Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 16, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Abrantes e Benfica vence em Torres Novas na 1ª jornada da Taça do Ribatejo (c/fotos e audio)

CLUBE DESPORTIVO DE TORRES NOVAS 0 – SPORT ABRANTES E BENFICA 1
Taça do Ribatejo-Grupo 1- 1ªjornada
Estádio Dr.Alves Vieira
Torres Novas
03-10-2018

- Publicidade -

Livre frontal na área abrantina.

Em jogo adiado devido à participação do Torres Novas na Taça de Portugal o golo de Marcos Patrício fez a diferença para o Sport Abrantes e Benfica. A jogar em casa e pertencendo ao escalão maior do futebol distrital, o Torres Novas era o favorito para este encontro. Competia à equipa de Abrantes, que regressa este ano com o futebol sénior para disputar a 2ª divisão distrital, dar a resposta condizente.

- Publicidade -

Os abrantinos entraram melhor no jogo e no quarto de hora inicial jogou-se mais perto da baliza de Nadais sem que se materializassem em golos algumas vistosas jogadas de futebol ofensivo.

Diogo Rocha organiza o seu ataque.

A resposta dos torrejanos aconteceu aos 14 minutos sob a forma de um cruzamento da esquerda, deixando Micael na cara de Joel que executou uma enorme defesa, mantendo a sua baliza inviolada.

O jogo ganhava animação e algum equilíbrio quando, aos 27 minutos, num livre favorável aos “benfiquistas”, a bola foi colocada na área onde apareceu Marcos Patrício a “fuzilar” e a inaugurar o marcador.

Jogo bem disputado em Torres Novas.

Não se acomodou a equipa de Nando Costa e à passagem da meia hora, num toque subtil, isolou Francisco Salgueiro que permitiu outra enorme defesa a Joel. O Torres Novas procurava minimizar os estragos e Ricardo Major tem um remate de longe que passou ao lado no minuto 32.

Joel protege a saída da bola.

Aos 38 minutos, num contragolpe bem executado, a equipa de Abrantes apareceu com dois velozes atacantes para dois defesas da casa. Marcos Patrício decidiu-se pelo remate contra o opositor direto. O lance culminou com uma falta sobre o guarda redes Nabais.

Com o intervalo a aproximar-se, com 41 minutos jogados, o Benfica de Abrantes podia ter ampliado a vantagem. Num passe a rasgar a área dos “amarelos”, a falha na interseção de Júlio Batista deixou Zé Pedro em boa posição. Acabou por cometer falta sobre Nabais.

O descanso chegou com um resultado que se aceitava pese o factos de ambas as equipas disporem de algumas oportunidades de golo.

Rui Sousa guarda a bola de Micael.

O recomeço trouxe um Torres Novas transfigurado para melhor. Com maior qualidade de passe, ia chegando a zonas adiantadas do terreno tentando alvejar a baliza de Joel.
Aos 50 minutos um canto batido por Dani, ao segundo poste, “tirou tinta” à trave da baliza defendida pelos abrantinos.

Foi igualmente de pontapé do quarto de circulo que os “encarnados” criaram perigo.
Batido para o segundo poste apareceu Bexiga a rematar rente ao poste mas para fora.

À passagem dos 65 minutos, Micael bateu um livre para a trave ressaltando a bola para a entrada da área onde a defesa de Abrantes cedeu falta. O livre, perigoso, voltou a colocar à prova o guarda redes Joel. Três minutos depois Marcos Patrício testou a sua meia distância mas o esférico saiu ao lado.

Lance aéreo de Micael.

À meia hora do segundo tempo um livre frontal à entrada da área abrantina ficou na barreira gorando-se mais uma oportunidade para a equipa torrejana.

Abrantes e Benfica defendeu bem.

As equipas iam perdendo discernimento e o jogo entrou numa fase mais quezilenta levando o árbitro Francisco Pereira a ir ao bolso e exibir a cartolina amarela. Um pouco antes de subir a placa com os quatro minutos de compensação pediu-se grande penalidade por pretensa “mão” na área das “águias”. O árbitro, bem auxiliado pelo assistente do lado da bancada, mandou jogar.

Já no último minuto da compensação uma bola bombeada para a área, em desespero pela equipa de Torres Novas, ia enganando Joel. Ao passar-lhe por cima obrigou-o a defesa apertada para canto. O jogo terminaria pouco depois.

Mateus trava Edgar

Jogo interessante, nem sempre bem jogado mas com muita entrega dos intervenientes.
O golo solitário de Marcos Patrício acabou por resolver o jogo onde a equipa de Abrantes entrou melhor. O Torres Novas, com algumas ausências, só se pode queixar de si. Ainda assim merecia o empate.

Arbitragem com decisões difíceis. Benefício da dúvida nos lances de análise difícil onde Francisco Pereira, muito bem auxiliado, nos pareceu seguro. Positivo…

Nas grandes penalidades regulamentares na Taça do Ribatejo o Torres Novas converteu cinco e no Sport Abrantes e Benfica Rui Sousa permitiu a defesa de Nabais.

Rui Sousa permite a defesa de Nabais.

FICHA DO JOGO

CLUBE DESPORTIVO DE TORRES NOVAS:
Nabais, Fábio Timor, Dani, André Vieira, Soma, Joel, Dias, Ricardo Major, Micael, Júlio Batista e Francisco Salgueiro (Edgar).
Splentes não utilizados: Quaresma, Francisco Gonçalves, Sérgio, André Pedro e Dinis.
Treinador: Nando Costa.

Clube Desportivo de Torres Novas

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel, Catarino, Tony, Mateus, Basílio, Bexiga (Miguel Silva), Zé Pedro (Hélio Ocante), Rui Sousa, Diogo Rocha, Marcos Patrício e Rafael Silva (Ricardo Amaral).
Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

GOLO: Marcos Patrício (Abrantes).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Francisco Pereira, Hugo Silva e Rui Cabeleira.

Equipa de Arbitragem: Francisco Pereira, Hugo Silva e Rui Cabeleira com os capitães.

No final ouvimos os treinadores:

Nando Costa-Treinador do Clube Desportivo de Torres Novas Foto: mediotejo.net

Paulo Seninho – Treinador do Sport Abrantes e Benfica. Foto mediotejo.net

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome