- Publicidade -

Quinta-feira, Dezembro 9, 2021
- Publicidade -

Futebol: Abrantes e Benfica complicou o que podia ter sido fácil

Abrantes, 5 de outubro de 2016, 18 horas

- Publicidade -

Taça do Ribatejo de Juniores – 1ª fase – 1ª jornada

Sport Abrantes e Benfica 2 – Centro Cultura e Desporto de Caxarias 1

- Publicidade -

Crónica por Jorge Beirão

Estádio Municipal em Abrantes, tarde de sol com uma ligeira brisa, relvado natural em boas condições.

Primeiro jogo oficial da época para as duas equipas, abrindo a fase de grupos da Taça Ribatejo de Juniores, troféu recentemente criado pela Associação de Futebol de Santarém, cujo atual detentor é o União de Almeirim que venceu o C.D.Fátima no desempate por penaltis (4 – 1).

Assistimos a um jogo de sentido único mas com poucos benefícios práticos (entenda-se golos). A equipa abrantina apresentou-se com uma organização ofensiva em termos de escalonamento das suas unidades e rotação do esférico bastante interessante. Demonstrando uma lição bem estudada na criação de rotinas, que se perspetivam na obtenção de importantes resultados práticos, quando a equipa for mais corajosa na utilização de passes de rotura para um ataque com mais profundidade e velocidade, criando os tais desequilíbrios tão necessários para mais facilmente se alcançar o objectivo do jogo. Na nossa opinião, que vale o que vale, foi o que faltou, mas como é costume dizer-se, “Roma e Pavia não se fizeram num dia” e a equipa técnica chefiada por Fábio Barrocas está no caminho certo.

A equipa de Caxarias fez o que se previa. Bastante compacta, com as linhas muito juntas e tentando surpreender no contra ataque, tendo poucas vezes utilizado a sua pretendida “arma” ofensiva, tornando-se por isso mesmo, um jogo por vezes monótono por, como disse, ter apenas um sentido e com pouco entusiasmo devido à inoperância atacante e jogadas previsíveis, que iam “favorecendo” a equipa que se preocupou em defender.

João Marchão atirou para um lado e o guarda-redes caiu para o outro
João Marchão atirou para um lado e o guarda-redes caiu para o outro

O marcador foi alterado através de um penalti, por erro do defensor visitante, talvez por se ter esquecido que a jogada decorria já dentro da sua área de rigor. Isto logo aos dez minutos de jogo, colocando a equipa anfitriã em vantagem.

O placar só foi novamente alterado e a favor da mesma equipa, eram decorridos quatro minutos da segunda parte (49 de jogo), pelo jogador mais certeiro no remate naquele jogo, João Marchão.

João Marchão isolado não desperdiçou a oportunidade de bisar no enconto
João Marchão isolado não desperdiçou a oportunidade de bisar no enconto

A equipa de Caxarias, veio a obter o seu golo devido a uma perda de bola da equipa da casa, a meio do seu meio campo, e Rodrigo Ferreira não se fez rogado. Arrancou em velocidade e com remate pronto fez o golo que deu origem a “tremedeira” na equipa de Abrantes, com um final de jogo bastante “nervoso”, por culpa própria.

No computo geral, diremos que a vitória está certa e que a equipa do CCD Caxarias utilizou as armas que tem, ou seja, quem não tem cão caça com gato, mas justiça seja feita, foi uma equipa bem organizada defensivamente.

Quanto à equipa de arbitragem esteve muito bem. Acompanhou de perto os lances respeitando as determinações quanto às diagonais e revelou boa coordenação entre os seus membros.

Ficha do Jogo

Estádio Municipal de Abrantes

Árbitro: Mário Vieira

Árbitros Assistentes: Miguel Marques e João Sousa

Sérgio Ribeiro (capitão CCDC) João Sousa, Mário Vieira, Miguel Marques e Fábio Rodrigues (capitão SAB)

Abrantes e Benfica

Pascoal, Calado, Tiago Matias, Campo, Barão, Ruben (Carneiro), Pedro Lopes (Diogo Tomás), Fábio Rodrigues, João Marchão, Antunes (Cabaço) e Miguel Jesus (Tiago Lavrador)

Suplentes: João Silva, Duarte, Carneiro, João Silva, Diogo Tomás, Tiago Lavrador e Cabaço

Treinador: Fábio Barrocas

Sport Abrantes e Benfica
Sport Abrantes e Benfica

CCD Caxarias

Francisco Ferreira, Sérgio Ribeiro, Hugo Major, Nuno Vicente, Rodrigo Ferreira, Fábio Bastos, Bruno Mendes, Rafael Bastos, Ricardo Marques, José Costa e Ricardo Laranjeiro

Suplentes: Fábio Rocha e Tiago Ribeiro

Treinador: Nuno Silva

Centro Cultura e Desporto de Caxarias

Cartão amarelo: Diogo Tomás (89′)

Marcadores: João Marchão (10′ e 49′) ; Rodrigo Ferreira (71′)

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome