Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Aldeiense vence no último minuto um Tramagal que pecou na finalização (c/fotos e áudio)

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E DESPORTIVA ALDEIENSE 2 – TRAMAGAL SPORT UNIÃO 1
Campeonato Distrital da AFS – 2ª Divisão – Série C – 6ªjornada
Campo de Jogos de Montalvo
21-11-2021

- Publicidade -

No sintético do Campo de Jogos em Montalvo apresentaram-se Aldeiense e Tramagal Sport União, duas equipas separadas na tabela por apenas um ponto e que tinham ainda em comum o facto de terem sofrido derrotas pesadas na última jornada.

Campo de Jogos de Montalvo.

- Publicidade -

Com jogadores e técnicos conhecedores do potencial do adversário, o jogo prometia ser disputado com emoção, como são todos os jogos entre vizinhos.

Com baixas em ambos os plantéis, os que foram a jogo tinham de fazer por justificar a escolha. E foi com um céu a ameaçar “desabar” que começou uma partida em que apenas o factor casa poderia dar algum favoritismo à equipa de Wilson Leite.

Fator casa poderia dar algum favoritismo ao Aldeieinse.

Com o jogo a ser iniciado em toada de equilíbrio, foram os tramagalenses os primeiros a ameaçarem a baliza de Pardal. Um cruzamento bem medido de Grilo pelo corredor esquerdo não foi devidamente correspondido por Calado, que chegou um pouco atrasado.

A resposta não tardou e Nelson Salgado fez toda a ala esquerda e cruzou para o coração da área. A defensiva visitante cortou para canto e na sequência do mesmo Nelson Salgado rematou para defesa atenta de João Félix.

João Félix carregado por João Rodrigues.

As alas eram os locais preferidos pelas equipas na fase de construção. Invariavelmente era daí que partiam os cruzamentos à procura das referências atacantes dentro das áreas.

Aos oito minutos Grilo cruzou junto à linha de fundo pela esquerda para corte oportuno de João Rodrigues. Pouco depois, numa tentativa de variar o flanco, o Tramagal atacou pela direita com Thiago a procurar Calado e este a voltar a ficar a meio da viagem.

Laterais subidos em apoio ofensivo.

Os “metalúrgicos” estavam melhor no jogo e um livre à entrada da área levou muito perigo à baliza da equipa da casa. Aos 17 minutos o capitão David Nunes bateu em arco e Pardal negou o golo com uma impressionante estirada ao ângulo superior direito da sua baliza.

No seguimento do canto resultante Calado recebeu fora da área e arriscou o remate. No caminho da bola Singéis simulou mas não conseguiu enganar Pardal que agarrou com segurança.

Passados dois minutos foi a vez de Nelson Salgado assistir Flávio que sofreu falta em zona frontal à entrada da área. O livre ficou na barreira e permitiu o contra golpe dos azuis. Singéis serviu Grilo que, em excelente posição para marcar, rematou por cima.

Tramagal pouco eficás.

Com as iniciativas atacantes do Aldeiense a esbarrarem no acerto defensivo dos visitantes passou a tentar-se usar a meia distância. A meio da primeira parte Paulo Rui rematou de muito longe sem encontrar a baliza de João Félix.

Depois do ascendente dos visitantes foram os homens da casa a tentar controlar o jogo a partir da meia hora. Depois de Singéis ganhar um canto, um ataque muito bem desenhado pela equipa da Aldeia de Santa Margarida colocou Paulo Rui em boa posição para marcar. Rematou ao lado mas muito perto do poste na melhor ocasião da equipa a jogar em casa.

Poucas oportunidades para a equipa da casa.

A resposta dos tramagalenses veio aos 36 minutos com Grilo a executar um centro remate que passou a rasar a baliza de Pardal. Com o tempo a esgotar-se na primeira parte, Giovane sofreu falta dura e na cobrança do livre David Nunes obrigou a corte de Marco Nunes, de cabeça, para canto.

Entretanto a chuva que já vinha ameaçando começou a cair copiosamente e Daniela Ferreira apitou pela última vez na primeira parte, ordenando o descanso. Empate com sabor a pouco para a equipa visitante pois foi a que esteve mais perto do golo.

A chuva não conseguiu estragar a festa do futebol.

Com a chuva a não dar tréguas começou cedo a perceber-se que o segundo tempo poderia trazer algo diferente e golos, naturalmente. Na bola de saída os visitantes, com uma bola sobre o travessão, muito perto, deixaram um sério aviso.

Ripostaram os da casa com Carlos Silva, que havia entrado para o lugar de Bá aos 26 minutos, a alvejar as malhas laterais da baliza de João Félix. Ainda se gritou golo mas a bola bateu pelo lado de fora. Um verdadeiro recomeço, com as equipas a todo o gás…

Aos 48 minutos um livre favorável ao Aldeiense, descaído pelo lado direito, junto à linha, no enfiamento da área, levou Flávio para a cobrança. João Félix ainda meteu as mãos mas o esférico passou entre o guarda redes e o primeiro poste e anichou-se nas redes.

Flávio marcou de livre.

Estava inaugurado o marcador, muito cedo no segundo tempo, e era agora a vez dos comandados de Pedro Varino correrem atrás do prejuízo. Com 50 minutos jogados, o brasileiro Giovane tirou um “coelho da cartola” e de muito longe visou a baliza de Pardal que voltou a brilhar a grande altura.

Três minutos depois Thiago trabalha bem na área e rematou contra um adversário, ganhando um canto. Na cobrança Calado subiu mais alto e, de cabeça, restabeleceu a igualdade no marcador.

Durou pouco a vantagem da equipa da casa.

Com nova igualdade, o jogo ganhou emoção e os apaniguados de ambos os clubes faziam-se ouvir apesar da chuva intensa. No reatamento, Thiago voltou a tentar resolver da meia distância e a bola não passou longe.

Quando se pensou que as equipas tudo fariam para resolver a contenda a seu favor entrou-se em modo de enorme cautela. Percebia-se que ninguém assumia o risco de perder a partida. Só aos 68 minutos os corações voltaram a acelerar. David Nunes serviu Singéis que, com bom remate, obrigou Pardal a aplicar-se a fundo.

Flávio marcou de livre.

Por esta altura a equipa do Tramagal voltou a tomar conta do jogo e a criar muitas situações prometedoras. Com os laterais a subirem e a criarem desequilíbrio, aos 72 minutos Pika rematou rasteiro, criando dificuldades ao guarda redes da equipa da Aldeia que se ia cotando como o seu jogador mais valioso.

No minuto seguinte Grilo enquadrou-se e, com tudo para marcar, viu Pardal de novo defender com o joelho, por instinto. O guarda redes voltou a estar em foco logo no minuto seguinte opondo-se a remate de Giovane, após excelente trabalho na área.

Duelos bem disputados.

Com o Tramagal a criar uma pressão enorme sobre o último reduto aldeiense, coube a Paulo Rui incomodar João Félix do outro lado do campo. O remate saiu fraco para defesa fácil.

Aos 78 minutos, na cobrança dum canto, favorável aos azuis, Leandro Maia “penteou” para trás e a defesa teve dificuldade em afastar. Numa segunda vaga Pika ganhou novo canto. Pika voltou a tentar alvejar a baliza de Pardal, à passagem do minuto 80, mas o esférico ganhou altura e perdeu-se para lá da linha de fundo.

Jogo primou pelo “fair play”.

Aos 84 minutos Carlos Silva entrou na área tramagalense com forte oposição da defensiva. Inteligentemente, tocou para trás, para Flávio que rematou na passada. Forte mas com direção errada. No minuto seguinte Flávio voltou a estar sob os holofotes ao executar um chapéu a Félix que se perdeu pelos fundos.

Aos 87 minutos uma sucessão de remates na área do Tramagal levou a equipa da casa a pedir grande penalidade sem que a juíza da partida descortinasse qualquer motivo para interromper a jogada.

Muito empenho dos atletas num jogo difícil.

Na resposta pronta Grilo poderia ter “morto” o jogo. Isolado na cara de Pardal usou o seu pior pé, o direito, e não atinou com o alvo.

Entretanto a assistente Ana Marques exibia a placa com o algarismo “6” indicando os minutos para jogar a título de compensação. No quarto desses minutos Calado tentou bisar na partida mas o guarda redes Pardal não o permitiu.

Com o tempo de compensação quase esgotado surgiu o “golpe de teatro”. Sem que ninguém contasse com alterações de última hora, Afonso Martins, do “meio da rua”, vendo o adiantamento de João Félix, executou um chapéu perfeito dando a vitória ao Aldeiense no último fôlego!

Aldeiense venceu ao cair do pano.

Pouco depois Daniela Ferreira deu a partida por terminada com a festa a ser feita pelos homens da casa. A equipa de Pedro Varino saiu derrotada duma partida em que foi notoriamente superior mas continua com problemas de concretização. O Aldeiense teve o mérito de nunca desistir e de acreditar até ao fim, e ao cair do pano marcou um golo que valeu a vitória e os três pontos em disputa.

O Aldeiense soma agora sete pontos e ocupa o quarto posto da tabela, apesar de ter um jogo a mais. O Tramagal caiu para sétimo somando cinco pontos em cinco partidas.
Arbitragem de muito bom nível de Daniela Ferreira e seus auxiliares.

Arbitragem num bom nível.

Ficha do Jogo:

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E DESPORTIVA ALDEIENSE:
Pardal, Bá (Carlos Silva), Belé, Afonso Martins, Flávio, João Rodrigues, David Martins, Paulo Rui, André Valente (Ruas), Marco Nunes e Nélson Salgado.
Suplentes não utilizados: Diogo Rodrigues, Madeirense, Cavalo e João Varino.
Treinador: Wilson Leite.

Associação Cultural e Desportiva Aldeiense.

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Félix, André Miguel, Francisco Oliveira, Daniel Jesus, Pika, Giovane, David Nunes, Calado, Grilo, Singéis (Leandro Maia) e Thiago.
Suplentes não utilizados: João Peixoto, Tiago Vital, Ricardo Félix, Edgar, Rui Leal e Diogo Dias.
Treinador Pedro Varino.

Tramagal Sport União.

GOLOS:
Flávio e Afonso Martins (Aldeiense), Calado (Tramagal).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Daniela Ferreira, Ana Marques e João Henriques.

Equipa de Arbitragem: Daniela Ferreira, Ana Marques e João Henriques com os capitães de equipa.

Como é habitual fomos ouvir os técnicos de ambas as equipas:

WILSON LEITE (Aldeiense):

Wilson Leite, treinador do Aldeiense. Foto: arquivo mediotejo.net

PEDRO VARINO (Tramagal):

Pedro Varino-Treinador do Tramagal. Foto: arquivo mediotejo.net

*Com David Belém Pereira (multimédia)

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome