Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Apesar de boa réplica o Abrantes e Benfica venceu Rio Maior e perfila-se como candidato a campeão (C/fotos e audio)

SPORT ABRANTES E BENFICA 3 – RIO MAIOR SPORT CLUB 1
Campeonato Distrital AFS – 2ª Divisão – Apuramento do Campeão
Estádio Municipal
Abrantes
31-03-2019

- Publicidade -

Estádio Municipal de Abrantes.

Com vento fraco e um céu carregado de nuvens a ameaçarem chuva, o bem cuidado relvado do Municipal de Abrantes recebeu o tiro de partida para a fase de apuramento do Campeão da 2ª divisão e subida ao escalão maior das provas organizadas pela Associação de Futebol de Santarém. Frente a frente as equipas vencedoras das duas séries que antecederam esta fase e a promessa para os escassos assistentes de um jogo com qualidade. E foi o que se assistiu, com uma vitória justa do Abrantes e Benfica e boa réplica do Rio Maior.

- Publicidade -

No Municipal abrantino encontraram-se os vencedores das séries.

A equipa da casa cedo quis resolver a partida e logo no minuto inicial, na sequência de um livre, viu Zé Pedro rematar por cima. Pouco depois os “encarnados” voltam a beneficiar de um livre e Barrocas obrigou o jovem guarda redes Francisco Silva a defesa apertada com os punhos. O esférico sobrou para Zé Pedro que, num remate acrobático, de bicicleta, atirou ao lado.

Entrada forte do Abrantes a pôr em “sentido” a equipa riomaiorense. Aos cinco minutos, um cruzamento do lado esquerdo apanhou Marcos Patrício em boa posição para marcar. O guarda redes forasteiro ainda defendeu um primeiro remate mas a recarga de Diogo Barrocas foi fulminante. Estava aberto o ativo e para a equipa da casa.

Diogo Barrocas recargou com sucesso após grande defesa.

A resposta do Rio Maior levou perigo à baliza abrantina. Em transição muito rápida, Luís Barbosa ficou na cara de Joel e atirou fora do alcance do guarda redes. Valeu, na circunstância, o capitão Tony que tirou em cima da linha de golo.

Aos 12 minutos Diogo Barrocas, num cruzamento-remate, levou o esférico a passar muito perto da trave da equipa que viajou de Rio Maior. No minuto seguinte foi a vez de Diogo Mateus ameaçar numa “sobra” de um pontapé de canto. O guarda redes Francisco Silva opôs-se com classe.

Diogo Mateus tenta o golo.

A supremacia abrantina iria resultar no segundo golo à passagem do quarto de hora.
Tudo começou num remate de Zé Pedro contra Miguel Vaz com o esférico a perder-se pela linha de fundo. Na marcação, Zé Pedro foi assistido ao segundo poste e não desperdiçou, colocando os abrantinos na frente com dois golos de vantagem.

Na reposição o ucraniano Vladys caiu na área do Abrantes. Pediu-se grande penalidade mas o árbitro Roberto Felisberto, em boa posição, mandou prosseguir. Na resposta o guarda redes Joel “esticou” para Marcos Patrício, e este “fuzilou” Francisco Silva, obrigando-o a ceder canto.

Muito trabalho para o guarda redes riomaiorense.

Após uns minutos de acalmia Zé Pedro assistiu Marcos Patrício que, no entanto, se deixou antecipar. A postura atacante do Abrantes permitia a subida dos seus laterais e Miguel Catarino, aos 27 minutos, foi à ala direita obrigar o “keeper” contrário a defesa para canto.

Na sequência do mesmo, Zé Pedro tentou um “bonito” e de costas para a baliza obrigou Francisco Silva a defesa atenta. Só aos 34 minutos o clube de Rio Maior se voltou a abeirar da baliza de Joel. A cabeçada de Arnaldo Ferreira, já dentro da área, saiu fraca para defesa do guarda redes abrantino.

Valeu Tony em cima do risco fatal.

Em cima dos 40 minutos, na sequência de um livre, uma excelente combinação atacante da equipa de Abrantes resultou num remate de Bexiga para as luvas do guarda redes contrário. No minuto seguinte, de novo Bexiga, muito “dentro” do jogo, isolou-se mas permitiu que o guarda redes contrário chegasse primeiro.

Com um livre de Barrocas muito perto da baliza riomaiorense chegou o intervalo com o Abrantes e Benfica a vencer, justamente, por duas bolas. Até poderia pecar por escasso este resultado. O Rio Maior entregou o jogo à equipa abrantina e raramente conseguiu sair a jogar.

Resultado ao intervalo pecava por escasso.

O técnico do Rio Maior, Mauro Miguel, percebendo que tinha jogadores em posições importantes “amarelados” e que tinha de mexer no xadrez da sua equipa, lançou para a segunda metade do desafio nada menos que três jogadores. Resultou.

O Rio Maior, desde o primeiro minuto do complemento, apresentou uma atitude diferente, para melhor. Logo na bola de saída Henrique Graça disparou perto da baliza dos da casa. Logo a seguir o mesmo Henrique Graça cruzou do lado esquerdo obrigando a defensiva da casa a ceder canto.

Segundo tempo trouxe um Rio Maior de ataque.

Com linhas mais subidas e um futebol mais positivo, o Rio Maior instalou-se no meio campo contrário perante a apreensão de Paulo Seninho. Aos 52 minutos Vladys foi servido de forma primorosa mas fez falta atacante. “Cheirava” a golo no Municipal de Abrantes…

Confirmado no minuto 53 com um “golão” de João Sousa, entrado ao intervalo. De fora da área “encheu” o pé e o remate colocado não deu hipóteses a Joel. Que grande golo…!!!

João Sousa “saltou” do banco para marcar um golo fantástico.

Tocou o alarme na equipa abrantina e o Rio Maior voltou a “entrar” no jogo. A partida ganhou vivacidade com lances perto de ambas as balizas.

Aos 58 minutos, o endiabrado ala esquerdo do Rio Maior, Henrique Graça, arrancou um cruzamento bem medido para João Sousa e só a atenção de Joel evitou males maiores.
Na resposta, um cruzamento do lado direito do ataque abrantino proporcionou a Zé Pedro um oportuno remate que apanhou um defesa na viagem.

Zé Pedro deu muito trabalho à defensiva de Rio maior.

João Sousa estava de “pé quente” e novo remate de meia distância testou a colocação de Joel. Bexiga, afazer uma excelente partida, aos 68 minutos, ganhou a linha de fundo pelo lado direito, arrancou um cruzamento bem medido e deu a Zé Pedro o ensejo de bisar no jogo e aumentar o “score” para os abrantinos para 3-1. O que se seguiu não foi bonito de se ver…

Com alguns jogadores de ambas as equipas de cabeça perdida o árbitro teve dificuldade em serenar os ânimos. Resultado: duas expulsões para o Rio Maior e o Abrantes e Benfica reduzido a dez por exclusão de Diogo Rocha.

O árbitro foi “obrigado” a puxar dos cartões.

Com mais uma unidade em campo, o Abrantes controlou as operações apesar do Rio Maior, sem nada a perder, ir dando algum trabalho. O futebol começou a andar ausente do relvado e só algumas ações esporádicas iam levando perigo.

Marcos Patrício, o goleador dos “encarnados, em branco no encontro, queria deixar a sua marca. Aos 83 minutos teve uma arrancada que deixou para trás dois adversários diretos. O remate cruzado passou ao lado do poste mais distante. Respondeu Vladys, num rápido contra ataque, aos 86 minutos, mas o remate foi interceptado pela defensiva da casa.

Vladys podia ter marcado mas deixou-se antecipar.

O árbitro dava a indicação de cinco minutos de compensação. Tempo para João Sousa rematar fraco para defesa fácil de Joel. Ao cair do pano Zé Pedro tentou a “tripleta”.

Num mau atraso dos forasteiros, ganhou o esférico, embalou em velocidade, aguentou a carga faltosa de Geraldino, passou o guarda redes e quando se preparava para entrar com a bola baliza adentro permitiu o corte de Geraldino.

Zé Pedro podia ter chegado ao “hat trick” neste lance.

Do outro lado do campo Miguel Catarino viu o segundo amarelo e as equipas ficaram a jogar com nove elementos. Terminou com emoção uma partida bem disputada, com um justo vencedor. O Rio Maior, equipa jovem mas com qualidade, pode queixar-se de si própria.

Bem o árbitro, Roberto Felisberto, ao tentar segurar o jogo de forma pedagógica. Quando os jogadores complicaram cumpriu os regulamentos e usou os cartões. Não se intimidou com a pressão que vinha dos bancos. Positivo.

Miguel Catarino vê o “vermelho” ao cair do pano.

FICHA DO JOGO:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel, Miguel Catarino, Tony, Miguel Vitor, Diogo Rocha, Diogo Mateus, Bexiga (Wilson), Rafa (Ricardo Amaral), Diogo Barrocas, Zé Pedro e Marcos Patrício (Pedro Lourenço).
Suplentes não utilizados: Diogo Pascoal, Luís Filipe, Rafael Serrano e Miguel Luís.
Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

RIO MAIOR SPORT CLUBE:
Francisco Silva, Iury Lima (Diogo Gonçalves), João Alves (Nuno Barrocas), Geraldino, Vladys, Gonçalo Martins, Arnaldo Ferreira, Luís Barbosa (João Pedro Sousa), Miguel Vaz, Henrique Graça e Carlos Santos (Gui Menezes).
Suplentes não utilizados: João Pedro, Miguel Menezes e João Madeira.
Treinador: Mauro Miguel.

Rio Maior Sport Club.

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Roberto Felisberto, Pedro Francisco e Alexandre Salgueiro.

Equipa de arbitragem: Roberto Felisberto, Pedro Francisco e Alexandre Salgueiro com os capitães de equipa.

DISCIPLINA:
Cartão amarelo: Joel, Miguel Catarino, Diogo Mateus e Rafa (Abrantes); João Alves e Luís Barbosa (Rio Maior)
Cartão vermelho direto: Diogo Rocha (Abrantes), Arnaldo Ferreira e Miguel Vaz (Rio Maior)
Cartão vermelho por acumulação: Miguel Catarino (Abrantes).

No final fomos ouvir os técnicos de ambas as equipas:

Seninho, treinador Sport Abrantes e Benfica (foto: mediotejo.net).

 

Mauro Miguel- Treinador do Rio Maior.

*Com David Belém Pereira (fotos).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome