Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Sábado, Junho 12, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Forças Armadas colocam no terreno novo conceito de Apoio Militar à Emergência Civil

As Forças Armadas vão colocar em funcionamento o novo conceito de Apoio Militar à Emergência Civil (AMEC), cujo principal objetivo passa por ganhos de eficiência e de eficácia.

- Publicidade -

“O novo conceito de apoio militar a emergências civis é um conceito, desde logo, que vai abranger todas as potenciais intervenções das Forças Armadas (FA) em apoio à proteção civil, que enquadra aquilo que é o potencial de colaboração das FA, ou seja, no caso que aqui nos trouxe, no apoio ao combate ou a vigilância dos incêndios rurais”, afirmou à agência Lusa, o contra-almirante Nobre de Sousa.

O militar, que esteve na apresentação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR 2021), no aeródromo das Moitas, em Proença-a-Nova, distrito de Castelo Branco, referiu que este conceito vai ser operacionalizado por um plano e vai ter planos subsidiários para cada uma das potenciais catástrofes.

- Publicidade -

“Terá um plano para combate a incêndios, um plano para a vigilância aos incêndios, a situações de cheias e um para situações de sismos”, sustentou.

Segundo o contra-almirante, até agora o que acontecia era que as FA, disponibilizavam um conjunto de meios e capacidades e depois as entidades apoiantes, empregavam em função das suas necessidades.

“Até agora, entregávamos um conjunto de meios e dizíamos: durante esta época de fogos podem empregar este conjunto de meios. A partir de agora, as entidades dizem-nos que tipo de missão é que temos que fazer. Ou seja, deixamos de atribuir meios e que nos digam o que é para fazer. O que pretendemos é que nos digam o que é para fazer e nós dizemos como é que fazemos”, sublinhou.

Com isto, Nobre de Sousa diz que pretendem otimizar o dispositivo das FA.

“O que se pretende são ganhos de eficiência e desejavelmente, ganhos de eficácia”, concluiu.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome