Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Futebol (1ª Distrital): Pego entra em grande ao vencer em Ourém (com áudio)

Ourém, 11 de Setembro de 2016, 17 horas

- Publicidade -

Campeonato Distrital da 1ª Divisão de Seniores da A.F.S.

1ª Jornada

- Publicidade -

Clube Atlético Ouriense 1 – Casa do Povo do Pego 2

Crónica de João Sampaio

Primeira jornada do campeonato aguardada com grande expetativa para as duas equipas, uma vez que os ourienses apostam em fazer uma época mais tranquila que a anterior e os pegachos, vindo do escalão secundário, pretendem estabelecer-se no patamar mais alto do futebol distrital.

Com algum calor, começaram melhor os donos da casa, que mostraram mais posse de bola, melhor circulação e com passes a toda a largura do terreno iam tentando chegar à baliza de Daniel. Diga-se que a chamada a titular de Daniel para o lugar de Norberto constituiu uma surpresa, mas o jovem guardião acabou por corresponder e bem à responsabilidade. Os comandados de Cajó iam criando alguns calafrios ao último reduto do Pego, mas na hora de entrar na zona de rigor, o discernimento não era o melhor ou então aparecia um bloco defensivo pegacho quase irrepreensível.

Os forasteiros jogando numa toada de expetativa, povoaram o seu meio-campo, deram a iniciativa de jogo ao adversário e iam tentando sair em contra-ataques.

Diga-se que o Ouriense tudo fez para ir a vencer para o intervalo, não o conseguindo devido ao bom desempenho defensivo do Pego e por ineficácia do seu ataque. No final dos primeiro quarenta e cinco minutos registava-se um empate a zero.

img_5571
Foto Cátia Matos

A etapa complementar foi mais movimentada. O Ouriense tentou imprimir mais velocidade, para tentar colocar-se na frente do resultado e depois gerir as operações. Foi criando alguma oportunidades, mas Daniel e os seus colegas da defesa, iam segurando o empate. Já diz a batida frase do futebolês, “quem não marca sofre”, e foi isso que aconteceu. Numa saída organizada do Ouriense, na fase inicial de construção acontece um mau passe, João Ruivo que vinha a recuperar no terreno fica com a bola, vai até à linha de fundo, cruza da direita e ao primeiro poste Luís Ferreira antecipa-se ao guardião ouriense, fazendo o primeiro do jogo. Balde de água fria para as hostes da casa, mas como o calor era tanto, rapidamente o efeito passou e foram em busca do empate. O que veio a acontecer, por Tico, três minutos volvidos. Jogada individual de Testas pela esquerda, dribla alguns adversários e coloca na área, o primeiro remate encontra um defesa pela frente e na recarga Tico restabelece a igualdade.

Com pouco mais de dez minutos para jogar, tudo levava a crer que o empate seria o desfecho final, mas numa situação de bola cá – bola lá, noutro cruzamento da direita, a bola percorre toda a área do CAO, aparecendo Luís Ferreira a bisar na partida, quando faltavam dois minutos para os noventa e o resultado não iria sofre mais alterações.

Pode considerar-se que o Ouriense, pelo que fez, não merecia perder, mas o futebol é um somatório de vários fatores, as equipa montam a estratégia de acordo com as armas que têm, tendo o Pego sido mais eficaz e feliz, conquistado três preciosos e moralizadores pontos, num campo sempre difícil para quem lá se desloca.

O trio de arbitragem esteve em bom nível.

img_5569
Foto Cátia Matos

Ficha do jogo

Campo da Caridade

Árbitro: Filipe Correia

Árbitros assistentes: João Imaginário e Diogo Gonçalves

CA Ouriense

Rafa, Palheta, Pepa, Portugal, Nuno, Ruas (Célio), Marçalino (Testas), Matias, Marques (Pedro Gordo), Tico e Patrick

Suplentes: Mauro, Célio, Neto, Testas, Jota, Martins e Pedro Gordo

Treinador: Carlos Gonçalves

CP Pego

Daniel, João Ruivo, Basílio, Zé Tomé, Igor, Tiago Marchante, Faneca, Danilo (Pisco), Luís Ferreira, Tiago Silva e Singéis (Gustavo)

Suplentes: Norberto, Guilherme, Henriques, Gustavo e Pisco

Treinador: Wilson Leite

Marcadores: Tico (79′) ; Luís Ferreira (76′ e 88′)

A opinião dos treinadores:

Carlos Gonçalves (Ouriense)

Wilson Leite (Pego)

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome