- Publicidade -

Terça-feira, Janeiro 18, 2022
- Publicidade -

Autárquicas/Ferreira do Zêzere | Um debate histórico com um recorde de candidatos (C/VIDEO)

O auditório da Biblioteca Municipal de Ferreira do Zêzere foi pequeno para acolher as dezenas de pessoas que quiseram assistir ao debate entre os seis candidatos à Presidência da Câmara Municipal para as eleições autárquicas de 1 de outubro.

- Publicidade -

O debate que se realizou dia 11 de setembro, organizado pelo mediotejo.net, foi histórico por dois motivos: primeiro porque pela primeira vez se realizou um debate público entre candidatos e depois porque nestas eleições se regista um recorde de candidaturas, seis.

Durante duas horas e 45 minutos, (CDU), António Vicente Martins (CDS-PP/Nós Cidadãos), Bruno Gomes (PS), Jacinto Lopes (PSD), Pedro Gonçalves (Independentes + Ferreira do Zêzere) e Peter Calafate (Bloco de Esquerda) apresentaram as suas propostas para o concelho e argumentaram as razões que podem justificar o voto na sua candidatura.

- Publicidade -

Entre os vários temas em debate, o turismo, com destaque para a aldeia-maravilha Dornes e a albufeira de Castelo do Bode, é consensual como área prioritária a potenciar no concelho.

O candidato da CDU, António Matos, 70 anos, divide a sua vida entre Lisboa e Ferreira do Zêzere e reconhece que não é fácil acompanhar a vida política do concelho. Não deixa de apelar ao voto com o argumento do trabalho feito e as provas dadas pela CDU nas outras autarquias locais onde a força política que representa tem maior expressão. Promete “lutar pelos mais elementares direitos dos cidadãos” como tem feito a CDU.

Os candidatos do PSD, CDS-Nós Ferreirenses e + Ferreira do Zêzere (Foto: mediotejo.net)
- Publicidade -

Há 12 anos na liderança do PS de Ferreira do Zêzere, Bruno Gomes mostra-se confiante na sua candidatura até porque “o PS tem vindo a crescer”, tem atuado de forma construtiva como oposição e é a única força política com capacidade para fazer frente à atual gestão social democrata, argumenta. Fala da sua equipa “de muita qualidade” na qual se orgulha com o objetivo de “fazer mais, imprimir mais dinamismo, resolver os problemas de todos e de cada um” através de “uma câmara de portas abertas”, numa lógica de proximidade afirmando o concelho a nível regional e nacional

Há oito anos como Presidente da Câmara mas já há 24 como autarca, Jacinto Lopes (PSD) afirma que sente a mesma energia como quando entrou na vida política autárquica. Mostra-se motivado sobretudo porque tem “uma grande equipa, coesa, leal e trabalhadora”. Acrescenta que conhece as pessoas e as suas necessidades e o concelho como poucos. Numa lógica de “dinâmica”, refere que pretende continuar a trabalhar para completar a sua obra. Reforça a ideia de ter “a melhor equipa, com provas dadas, que mostrou estar à altura nos melhores e nos piores momentos”. É de opinião que “o concelho mudou muito, há maior proximidade com pessoas, com as empresas, com as associações”. “Queremos continuar na senda do desenvolvimento do concelho e que continue a ser bom viver aqui”, conclui apontando como principal adversário a abstenção.

Os candidatos do BE, CDU e PS (Foto: mediotejo.net)

O médico António Vicente Martins (CDS-Nós Cidadãos) afirma que nestas eleições “são cinco contra um. Todos querem derrubar o Dr. Jacinto, vai ser uma luta dura”. A trabalhar como profissional de saúde há 35 anos argumenta que conhece bem Ferreira do Zêzere de uma ponta a outra e que “tem uma equipa multidisciplinar, maravilhosa, de jovens, com capacidade de trabalho, uma equipa vencedora”. Anuncia-se como “um presidente de proximidade” que quer continuar a “amar esta terra e a dedicar-se às pessoas”. Apresenta como exemplo de dedicação a sua atividade de médico voluntário e de Presidente da Casa do Povo.

Pedro Gonçalves (Independentes + Ferreira do Zêzere), que durante 16 anos esteve ligado à Presidência da Câmara e à Vereação mas saiu em rutura com o atual Presidente Jacinto Lopes, apresenta-se como candidato para “dar voz a todos aqueles que estão descontentes com a realidade atual do concelho”. “Sinto que é o momento de dar um passo em frente, que tenho competência”, afirma. Na sua opinião “chegou o momento de fazer um novo tipo de política e de colocar as pessoas em primeiro lugar”. “Não se resignem porque podemos mudar a realidade da nossa terra”, conclui.

Largas dezenas de pessoas assistiram ao debate (Foto: mediotejo.net)

Estreante na política, o bancário Peter Calafate (Bloco de Esquerda) diz que, por opção própria, está a trabalhar no concelho há 25 anos, apesar de residir em Tomar. Reconhece ser difícil a sua tarefa como candidato mas o seu objetivo é “ouvir as pessoas, ser uma voz ativa na Câmara e tentar ao máximo ajudar o concelho e os ferreirenses”. Sem fazer promessas, anuncia uma política de proximidade.

Durante quase três horas, os seis candidatos esgrimiram argumentos para potenciar o concelho por exemplo a nível do turismo aproveitando a eleição de Dornes como uma das 7 Maravilhas de Portugal e continuar a explorar as potencialidades da albufeira de Castelo do Bode com mais praias fluviais e desportos náuticos como o wakeboard.

Inevitável, o tema dos incêndios, as medidas preventivas e as políticas de reflorestação foram também dissecadas pelos candidatos. A situação financeira do município, a marca identitária do concelho como capital do Ovo, as questões da educação e dos apoios sociais à terceira idade e aos mais carenciados e o problema da quebra demográfica e da desertificação foram motes para a troca de argumentos com cada um a apresentar as suas propostas. Debateu-se ainda a questão da descentralização de competências para os municípios e destes para as freguesias, bem como a qualidade ambiental do concelho.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. A forma como foi Trabalhado o debate de Ferreira do Zêzere com a presença dos seis candidatos há Câmara Municipal. A forma como está desenvolvida a reportagem escrita, leva-me a considerar, que a isto se chama jornalismo.
    Digo isto, por ter estado presente a assistir, ter verificado uma postura por parte dos jornalistas e da sua equipa, uma atitude isenta, e profissional.
    Deixo aqui os meus parabêns pelo trabalho realizado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome