Futebol | “Apagão” do Entroncamento após o descanso valeu repartição de pontos com o líder Alcanenense (C/fotos e áudio)

Golo do Alcanenense relançou uma partida que terminou com um empate a duas bolas. Foto: mediotejo.net.

ENTRONCAMENTO ATLÉTICO CLUBE 2 – ATLÉTICO CLUBE ALCANENENSE 2
Campeonato Distrital da AFS – 2ª Divisão – Série A – jornada 18
Complexo do Bonito – Entroncamento
08-03-2020

Com o Bonito a registar uma boa moldura humana, numa tarde primaveril, as equipas que lideram a Série A prepararam-se para o embate mais esperado do fim de semana. O Entroncamento, única equipa sem derrotas, preparava o assalto à liderança da equipa de Alcanena.

Complexo do Bonito no Entroncamento.

Na equipa da cidade ferroviária salta à vista a juventude enquanto na equipa de Pedro Gil existe uma mescla de jovens com alguns veteranos de qualidade e destaca-se o porte atlético da maior parte dos atletas dos “auri-negros”. É, de facto, uma equipa bastante alta e pesada.

Equipas apresentaram os seu melhores argumentos.

O Entroncamento queria ganhar o jogo e tentou surpreender a partir do apito inicial do árbitro. Sem dar tempo ao adversário para se organizar, os seus velozes jogadores encetaram uma verdadeira cavalgada rumo à baliza de Zé Miguel.

Aos cinco minutos um cruzamento do lado esquerdo do ataque ferroviário deixou João Nogueira em boa posição para o remate que parou nas luvas do guarda redes. Estava feito o aviso.

No oitavo minuto a equipa de Pedro Sampaio ganhou um pontapé de canto que foi batido rente à relva surpreendendo toda a gente. Após vários desvios a defesa aliviou para a entrada da área onde surgiu Costinha a fuzilar a baliza alcanenense, abrindo a contagem no marcador. Um grande golo…

Costinha marcou mais um grande golo abrindo o marcador.

Responderam os de Alcanena com Rudy a rematar, na sequência dum pontapé de canto, contra a barreira defensiva ganhando novo canto. Tentava o Alcanenense organizar-se e equilibrar a contenda.

Aos 12 minutos, após a execução dum livre, Anderson cabeceou para fora. No minuto seguinte foi a vez de Nelson rematar, já na área contra a defensiva da casa.

O minuto 18 foi assinalado com a exibição da cartolina amarela pela primeira vez na partida. Kennedy excedeu-se numa disputa de bola a meio campo e entrou duro sobre Danilo. O árbitro Bernardo Fonseca tentava segurar o jogo…

Dificuldades para travar o bom futebol dos donos da casa.

Com o Entroncamento instalado no meio campo contrário, obrigando o Alcanenense a defesa porfiada, após a execução dum canto, Danilo, num gesto técnico muito bom, cabeceou a bola que passou muito perto dos ferros da baliza de Zé Miguel. O cronómetro assinalava o vigésimo minuto jogado.

Aos 25 minutos David Nunes ganha sobre Sudesh, já no meio campo dos visitantes, e procurou João Nogueira no corredor central entre os centrais. Com uma receção orientada de qualidade tirou o guarda redes do lance atirando a contar, aumentando a vantagem dos “rubro-negros” para os dois golos sem resposta.

João Nogueira aumentou a contagem.

Com o Entroncamento a materializar em golos a superioridade apresentada restava à equipa de Alcanena tentar inverter o rumo dos acontecimento. Tarefa árdua em perspectiva. À meia hora Buba tentou rematar da meia distância, numa rara ocasião, mas o esférico perdeu-se para lá da linha de fundo.

Quatro minutos depois David Nunes, do outro lado do campo imitou-o ainda de maior distância. O remate parecia fácil para o guarda redes mas a força imprimida criou dificuldades a Zé Miguel que só segurou à segunda tentativa.

Luta a meio campo.

Aos 38 minutos, na conversão dum livre, favorável à equipa da casa, João Nogueira atirou para fora. Perto do descanso, aos 42 minutos, Buba ganhou a linha de fundo e, num centro-remate, levou muito perigo à baliza de Telmo que amarrou com segurança.

Pouco depois o árbitro deu como terminada a primeira parte, completamente dominada pela equipa da casa, sem que o Alcanenense encontrasse soluções para contrariar esse domínio. Resultado certo ao intervalo.

Acertado o resultado ao intervalo.

Sabendo-se que o 2-0 na entrada para o complemento é um dos resultados mais enganador que existe no desporto rei e que o Alcanenense valia muito mais que aquilo que mostrou no primeiro tempo, havia a curiosidade de saber se a turma visitante iria encontrar forma de lutar contra um resultado negativo na casa dum adversário de respeito.

O técnico Pedro Gil começou por deixar um apático Chico no balneário e lançar um homem fresco e com outra disponibilidade: Pedro.

Segundo tempo dominado por Alcanenense.

Logo no recomeço se viu que as equipas vinham com atitudes diferentes. O Entroncamento disposto a guardar o precioso pecúlio pontual já averbado e os visitantes a acreditarem serem capazes de pontuar na cidade dos comboios.

Aos 50 minutos, Costinha, um jogador talentoso e raçudo que disputa cada lance como se do último se tratasse, excedeu-se na dureza em luta com Rudy. Este respondeu e obrigou o árbitro a mostrar o cartão amarelo a ambos, após um enorme “sururu” junto ao banco dos visitantes. Tinham começado os “mind games”…

Quando quiseram jogar à bola os jogadores proporcionaram momentos de bom futebol.

Após um período de reacerto no xadrez das equipas, com os visitantes a tentarem “pegar” no jogo e a equipa da casa a defender com segurança e a procurar o contra golpe, o Alcanenense chegou ao golo.

Uma bola metida na profundidade, entre os centrais, chegou “adocicada” a Kennedy que encheu o pé e bateu o desamparado Telmo. Um golo semelhante ao segundo do Entroncamento relançou a partida aos 57 minutos.

Jogo emotivo, repartido por ambas as equipas deu empate.

No reatamento da partida o mesmo Kennedy voltaria a colocar o guarda redes Telmo à prova com cabeçada bem colocada. Telmo defendeu com defesa de elevado grau de dificuldade.

O Alcanenense, a beneficiar dum verdadeiro “apagão” da equipa da casa, começava a controlar os acontecimentos. As jogadas de ataque sucediam-se. Aos 64 minutos, um canto bem trabalhado obrigou a defensiva do Entroncamento a afastar para fora da área. Daí, Buba encheu o pé e a “bomba” não passou longe do alvo.

Bons duelos no meio campo.

Aos 69 minutos o Alcanena beneficiou dum livre e Telmo falhou a intersecção. Valeu a posição irregular do atacante forasteiro.

Dois minutos depois, no calor da luta pela posse da bola, dois jogadores, um de cada equipa, acabam por embater com violência na vedação dando origem ao segundo “sururu” da tarde, rapidamente sanado. Reinou o bom senso e o futebol prosseguiu.

Tarde difícil para o árbitro Bernardo Fonseca.

Aos 73 minutos, na conversão dum pontapé de canto para os visitantes, Telmo falhou o tempo de salto e não resolveu. Rudy, nas suas costas, ficou surpreendido com a oferta e não conseguiu a emenda vitoriosa.

Com um domínio avassalador, semelhante ao do Entroncamento na primeira parte, o Alcanenense poderia marcar a qualquer momento.

Aos 79 minutos um cruzamento de Kennedy embateu num defesa e saiu pela linha de fundo. Na cobrança do canto instalou-se a confusão, com os defesas da casa a serem pouco expeditos em afastar o esférico, permitindo o remate de Rudy no segundo poste. Um desvio subtil de Faia repôs o empate.

Segunda parte de categoria rendeu o empate ao Alcanenense.

Com cerca de dez minutos, além dos descontos, para se jogar e com o jogo empatado, entrou-se numa fase em que toda a gente acha que vai conseguir marcar e o discernimento começa a faltar. Com os índices físicos por baixo mas com a moral em alta o jogo ganhou emotividade.

Aos 83 minutos João Nogueira arrancou um centro remate que Sudesh se apressou a cortar. No contra golpe Mário, entrado no Alcanenense no decorrer da segunda parte, apareceu no chão em disputa com um contrário. Pediu-se castigo máximo mas o árbitro não atendeu e mandou jogar.

A faltarem quatro minutos para o final do tempo regulamentar um “bate boca” entre José Torcato, presidente do Atlético Clube Alcanenense, e Zeca São Bento, adjunto de Pedro Sampaio, levou o árbitro à amostragem do cartão amarelo a ambos. Os nervos estavam à flor da pele, dentro e fora das quatro linhas.

Aos 87 minutos o guarda redes suplente do Entroncamento, Choupo, ter-se-à excedido verbalmente e Bernardo Fonseca mandou-o mais cedo para as cabines, mostrando-lhe o cartão vermelho.

Guarda redes Choupo expulso do banco.

Entretanto foi mostrada a placa com o algarismo oito, tantos como os minutos que se haveria de cumprir a título de compensação. Com a maioria dos atletas sem forças pouco ou nada de relevo aconteceu neste período.

As excepções foram um remate de Mário perto do poste da baliza de Telmo. O mesmo Mário envolveu-se em picardias e terá mesmo agredido um jogador da casa. O árbitro mostrou o cartão vermelho pela segunda vez no jogo.

Pouco depois Bernardo Fonseca apitou pela derradeira vez dando por findo um jogo emotivo com uma primeira parte muito bem conseguida do Entroncamento, a valer dois golos e uma resposta muito boa do líder Alcanenense que “apagou” o opositor na segunda parte, empatando a partida. Foi o resultado mais justo possível.

Arbitragem com muito trabalho. Não esteve isenta de erros mas não interferiu no resultado final. Jogo com muitos “nervos” criou dificuldades para segurar os agentes desportivos envolvidos.

FICHA DO JOGO

ENTRONCAMENTO ATLÉTICO CLUBE:
Telmo, Tomás Brites, Gonçalo Santos, Diogo Oliveira, Salgado, Costinha, João Nogueira (Gonçalo Nunes), João Lopes (Miguel Arcângelo), Danilo, David Nunes (Alex) e David Martins.
Suplentes não utilizados: Choupos, Tomás Pereira, Joel Nogueira e Gustavo Loureiro.
Treinador: Pedro Sampaio.

Entroncamento Atlético Clube. Foto: mediotejo.net (arquivo)

ATLÉTICO CLUBE ALCANENENSE:
Zé Miguel, Rudy, Sudesh, Dário, Nelson, Faia, Chico (Pedro), Buba (Sandro), Kennedy, Anderson (Mário) e Inocent.
Suplentes não utilizados: Zé Guilherme, João Afonso, Pardal e Gonçalves.
Treinador: Pedro Gil.

Atlético Clube Alcanenense.

GOLOS:
Costinha e João Nogueira (Entroncamento), Kennedy e Faia (Alcanenense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Bernardo Fonseca, Samuel Dionísio e Luciano Oliveira.

Equipa de Arbitragem: Bernardo Fonseca, Samuel Dionísio e Luciano Oliveira com os capitães.

No final ouvimos os técnicos que falaram à Comunicação Social:

Pedro Sampaio-Treinador do Entroncamento.

 

Pedro Gil-Treinador do Alcanenense.

*Com David Belém Pereira (fotos e áudio).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here