Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Abrantes e Benfica sagrou-se Campeão derrotando o Riachense (C/fotogaleria e video)

SPORT ABRANTES E BENFICA 1 – CLUBE ATLÉTICO RIACHENSE 0
Campeonato Distrital da 2ª Divisão da AFS – Ap.Campeão – 8ª jornada
Estádio Municipal
Abrantes
01-06-2019

- Publicidade -

Numa tarde muito quente o Municipal de Abrantes coloriu-se de vermelho na esperança de ver a equipa do Sport Abrantes e Benfica sagrar-se campeã distrital da divisão secundária da Associação de Futebol de Santarém.

Réplica riachense valorizou vitória dos “encarnados”.

- Publicidade -

Para isso necessitava apenas de um ponto mas o Riachense, ainda sem a promoção assegurada, não é uma equipa que se entregue sem luta. Estavam reunidas as condições para um disputado jogo de futebol.

Jogo com bom ritmo apesar do calor.

Com os laterais muito subidos, com o trinco em apoio direto aos centrais, a equipa de Paulo Seninho ganhava capacidade ofensiva perante um equipa do Riachos que sabe defender. Caberia à equipa de Paulo Costa espreitar uma oportunidade para lançar o contra golpe com o rápido Leandro a ser a referência no ataque.

Com as equipas encaixadas um cruzamento do lado direito do ataque abrantino, aos cinco minutos encontrou Rafa Silva solto na área. Rafa deixou correr a bola e quando o lance parecia perdido desferiu um forte remate de pé esquerdo que surpreendeu Rui Galrinho. Estava aberto o marcador e o título ficava mais perto.

Rafa marcou o único golo da partida.

Não desaceleraram os “encarnados” e aos oito minutos novo cruzamento para a área encontrou Marcos Patrício e o avançado cabeceou alto tendo o esférico passado sobre o travessão. Respondeu de imediato o Riachense com um lançamento longo à procura da velocidade de Leandro que chegou atrasado à solicitação.

À passagem do quarto de hora Marcos Patrício dispôs de novo ensejo para marcar. Respondendo a um cruzamento largo rematou contra Galrinho ganhando um canto. Na conversão Duarte Basílio, ao primeiro poste, cabeceou por cima.

Abrantes procurava o golo da tranquilidade.

Aos 20 minutos Rafa Silva foi solicitado pelo lado esquerdo e em velocidade ganhou a linha de fundo cruzando para Marcos Patrício. O cabeceamento saiu por alto. No minuto seguinte Basílio bateu um livre, em arco, contornando a barreira mas Galrinho agarrou com segurança.

Aos 27 minutos, na conversão de novo livre, o esférico cruzou toda a área riachense sem que ninguém o intercetasse e saiu pela lateral. À meia hora o livre de Basílio obrigou Galrinho a ceder canto. Na conversão Rui Sousa tentou um “bonito” de calcanhar que não resultou.

Basílio tentou marcar de livre.

Marcos Patrício, com boas movimentações, ia colecionando oportunidades. Aos 33 minutos fugiu à marcação direta e na cara de Rui Galrinho rematou para fora.

No minuto seguinte, o lateral Miguel Catarino, em funções ofensivas, conseguiu entrar na área. O remate forte foi desviado por um defensor “alvi-negro”.

O Riachense ia tentando abeirar-se da baliza de Joel e um cruzamento para a área criou uma enorme confusão. Após uma sucessão de erros defensivos a bola foi finalmente afastada gorando-se uma excelente hipótese para os visitantes empatarem a partida. Corria o minuto 37.

Cruzamento para a área criou dificuldades aos abrantinos.

Na resposta Rui Sousa assistiu Marcos Patrício para novo remate contra o guarda redes Rui Galrinho. O “keeper” de Riachos continuava a ganhar a luta particular com o avançado das “águias” de Abrantes.

Já com o intervalo no horizonte, aos 43 minutos, Zé Pedro caiu na área em disputa com um defensor. Pediu-se grande penalidade mas o árbitro Leonel Manha, bem posicionado, não atendeu e mandou jogar para desespero das hostes abrantinas.

Reclamou-se grande penalidade sobre Zé Pedro.

Em cima do tempo regulamentar Leandro arriscou a meia distância, em zona central da área abrantina, mas o remate foi parado pelas luvas de Joel. No último lance da primeira parte Marcos Patrício voltou a ver-se “cara-a-cara” com Galrinho e, mais uma vez, o guarda redes venceu o duelo.

Entretanto o árbitro Leonel Manha apitou para o descanso. Resultado justo ao intervalo pecando por escasso tal a quantidade de perdidas da equipa do Benfica de Abrantes.

Duelo entre Marcos Patrício e Galrinho foi uma constante. Guarda redes levou sempre a melhor.

No intervalo Paulo Costa procedeu a ajustes no seu xadrez fazendo entrar Duque e Madeira, tentando dar maior dinâmica ofensiva ao Atlético Riachense. O vento, que entretanto se levantara, teve o condão de refrescar um pouco a temperatura alta mas viria a criar maiores dificuldades no controle e condução da bola.

O Riachense entrou mais acutilante e no segundo minuto do complemento ganhou um canto. Luís Alves cabeceou por cima.

Riachense surgiu mais acutilante após o descanso.

Responderam os abrantino, também de canto. Galrinho agarrou, com segurança, nas alturas. Aos 55 minutos os riachense tentaram de livre mas o esférico não passou da barreira.

No contra ataque Diogo Barrocas isolou-se e já no coração da área rematou ao lado.
Após um momento de acalmia Miguel Catarino, aos 65 minutos, conseguiu entrar na área pelo lado direito mas o centro remate não encontrou destinatário e a bola perdeu-se pela linha de fundo.

Abrantes podia ter ampliado a vantagem.

A meia hora do segundo tempo trouxe o melhor lance coletivo da equipa de Abrantes. Zé Pedro endossou o esférico a Barrocas, este em boa posição quis servir Rui Sousa que entrava de trás. O remate saiu por cima da baliza de Galrinho.

Já com o Riachense reduzido a dez por expulsão, por acumulação de amarelos de Sérgio, Hélio Ocante, entrado pouco antes, teve duas perdidas incríveis. Na primeira, aos 39 minutos, cabeceou por alto e na segunda chegou um tudo nada atrasado a solicitação ao segundo poste.

Sérgio exagerou nos protestos e acabou expulso.

Já com os três minutos de compensação a decorrer, Bexiga, entrado no decorrer da segunda parte, tentou a meia distância criando dificuldades a Rui Galrinho que agarrou à segunda. Em cima do apito final Marcos Patrício desperdiçou uma grande hipótese de aumentar a contagem. De novo Rui Galrinho não o permitiu.

Bom jogo, competitivo, com um justo vencedor. Boa réplica dos riachenses que continuam a depender de si para aceder ao escalão mais alto do futebol distrital. Arbitragem sem influência no resultado. Com o último apito estalou a festa. O Sport Abrantes e Benfica, em ano de regresso aos seniores, é o novo campeão distrital da segunda divisão.

Sport Abrantes e Benfica é o campeão distrital da divisão secundária.

No relvado testemunhámos a alegria dos “encarnados” e ouvimos as primeiras palavras de Paulo Seninho após ter-se sagrado campeão:

Abrantes | Sport Abrantes e Benfica vence Riachense por 1-0 e sagra-se campeão distrital da 2° Divisão

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 1 de junho de 2019

FICHA DO JOGO:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel, Miguel Catarino (João Reis), Toni, Duarte Basílio, Diogo Rocha , Diogo Barrocas, Diogo Mateus, Rui Sousa, Zé Pedro (Hélio Ocante), Rafa Silva (Bexiga) e Marcos Patrício.
Suplentes não utilizados: Bernardo Amaro, Manuel Vítor, Luis Filipe e Pedro Alves.
Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

CLUBE ATLÉTICO RIACHENSE
Galrinho, Sá, David, Leo (Madeira), Sérgio, Márcio (Conde), Rosa, João Gouveia, Luis Alves, Leandro e Pires (Cláudio).
Suplentes não utilizados: João Monteiro e Paulito.
Treinador: Paulo Costa.

Clube Atlético Riachense. Foto: Arquivo mediotejo.net

GOLO:
Rafa Silva (Abrantes).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Leonel Manha, João Lamas e Bruno França.

Equipa de arbitragem: Leonel Manha, João Lamas e Bruno França com os capitães.

DISCIPLINA:
Cartão amarelo: Miguel Catarino (Abrantes); Sérgio, Luís Alves, Cláudio e Conde (Riachense).
Cartão vermelho por acumulação: Sérgio (Riachense).

FOTOGALERIA:

*Com David Belém Pereira (Fotos e video).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome