Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Julho 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Fórum regional indústrias criativas”, por Massimo Esposito

No dia 29 de Novembro, no TagusValley de Abrantes, pela primeira vez reuniram-se criativos de várias áreas a apresentar o próprio trabalho, as próprias ideias, numa proposta da Médio Tejo Criativo, o FRIC.

- Publicidade -

Nesta manhã fria mas solarenga havia desde produtores de mel a criativos da área do coaching e do entretenimento de rua, aguarelistas que conseguem transferir o próprio trabalho tão leve em telas e malas de tecido, modistas e criativos na área da escultura e tratamento em pele.

Músicos alegraram o ambiente e jovens cozinheiros de Constância aliviaram os apertos da fome a quem desde manhã estava a apresentar as suas ideias e a demonstrar como se poderiam realizar.

- Publicidade -

O original desta experiência foi que se deu a oportunidade aos da terra de fazer sentir a própria voz, de trocar impressões não com colegas Japoneses ou Dinamarqueses, mas do Médio Tejo, aqui perto de nós.

Era isto que faltava nesta cidade de GRANDES artistas e IMPRESSIONANTES Galerias e Fundações que estão a excluir os jovens e poucos criativos remanescentes.

Foi criada una iniciativa que espero vivamente possa continuar a crescer e mostrar o que a nossa região tem e pode desenvolver, a NOSSA realidade.

Pessoalmente estou convencido que temos tudo o que se pode pensar para realizar eventos, criar empresas de jovens para o jovem mercado, e que existem sinergias suficientes.

Estou também cansado de ver alunos e amigos sair da região e do País por não encontrarem resposta aqui , onde, com um pouco mais de atenção, seria possível resolver a situação.

Eu, com um colega, tive de me inventar ” grafiteiro” e foi algo interessante e vi como os estudantes da ESTA se mostraram interessados em ver o progresso do trabalho, a arte está em movimento, sempre, e temos de acompanhar esta passagem porque, quem pára…morre.

Fiquei satisfeito com esta experiência e penso que também os outros participantes levaram para casa algo de positivo e serão apresentados resultados convincentes.
O futuro o dirá.

Pintor Italiano, licenciado em Arte e com bacharelato em Artes Gráficas em Urbino (Itália), vive em Portugal desde 1986. Em 1996 iniciou um protejo de ensino alternativo de desenho e pintura nas autarquias do Médio Tejo que, após 20 anos, ainda continua ativo. Neste projeto estão incluídas exposições coletivas e pessoais, eventos culturais, dias de pintura ao ar livre, body painting, pintura com vinho ou azeite, e outras colaborações com autarquias e instituições. Neste momento dirige quatro laboratórios: Abrantes, Entroncamento, Santarém e Torres Novas.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here