Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Junho 13, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol | Abrantes e Benfica afasta Mação da Taça do Ribatejo num final de “loucos”

SPORT ABRANTES E BENFICA 3 – ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 2
Taça do Ribatejo – Oitavos de Final
Estádio Municipal de Abrantes
03-06-2021

- Publicidade -

Numa tarde ventosa de feriado encontraram-se no Municipal de Abrantes duas das melhores equipas do Distrital de Santarém. Ambas ocupam a segunda posição, atrás do Coruchense que já ascendeu ao Campeonato de Portugal.

Estádio Municipal de Abrantes.

- Publicidade -

Com jogadores que se conhecem muito bem, quer pela vizinhança dos concelhos quer por terem representado ambos os emblemas de Abrantes e de Mação, o jogo prometia ser de alto calibre e não desiludiu.

Duas equipas de qualidade num emotivo duelo.

As equipas tentaram impor os seus modelos de jogo desde o apito inicial do categorizado árbitro João Mendes e no primeiro minuto uma reposição lateral deixou o esférico nos pés de Diogo Rosado que tentou solicitar Wemerson, que surgiu em boa posição para marcar.

João Mendes, por indicação do seu auxiliar, anulou a jogada por posição irregular do brasileiro. Na resposta Rafa, em zona frontal, rematou fraco para defesa fácil de João Rosa.

Jogo emotivo com final de “loucos”.

À passagem do sétimo minuto uma sequência de cantos para os visitantes culminou com uma cabeçada de Wemerson para lá da linha de fundo.

O Mação assumia as despesas do jogo e Ganso, aos nove minutos, cruzou com boa conta da lateral direita na direção de Wemerson. Valeu o corte atento do capitão abrantino, Toni.

Defendeu bem o Benfica de Abrantes.

Aos dez minutos um livre para os visitantes, a meio do meio campo, foi cobrado por Miguel Luz. Toni surgiu a cortar ao primeiro poste, cedendo canto que Canais resolveu e lançou o contra golpe. João Marchão encostado à linha lateral direita tentou progredir com a oposição de Iuri Alves. Marchão provocou a queda do gémeo Alves e o lance foi interrompido por falta atacante.

Já para lá do quarto de hora um cruzamento tenso do lado direito do ataque das “águias” encontro João Marchão na zona do ponta de lança, ganhou sobre os marcadores e encostou para abrir o ativo.

Um golo com dedicatória a Zé Pedro, avançado abrantino a contas com uma arreliadora e prolongada lesão.

Marchão marcou golo com dedicatória a Zé Pedro.

A ganhar a partir dos 16 minutos a equipa de Séninho, a ver o jogo na bancada, ficou com a tarefa facilitada. Começou a sentir-se nos maçaenses alguma ansiedade e os da casa defendiam com segurança espreitando o contra golpe.

Aos 20 minutos, na cobrança dum livre por Miguel Luz, Toni terá jogado a bola com o braço. O árbitro terá considerado involuntário e como Toni tinha o membro superior junto ao corpo o juiz mandou prosseguir.

No minuto seguinte Ivan, numa reposição lateral que parecia um pontapé de canto, colocou no coração da área onde surgiu Saúl a cabecear por cima, perto dos ferros.

Saúl em ação ofensiva.

Continuava a ser a Associação Desportiva de Mação a equipa com mais bola e a marcar os tempos do jogo. Também lhe pertencia o maior volume ofensivo e as oportunidades de golo.

Wemerson, junto à bandeirola de canto do lado esquerdo, executou um centro remate e a bola impulsionada pelo forte vento quase traia o jovem guarda redes encarnado, Canais. Estirou-se e tirou o golo certo ao maçaense.

Aos 25 minutos, Ganso trabalhou bem dentro da área da equipa de Abrantes e serviu Miguel Luz de bandeja. Catarino antecipou-se e evitou males maiores.

Muito trabalho para os defensores da casa.

À passagem da meia hora o vento voltou a fazer das suas. O canto, favorável ao Mação, quase entrava direto sem que ninguém tivesse condições para o evitar. Passou muito perto…

Com a equipa da casa a vencer, o banco do Mação, temendo demoras nas reposições, começou a “colecionar” bolas, provocando um “sururu” que obrigou João Mendes a parar o jogo por duas vezes. Ficou-se pelos avisos verbais. Com isto já se jogava o minuto 35.

Dois minutos depois, com o incidente sanado, Ganso executou um bonito pontapé de bicicleta que não passou longe da baliza de Canais.

Maçaenses sempre muito perto da baliza de Canais.

A resposta foi imediata e o pontapé de Marchão ficou na defesa. O Mação contra atacou mas Iuri Alves estava em posição irregular.

Já dentro dos últimos sete minutos Ganso tentou aproveitar o vento e o fator surpresa. O remate cruzado passou muito perto do poste mais distante com Canais batido.

Voltou a tentar no minuto seguinte, desta vez, com Canais a defender. Em cima do tempo regulamentar Rafa assistiu João Marchão na área maçaense. O jovem abrantino rematou de primeira mas muito por cima.

Marchão foi referência no ataque dos “encarnados”

No último dos três minutos de compensação dados pelo árbitro da partida, Wemerson puxou para o seu pé esquerdo e rematou forte e colocado fora do alcance de Canais, repondo a igualdade. Bonito golo.

Pouco depois João Mendes mandava toda a gente para o descanso. O empate era um resultado aceitável mas o Mação foi a melhor equipa durante o primeiro tempo. O empate não servia a nenhuma das equipas e ficava no ar forte espectativa para o complemento.

Wemerson empatou no tempo de compensação.

O segundo tempo iria decorrer em registo de equilíbrio, com as equipas a gerirem melhor as emoções e o estado físico dos seus atletas. Foi o tempo de assistir a grandes duelos, principalmente no meio campo.

Logo aos 51 minutos uma boa combinação ofensiva dos maçaenses terminou com Diogo Rosado a rematar contra um defensor e a sair pelos fundos dando origem a um pontapé do quarto de círculo.

Minutos depois Iuri lançou da lateral para dentro da área onde surgiu Canais a agarrar nas alturas e a lançar o contra golpe. Rafa rematou de forma defeituosa, queixando-se de ter sido carregado. Ficaram as dúvidas. Quem não as teve foi o árbitro da partida, João Mendes, que mandou jogar.

Segundo tempo foi equilibrado.

Aos 58 minutos João Pires testou a meia distância com o forte remate, ajudado pelo vento, a sobrevoar a baliza de João Rosa.

No lance seguinte Miguel Séninho queixou-se duma suposta carga de Saúl, dentro da área. João Mendes voltou a ignorar os protestos dos abrantinos.

Foi preciso esperar pelo 65º minuto para que a adrenalina voltasse a subir no Municipal. Lançado em profundidade João Marchão rematou forte mas ao lado.

Equipas com jovens cheios de garra.

Aos 69 minutos Wemerson recebeu de costas para a baliza, aguentou até à chegada de Esteves. Este permitiu a intromissão de Miguel Séninho que ganhou o esférico e, vendo o adiantamento de João Rosa, fez um chapéu demasiado largo. Saiu por cima do travessão.

Aos 75 minutos, junto à bandeirola de canto do lado esquerdo, Rui Sousa cruzou para a baliza aproveitando o vento forte e quase surpreendia João Rosa.

Na resposta pronta, Ganso e Wemerson adiantaram-se à defensiva da casa parecendo haver posição irregular. Canais chegou primeiro e resolveu.

Tarde inglória de João Rosa.

Aos 79 minutos, na sequência dum canto favorável aos maçaenses, o contra golpe permitiu a Damas encaminhar-se para a baliza de João Rosa. Iuri Alves, impetuoso, fez falta que lhe valeu a amostragem da cartolina amarela.

Com o tempo a esgotar-se o marcador, teimosamente, mantinha-se igual ao recomeço.
Já nos dez minutos finais Barrocas assistiu Rui Sousa que não conseguiu dominar na área e o lance gorou-se.

Duas das melhores equipas do campeonato distrital defrontaram-se nos oitavos de final da Taça do Ribatejo

Aos 84 minutos, após boa iniciativa de Elísio Menezes, João Marchão foi carregado pelo guarda redes do Mação, optando o árbitro por assinalar pontapé de canto.

Rui Sousa, da marca do quarto de círculo, bateu de forma a aproveitar o vento e a bola entrou nas costa da defensiva maçaense num bonito “canto à Morais”. Estava feito o 2-1.

Rui Sousa marcou de canto direto.

Antes de ser levantada a placa a dar mais quatro minutos de compensação Toni, na sequência de novo canto, cabeceou para as mãos de João Rosa.

Na outra baliza era Saúl a cabecear para Canais que rapidamente iniciou a rápida transição ofensiva. O esférico chegou a Marchão que ficou pela frente apenas com a oposição de João Rosa que, após agarrar o esférico, saiu da sua área dando origem a um livre que Rui Sousa, de “pé quente”, executou de forma irrepreensível.

O esférico voltou a alojar-se nas redes da equipa de Mação aos 92 minutos de jogo e com o 3-1 parecia que o resultado final estava encontrado.

Rui Sousa voltou a marcar de livre.

Num final “de loucos” ainda houve tempo, a 30 segundos do final para Ganso rematar sem hipótese de defesa para Canais, fixando o resultado final.

Grande jogo, digno de grandes palcos e que merecia ter público a assistir. Venceu o Benfica de Abrantes porque teve um Rui Sousa a brilhar bem alto. Grande resposta do Mação que sendo um digno vencido valorizou, e de que maneira, a vitória dos abrantinos.

Arbitragem segura e autoritária dum dos melhores árbitros do distrito, ficando algumas dúvidas a pairar, mas pareceu-nos ajuizar dentro da lei.

O Sport Abrantes e Benfica receberá em sua casa, no dia 13 de junho, o Entroncamento ou Glória do Ribatejo. As meias finais jogam-se a 20 de junho e a final, já com a presença de público, no dia 27 de junho.

Rui Sousa, com dois golos, foi o “Homem do Jogo”.

Ficha do jogo:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Canais, Miguel Catarino, Toni, Diogo Mateus, Manuel Vitor, Diogo Barrocas, João Pires (Elísio Farias), Miguel Séninho (Diogo Nandingna), Rui Sousa, Rafa (Damas) e João Marchão.
Suplentes não utilizados: Elisbão, Jota, Leandro e Will.
Treinador: Paulo Séninho.

Sport Abrantes e Benfica.

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
João Rosa, Simão Moreno, Saúl, Gonçalo Lelé, Iuri, Esteves (Miguel Domingues), Diogo Rosado, Ivan, Wemerson, Miguel Luz (Diogo Rosa) e Ganso.
Suplentes não utilizados: Chico Sousa, Tiago Pereira, Ezequiel, João Rui e Pedro Lopes.
Treinador: Francisco Correia.

Associação Desportiva de Mação.

GOLOS:
Rui Sousa [2] e João Marchão (Abrantes), Wemerson e Ganso (Mação).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Mendes, Diogo Pereira e Henrique Paula.

Equipa de Arbitragem: João Mendes, Diogo Pereira e Henrique Paula com os capitães.

No final fomos ouvir ambos os treinadores:

PAULO SÉNINHO (Abrantes):

Paulo Seninho, treinador do Sport Abrantes e Benfica. Foto: mediotejo.net

FRANCISCO CORREIA (Mação)

Francisco Correia, treinador da Associação Desportiva de Mação.

  • Com David Belém Pereira (multimédia).

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome