Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Fórum Ibérico termina em Vila Franca de Xira com criação de confraria do Tejo

A criação de uma confraria, o melhor aproveitamento turístico e necessidade de despoluição foram as principais conclusões do 2.º Fórum Ibérico do Tejo, que se realizou este fim de semana em Vila Franca de Xira.

- Publicidade -

Durante dois dias, especialistas portugueses e espanhóis debateram a revitalização e sustentabilidade do rio Tejo, procurando alertar para a necessidade de ambos os países articularem estratégias conjuntas.

Na sessão de encerramento, o presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita (PS), anfitrião deste 2.º Fórum Ibérico, lembrou que resolver os problemas do rio Tejo é uma questão global e deverá fazer parte da agenda política.

- Publicidade -

“Tem de existir uma ação que oriente e que diga o que esperam dos municípios. Existem muitas entidades mas não há uma interligação entre elas”, queixou-se.

Nesse sentido, o autarca sublinhou que “não se pode continuar a assistir a um Tejo poluído” e “não tirar o melhor proveito das suas potencialidades”.

Alberto Mesquita congratulou-se também com o estabelecimento de um acordo para a criação de uma confraria do Tejo, que apesar de ter uma vertente mais gastronómica, poderá ser ter um papel muito importante na revitalização do rio.

“Era uma ambição antiga. Deste fórum resultou a criação de uma comissão instaladora que agora irá dar início ao processo de formalização da confraria, sendo o próximo encontro em Alpiarça”, explicou à agência Lusa Alberto Mesquita.

Por seu turno, o presidente da Associação Independente para o Desenvolvimento Integrado de Alpiarça (AIDIA), João Serrano, outro dos promotores desta iniciativa, fez um balanço muito positivo deste encontro, sublinhando que os contributos serão “muito importantes para o futuro do rio Tejo”.

“Começa a existir uma grande sensibilização das entidades e da opinião pública para os problemas do Tejo. Esperemos é que daqui para a frente se possa olhar para estas questões de forma integrada”, disse o responsável à Lusa

O presidente da AIDIA apontou para a necessidade de se olhar para a “economia do Tejo” e explorar todas as suas potencialidades turísticas: “Temos o sonho de criar uma rota turística no Tejo. Em 2009 esse projeto ainda chegou a ser aprovado mas nunca houve verbas”, lamentou.

Relativamente aos problemas da poluição do Tejo, João Serrano referiu que não se pode afirmar com certeza que o rio está mais poluído do que no passado, mas que esse problema está mais visível devido à cor das águas.

João Serrano manifestou ainda a intenção de vir a realizar uma 3.ª edição do Fórum Ibérico no próximo ano, desta vez em território espanhol.

A primeira edição deste Fórum Ibérico realizou-se em 2012, em Santarém.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome