Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol (2ª Distrital): Três minutos perfeitos levam Pego à 1ª Divisão (com áudio)

6 de junho de 2016, 17 horas, Pego

- Publicidade -

Campeonato Distrital da 2ª Divisão de Seniores da Associação de Futebol de Santarém

Apuramento de Campeão – 10ª jornada (última)

- Publicidade -

Casa do Povo do Pego 2 – Sport Clube Ferreira do Zêzere 1

Numa tarde de sol e muito calor, pegachos e ferreirenses jogavam para voltarem ao patamar mais alto do futebol distrital. Para os homens da casa só a vitória interessava e depois de a conseguirem teriam que saber o resultado da União de Santarém para se fazerem as contas à diferença de golos marcados e sofridos. Aos homens da “Capital do Ovo” uma vitória dava-lhes a subida, sem mais contas, enquanto que o empate obrigaria a saber o resultado dos escalabitanos para se apurar a diferença acima falada.

Com uma boa moldura humana no Parque de Jogos do Pego e de ambos os lados, cedo se percebeu, pelas noticias vindas da Glória do Ribatejo que as duas equipas se tinham mesmo era que se preocupar com o seu jogo, pois à União de Santarém estava a sair tudo ao contrário.

Os minutos iniciais são de ascendente dos forasteiros que pareceram mais tranquilos, fazendo uma melhor circulação de bola e tendo um ligeiro domínio territorial, mas sem criar perigo na área pegacha. Paulatinamente os homens da casa vão assentando o seu jogo, equilibram-no e passam mesmo a ter mais posse e a jogar mais tempo no meio campo adversário. Se os comandados de Rui Bugalhão pareciam ter as operações controlados quanto ao perigo para a baliza de Joel, não se livraram de três valentes sustos no primeiro tempo, aos minutos 19, 32 e 34. No primeiro lance é Fábio Santos que em zona frontal, e já na área de rigor, atira ao lado.

_MG_6987
Fábio Santos atira ao lado

Depois foi João Lopes que no coração da área e com a baliza mesmo á sua frente, cabeceia para fora e depois voltou a ser Fábio Santos que consegue isolar-se mas como a bola lhe fugiu para o piro pé, o esquerdo, perdeu o tempo de remate a ajeitar o esférico para o pé direito. Por parte do Ferreira do Zêzere o mais perigoso que conseguiu foi um remate em arco de Rafael, para defesa fácil de Norberto.

_MG_7014
João Lopes cabeceia por cima

_MG_7025
Rafael atira fácil para Norberto

Ao intervalo registo para um empate a zero que, pelo que se ia sabendo, colocava o Ferreira do Zêzere na 1ª Divisão Distrital. No entanto, para a importância do jogo e para o que as duas equipas já tinham demonstrado ao longo da época, o nulo sabia a pouco, ficando no ar que, nos primeiro 45 minutos tinha havido mais preocupação em não sofrer que em marcar.

No segundo tempo voltam a entrar melhor os homens de amarelo, tendo mesmo aos 50 minutos posto à prova Norberto, com um remate traiçoeiro de fora da área de João Ramos, que o guardião pegacho teve que se arrojar ao pelado para suster.

Certo é que Nando Costa faz duas alterações que transformam o jogo da equipa da casa. Retira João Salgueiro e Tiago Marchante e coloca Diogo e André Neves. Ambos os jogadores entraram bem na partida. Diogo colou-se à linha do lado direito do ataque pegacho e ajudou a criar alguns lances de perigo, enquanto que André Neves entrou para ser o organizador de jogo, conseguindo a partir dai a equipa do concelho de Abrantes ter um jogo mais pensado e fluido, ajudando também Bioucas a ter um pouco mais de descanso, porque até ai tinha sido ele o principal motor pegacho. Até que ao minuto 61 surgem dois cantos seguidos para os pegachos. No primeiro, André Neves bate ao primeiro poste onde Fábio Santos cabeceia para trás e Pedro Almeida atira para fora. No segundo, o mesmo André Neves bate ao segundo poste e o mesmo Pedro Almeida cabeceia a contar. Certo que o defesa do Pego tem mérito na obtenção do golo, mas Joel e Diogo Gaspar ficaram mal na fotografia.

_MG_7060
Bola ao segundo poste onde Pedro Almeida, quase sem ângulo cabeceia para a baliza…

_MG_7063
…fazendo o primeiro do jogo

Com 1-0 as coisas viraram-se ao contrário. Agora eram os pegachos em vantagem nas contas da subida e o Ferreira do Zêzere tinha que começar a fazer pela vida, mas quando Rui Bugalhão tenta dar novo desenho à sua equipa, voltam a surgir André Neves e Diogo no jogo. O primeiro inicia a jogada e o segundo assiste João Lopes para o 2-0. Tinham passado apenas 3 minutos desde o primeiro golo, ou seja, eram jogados 64 minutos.

_MG_7072
João Lopes entra na área…

_MG_7075
…e desvia de Joel para o segundo golo do jogo

Com pouco mais de 25 minutos para jogar os ferreirense eram agora obrigados a mostrar o que só em curtos espaços tinham feito, mandar no jogo e atacar. Rui Bugalhão faz o que lhe competia. Passa a jogar com três defesas, coloca quatro homens no meio campo e três na frente. Estava encontrada a formula para dar a volta aos acontecimentos, mas como nem tudo o que parece é, a calma e a clarividência para fazer as coisas bem não ia aparecendo, e o melhor que conseguiram foi reduzir aos minuto 70 por César num belo apontamento de cabeça, na sequência da marcação de um livre lateral a meio do meio-campo defensivo pegacho.

_MG_7088
César cabeceia…

_MG_7090
…Norberto voa, mas a bola acaba no fundo da baliza pegacha. Renascia a esperança do Ferreira do Zêzere

Até final os lances de maior perigo foram protagonizados por Diogo (minuto 78), quando em plena área acerta de raspão na bola, perdendo a oportunidade de “matar o jogo” e por Mauro, ao dez minutos do fim, que de fora da área remata forte e em jeito, levando as hostes pegachas a suster a respiração, pois a bola saiu a pouca distância do poste direito de Norberto.

_MG_7106
Diogo mal acerta na bola, perdendo a hipótese do 3-1

_MG_7122
Mauro disparou a pouca distância da baliza do Pego

Após quatro justificados minutos de compensação (mais um também não ficaria mal), surge o apito final com a festa do lado pegacho e a desilusão do lado ferreirense.

_MG_7149
Mal soou o apito de João Mendes a festa começou no Parque de Jogos do Pego

_MG_7164
Abraço da vitória entre o Director Desportivo do Pego, Eduardo Jorge, e o Treinador, Nando Costa, com Zé Tomé na frente

_MG_7169
Com a festa de um lado e a tristeza do outro, o jogo termina com fair-play

Em suma, pode dizer-se que a vitória do Pego é correta, pois foi a equipa que mais fez para vencer. Mostrou união e querer ser feliz, sabendo ir à procura dessa felicidade. Errou menos que o adversário e soube tirar partido dos erros alheios. Em nossa opinião o Ferreira do Zêzere teve uma atitude passiva em demasia. Faltou-lhe um pouco mais de ousadia, para de quando em vez, tentar atacar um pouco mais e deixar “em sentido” e preocupada a equipa da casa. Em três minutos foi atingida duas vezes e o tempo já não abundava. No entanto nada pode ser apontado aos seus jogadores que tudo fizeram, correndo até não poder mais para inverter a adversidade.

Contas finais a Casa do Povo do Pego sobe ao Campeonato Distrital da 1ª Divisão, enquanto que o Sport Clube Ferreira do Zêzere permanece na 2ª Distrital.

Quanto ao trio de arbitragem podia dizer-se que não se tinha dado por ele e que isso é o melhor que se pode escrever sobre a arbitragem. No entanto vamos dizer que seu deu e bem pela sua presença em campo. Tranquilidade, movimentações corretas, sinalética quase exemplar e controlo de todas as situações foram o que deixaram que se notasse. Até em pequenos detalhes de gestão do jogo e de compensação de algumas ocorrências se nota um outro nível e experiência. Não é em vão que são três dos melhores árbitros do nosso distrito, sendo também de louvar o Conselho de Arbitragem, pela preocupação em mandar os seus melhores elementos para um jogo de tamanha importância.

Ficha do jogo

Parque de Jogos do Pego

Árbitros: João Mendes, Jorge Maia e Paulo Raposo

_MG_6937
Rato (capitão do Ferreira do Zêzere), Paulo Raposo, João Mendes, Jorge Maia e Igor (capitão do Pego)

CP Pego

Norberto, João Ruivo, Zé Tomé, Pedro Almeida, Igor, Tiago Garrido, João Bioucas, Tiago Marchante (André Neves), João Salgueiro (Diogo), Fábio Santos (António Sanches) e João Lopes

Suplentes: Caio, Nuno Felício, André Neves, António Sanches e Diogo

Treinador: Nando Costa

_MG_6945
Casa do Povo do Pego

SC Ferreira do Zêzere

Joel, Mantorras, César, Espada, Diogo Gaspar, Gerardo, João Mendes (Filipe), António Marques (Celso), Rafael (Mauro), João Ramos e Rato

Suplentes: João Pedro, Celso, Duarte Gaspar, Mauro e Filipe

Treinador: Rui Bugalhão

_MG_6944
Sport Clube Ferreira do Zêzere

Marcadores: Pedro Almeida (61′) e João Lopes (64′) ; César (70′)

Cartão Amarelo: João Bioucas (79′) e Igor (90’+1) ; Mantorras (34′)

A opinião dos treinadores:

Nando Costa (Pego)

Rui Bugalhão (Ferreira do Zêzere)

 

Entrevista a Carlos Cadete Presidente da Casa do Povo do Pego

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here