Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Agosto 4, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol: Abrantes e Benfica esqueceu-se do fato de trabalho na apresentação

Abrantes, 01 de outubro de 2016, 17 horas

- Publicidade -

 Jogo de apresentação da equipa de juniores do Sport Abrantes e Benfica

Sport Abrantes e Benfica  2 – Eléctrico Futebol Clube (juvenis) 0

- Publicidade -

Crónica de José Belém

Os juniores do Benfica de Abrantes, depois de apresentados um a um ao seu público, iniciaram o jogo tentando exercer o futebol, que tão boa mostra deram ao longo da pré-temporada. Falamos dos torneios em Pego, Rossio ao Sul do Tejo e São Miguel, onde se bateram de igual para igual com formações do escalão superior, conseguindo inclusive, alguns resultados desportivos positivos.

Todavia, ao deparar-se com um bem estruturado conjunto de Ponte de Sôr, apenas a espaços conseguiam momentos de futebol entrosado, mas sempre com o guardião alentejano a ser um mero espectador, pois raramente a bola lhe chegava (a verdade, é que no lado oposto, a situação era exactamente igual).

Aos 14 minutos, João Marchão, na sequência de um livre directo, criou algum perigo, mas o seu remate – mais em jeito que em força – saiu ligeiramente por cima do travessão da baliza de Tiago que tinha o lance controlado.

“Empastelados”, os encarnados de Abrantes (como se estivessem espartilhados no seu meio campo), embatiam sempre na bem organizada equipa do Eléctrico, tentando criar jogadas de perigo, quer pelos flancos quer pelo corredor central, mas sempre sem sucesso, fruto da inépcia dos seus atacantes e pela bem orientada defesa alentejana que ia “matando” as jogadas contrárias deixando raramente fugir algum atleta contrário.

4

Até que surge o primeiro tento do Benfica de Abrantes aos 28 minutos. Jogada bem desenhada pelo meio reduto abrantino a descobrir João Marchão, ligeiramente descaído para a esquerda do seu ataque e solto de marcação, que após um bom domínio do esférico, consegue chegar isolado à baliza contrária onde só teve de empurrar para os fundos das redes para inaugurar o marcador. Apesar do pouco futebol apresentado, foi a equipa local a que mais procurou a festa do golo.

Mas, ainda se festejava e já o Eléctrico de Ponte de Sôr assustava, na primeira (e única) vez que se abeirou do último reduto contrário. Pontapé de canto marcado no lado esquerdo do seu ataque e, ao segundo poste, Valador (com toda a defesa do Benfica “vendo a banda passar”), falha o cabeceamento por muito pouco. Foi um susto e tanto.

Pouco depois chegou o intervalo e o tempo de Fábio Barrocas fazer alguns ajustes técnicos e tácticos (bem necessários, diga-se, pois a apatia abrantina era evidente com jogadores em sub-rendimento nítido). No lado dos forasteiros, apesar de estarem em desvantagem no marcador e de serem uma formação de escalão inferior, mostraram sempre ser um grupo trabalhador e solidário com os seus jovens a entenderem muito bem as orientações do seu técnico, Hugo Lopes.

Após o período de descanso, e fruto de alguns “conselhos de balneário”, o Benfica surge mais alegre e perigoso, obrigando o seu adversário a arregaçar as mangas para conter o ímpeto encarnado sem nunca os deixar chegar perto do seu último terço de terreno, pelo menos em situações de perigo dignas desse nome. O que é certo é que foi conseguindo e, com o passar do tempo, o jogo voltou ao ritmo da primeira parte, decrescendo de qualidade à medida que o técnico abrantino começava a rodar a equipa, dando minutos a todos os atletas do seu plantel… afinal era a apresentação de todo o plantel ao sócios e adeptos!

6
Aspeto das bancadas do Municipal de Abrantes

E quando já poucos pensariam que algo mudasse, eis que aos 85 minutos surge o “suspeito” do costume. João Marchão (afinal era ele que tinha a “chave” do jogo!!!) num gesto técnico rápido e perfeito, desfere um potente remate fora da área, surpreendendo a defesa contrária que nada pôde fazer face ao efeito produzido pelo esférico.

Dessa forma, a partida terminou pouco depois, com a vitória a sorrir aos da “casa” mesmo tendo realizado um jogo pouco conseguido, alcançando um resultado final algo castigador para a formação que viajou de Ponte de Sor que se bateu de forma digna do primeiro ao último minuto, mostrando não ter medo de jogar o jogo pelo jogo e de estar preparada para o Campeonato Distrital de Portalegre (divisão única) que arranca já no próximo fim-de-semana.

A poucos dias do primeiro jogo oficial da época (é já na próxima quarta-feira, dia 5 de outubro, pelas 18 horas, que o Abrantes e Benfica recebe o Caxarias para a 1ª jornada da 1ª fase da Taça do Ribatejo do escalão júnior), Fábio Barrocas e a restante equipa técnica tem ainda algo a rectificar, uma vez que notámos pouco “atrevimento” na grande maioria dos seus atletas e, até mesmo, alguma falta de entendimento entre sectores.

A equipa de arbitragem (recrutada de entre os presentes) não teve qualquer dificuldade em dirigir a partida.

3

Ficha do jogo

Estádio Municipal de Abrantes (campo nº 1)

Abrantes e Benfica

(por ordem de apresentação aos sócios)

Diogo Pascoal, Duarte Inácio, Duarte Gonçalves, Diogo Campos, Daniel Barão, Ruben Fernandes, Diohgo Calado, Fábio Rodrigues, Miguel Jesus, Tiago Matias, Pedro Lopes, Bruno Gomes, Tiago Lavrador, José Costa, Marcos Antunes, Nuno Carneiro, João Marchão, Duarte cabaço, Duarte Belém, João Silva, Jorge Barrocas e João Silva

Treinador: Fábio Barrocas

Eléctrico FC

Tiago, João Branquinho, Serineu, Francisco Serrão (cap.), Filipe (sub-cap.), David, Cóisas, Miguel Rodrigues, Teodoro, Rodrigo Ferro, Valador, Caetano, Godinho, Pedro Marcos e Guilherme

Treinador: Hugo Lopes

Marcadores: João Marchão (28′ e 85’)

2
Abrantes e Benfica juniores 2016-2017

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome