Futebol: As alteração às leis do jogo – Parte II

Por Jorge Beirão

PUB

Como já foi notado pelos apaixonados do futebol, o IFAB – International Football Association Boar, aprovou no passado mês de março, alterações às leis do jogo.

Tendo como objectivo, ajudar todos os interessados a conhecer e compreender o jogo de futebol, quanto às suas leis e em particular no que respeita às novas alterações, continuamos hoje a nossa abordagem às alterações do IFABoard às leis do jogo, antes porém e em relação à primeira pergunta, colocada para testar os conhecimentos dos nossos leitores, se respondeu letra B, acertou.

PUB

LEI 3 – OS JOGADORES

3.1 – Alteração do título

PUB

Texto antigo

Novo texto

O número de jogadores Os Jogadores

 

Explicação

O novo título reflete o facto de o conteúdo incluir referência a suplentes, etc.

 

3.2 – Número mínimo de jogadores

Texto antigo

Novo texto

Nenhum jogo pode começar se uma das equipas dispuser de menos de sete jogadores.

(…) embora um não possa COMEÇAR se uma das equipa dispuser de menos de sete jogadores, o número mínimo de jogadores de uma equipa necessário para que um jogo CONTINUE é deixado ao critério das federações membros. Contudo, o IFAB é de opinião que um jogo não deve continuar se uma das equipas dispuser de menos de sete jogadores.

Nenhum jogo pode começar ou continuar se uma das equipas dispuser de menos de sete jogadores.

 

Explicação

A recomendação do IFAB de que o número mínimo de jogadores para que um jogo continue torna-se Lei. Tal é coerente com o mínimo para se começar o jogo.

 

3.3 – Recomeços por substitutos

Texto antigo

Novo texto

Um substituto que não tenha completado o processo de substituição, entrando no terreno de jogo, não pode recomeçar o jogo, executando um lançamento lateral ou um pontapé de canto. O substituto pode recomeçar o jogo desde que já tenha entrado no terreno de jogo.

 

Explicação

Clarifica que um substituto que penetre no terreno de jogo pode efetuar qualquer recomeço, incluindo um pontapé de canto ou um lançamento lateral; há quem interprete erradamente a redação “antiga” como se esta exigisse que o jogo tivesse recomeçado antes que um substituto pudesse efetuar um recomeço.

 

3.4 – Substituto designado inicia o jogo em vez de um jogador designado

Texto antigo

Novo texto

Se no início do jogo, entrar um suplente no terreno de jogo em vez de um efetivo e o árbitro não for informado dessa mudança

·        o árbitro permite que o suplente continue em jogo (…)

 

Se um suplente iniciar o jogo em vez de um efetivo e o árbitro não for informado dessa mudança:

·        o árbitro permite que o suplente continue em jogo (…)

 

 

Explicação

Clarifica que, se um efetivo é “substituído” por um suplente antes de o jogo ter início, o jogador, ao chegar, pode ser suplente. É mais lógico, que tal tenha efeito quando o jogo se inicia do que quando o suplente entra no terreno de jogo.

 

3.5 – Pessoas a mais dentro do terreno de jogo – estatuto do jogador expulso

Texto antigo

Novo texto

Qualquer pessoa que não conste da ficha de jogo de uma equipa como jogador, suplente, técnico ou dirigente é considerado um elemento estranho, tal como um jogador expulso. Qualquer pessoa que não conste da ficha de jogo de uma equipa como jogador, suplente, técnico ou dirigente é considerado um elemento estranho.

 

Explicação

É mais lógico tratar um jogador expulso como um suplente, para que um jogador que regresse ao terreno (tendo sido expulso) seja penalizado com um pontapé-livre.

 

3.6 – Infrações pelos suplentes e elementos oficiais das equipas

Texto antigo

Novo texto

Se um suplente ou um jogador substituído penetra no terreno de jogo sem autorização do árbitro:

·        se o árbitro interrompeu a partida, o jogo recomeçará com um pontapé-livre indireto…

Se um elemento oficial de uma equipa entra no terreno de jogo:

·        se o árbitro interromper o jogo, deverá recomeçá-lo com um lançamento de bola ao solo…

Se o jogo é interrompido e a interferência foi causada por:

·        um elemento oficial de uma equipa, um suplente ou um jogador substituído ou um jogador expulso, o jogo recomeça com um pontapé-livre direto ou pontapé de penálti

 

 

Explicação

Existe um problema crescente relacionado com a entrada no terreno de suplentes ou elementos oficiais das equipas para interferir com o desenrolar do jogo ou com o adversário, por exemplo impedir um golo. Tal é claramente “injusto” e um pontapé-livre direto (ou pontapé de penálti, se for dentro da área de penálti) é o mais apropriado.

 

3.7 – Jogador que é expulso antes ou após o pontapé de saída

Texto adicional

Um jogador que é expulso:

  • antes de ser entregue a ficha de jogo não pode ser designado na mesma seja em que qualidade for
  • depois de ser designado na ficha de jogo e antes do início do jogo pode ser substituído por um suplente designado (que não pode ser substituído)
  • após o início do jogo não pode ser substituído

Explicação

Clarifica que um jogador expulso pode ser substituído.

 

3.8 – Impacto causado pelo facto de um substituto, elemento oficial da equipa ou elemento estranho tocar na bola que se dirige para a baliza

Texto antigo

Novo texto

Nas situações referidas no ponto 3.6, o árbitro deve interromper o jogo, se o “intruso” interferir com o desenrolar do jogo ou tocar na bola

Se um elemento estranho entrar no terreno de jogo:

• o árbitro deve interromper o jogo (mas não imediatamente se o elemento estranho não interfere no desenrolar do jogo)

Se a bola se dirige para a baliza e a interferência não impede um jogador defensor de jogar a bola, o golo é validado se a bola entrar na baliza (mesmo que tenha havido contacto com a bola), salvo se a bola entrar na baliza adversária.

 

Explicação

Esta alteração de ‘fair play’ significa que, se uma tentativa de impedir um golo for mal sucedida, o árbitro pode validar o golo (ver 3.9).

 

3.9 – Golo obtido com uma pessoa a mais dentro do terreno de jogo

Texto antigo

Novo texto

Se após a obtenção de um golo, o árbitro se apercebe, antes de o jogo recomeçar, que uma pessoa a mais se encontrava dentro do terreno de jogo no momento em que o golo foi obtido:

• o árbitro deve invalidar o golo se:

·        a pessoa a mais era um estranho e teve interferência no jogo

·        a pessoa a mais era um jogador, suplente, substituído ou oficial da equipa que marcou o golo

 

Se, após a obtenção de um golo, o árbitro se apercebe, antes de o jogo recomeçar, que uma pessoa a mais se encontrava dentro do terreno de jogo no momento em que o golo foi obtido:

o árbitro deve invalidar o golo se a pessoa a mais era:

·        um jogador, suplente, jogador substituído, jogador expulso ou elemento oficial da equipa que marcou o golo

·        um elemento estranho que interferiu com o desenrolar do jogo, a menos que o golo resulte de uma situação como a descrita em “pessoa a mais dentro do terreno de jogo”

O jogo recomeça com um pontapé de baliza, pontapé de canto

Se, após a obtenção de um golo e após o jogo ter recomeçado, o árbitro se apercebe que uma pessoa a mais se encontrava dentro do terreno de jogo no momento em que o golo foi obtido, o golo não pode ser invalidado.

Se a pessoa a mais continuar no terreno de jogo, o árbitro deve:

• interromper o jogo

• ordenar a saída da pessoa a mais

• recomeçar o jogo com um lançamento de bola ao solo ou pontapé-livre, conforme for apropriado

O árbitro deve informar este facto às autoridades competentes.

 

Explicação

  • Incorpora-se o princípio descrito em 3.8 (acima)
  • Esclarece como recomeçar se for marcado um golo quando está uma pessoa a mais no terreno e o jogo ainda não recomeçou
  • Esclarece que, se for marcado um golo quando se encontrar uma pessoa a mais no terreno e o jogo já tiver recomeçado, o árbitro tem de permitir que o jogo continue e não pode invalidar o golo ou “anular” o período entre o golo e a descoberta da pessoa a mais

 

3.10 – Referência a capitão de equipa (da Lei 12)

Texto adicional

O capitão da equipa não tem qualquer estatuto ou privilégios especiais, mas tem um certo grau de responsabilidade pelo comportamento da equipa.

Explicação

É mais lógico ter esta frase na Lei 3 do que na Lei 12.

f

Teste os seus conhecimentos

Um elemento oficial entra no terreno de jogo e pontapeia a bola para canto, quando esta ia a entrar na sua baliza: Que decidir?

A – Livre direto e cartão amarelo.

B – Pontapé de penálti e expulsão.

C – Pontapé de penálti e amarelo.

D – Livre indireto e amarelo.

f

jorge-beirao-3
Jorge Beirão

(Jorge Beirão é licenciado em Educação Física pela Faculdade de Motricidade Humana. No futebol foi jogador, tendo sido campeão distrital nos escalões de formação. Foi treinador de seniores, mas foi na formação que conquistou três títulos distritais e várias permanências em campeonatos nacionais. Foi árbitro durante dez anos, entre as décadas de 70 e 80. Chegou a árbitro da primeira categoria distrital e fui durante seis épocas árbitro assistente da primeira divisão nacional) 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here