jogo de fim de época, lento, com os jogadores a acusarem o calor. Ainda assim com momentos de bom recorte.

Vitória justa da Atalaiense que segue para a fase seguinte. O Alferrarede, com uma época abaixo daquilo que são os pergaminhos do Clube, tem lançada a semente para o futuro. Tem jovens com qualidade e vai regressar mais forte.

Arbitragem de Henrique Paula e seus assistente sem problemas de maior. Quis ter um critério largo mas quando os excessos aconteceram conseguiu segurar o jogo. Positivo.

Ricardo Falcão, ex-capitão dos “Dragões” homenageado pelo Clube.

FICHA DE JOGO

CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO DE ALFERRAREDE “OS DRAGÕES”:

Valegas, Júlio Delaunay, Tó Santos (Luís Contente), Luís Loureiro, Dário Milagaia, Ricardo Amaral, Pedro Lopes (Pedro Bráz), Pedro Damas, Pedro Lourenço (David Marques) Eládio Amorim e Filipe Marta.
Suplentes não utilizados: Luís Santos, Tiago Matos, Nuno Mateus e Vitor Leitão.
Treinador: Nuno Mateus.

Clube Desportivo e Recreativo de Alferrarede “Os Dragões”.

UNIÃO DESPORTIVA ATALAIENSE:
Filipe, Alfaro, Miranda, Silva, Alcarraio, Cadete, Sérgio Salgado, Diogo Cartao, Ivo (João Lopes), David (Artur) e Zé Carlos (Pimentel).
Suplentes não utilizados: Rafa, Dany, Rodrigo e Henrique.
Treinador: João Paulo.

União Desportiva Atalaiense.

GOLOS: Ivo, Miranda e Zé Carlos (Atalaiense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Henrique Paula, André Clemente e Adriano Chora.

Euipa de arbitragem: Henrique Paula, André Clemente e Adriano Chora com os capitães.

No final ouvimos o Treinador da Atalaiense, João Paulo:

João Paulo-Treinador da UD Atalaiense.

Igualmente falámos com Nuno Mateus, Presidente e Treinador dos “Dragões”, que nos fez um balanço deste campeonato e projetou o futuro do Clube:

Nuno Mateus-Presidente e Treinador dos “Dragões”.

*Com David Pereira (fotos).

 

PUB
PUB
Jorge Santiago
Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).