Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Troncos de madeira dão forma ao presépio da Casa do Povo (c/vídeo)

Três associados da Casa do Povo de Ferreira do Zêzere meteram mãos à obra e criaram um original presépio de Natal feito a partir de troncos de madeira, não faltando as figuras principais desta quadra natalícia. Fernando Santos, Rosa Santos e Manuela Martins sonharam em fazer algo diferente e concretizaram. O resultado surpreende todos os que ali passam, também devido às suas dimensões, desde o dia 25 de novembro. Vai ali permanecer até ao Dia de Reis, prometendo encantar quem o visite.

- Publicidade -

Fernando Santos, Rosa Santos, Manuela Martins e António Vicente Martins junto ao presépio no exterior da Casa do Povo Foto: mediotejo.net

Os criadores do presépio, aqui colocado pela primeira vez, explicaram ao mediotejo.net como surgiu esta obra. Manuela Martins, esposa de Vicente Martins (atual presidente da direcção da Casa do Povo) conta que o mesmo, já no Natal anterior, teve a ideia de se fazer um presépio de rua.

- Publicidade -

 

Uma das imagens deste presépio, neste caso, a escultura representativa de São José Foto: mediotejo.net

“O ano passado, comprámos umas imagens grandes de barro e pintámo-las, na oficina de Artes da Casa do Povo, mas acabámos por as deixar dentro de portas porque tínhamos medo que nos roubassem as peças porque não tinham sido baratas. Depois vi, em algumas aldeias, presépios muito bonitos de rua e falei com a D. Rosa e o Senhor Fernando propondo que fizessemos um presépio de madeira”, disse Manuela Santos, conhecedora do talento de Fernando Santos para as artes e ofícios.

Juntaram-se em três fins-de-semana, a preparar as madeiras, e seguiu-se o trabalho de montagem que durou um dia, não faltando o musgo e o telheiro. O processo de esculpir os troncos resultou da inspiração e do método tentativa-erro. “Foi tudo de improviso. Começámos a cortar aos bocados, acrescentávamos e moldámos. Quando se estragava, fazia-se outra”, conta Fernando Santos, entre risos. As figuras do presépio são todas desmontáveis – graças a uma técnica que inclui o cabo de uma vassoura – o que possibilita que sejam aproveitadas para o ano.

A “ovelha” que adorna o presépio da Casa do Povo Foto: mediotejo.net

Também Rosa Santos teve a original ideia de fazer um terço a partir de bolotas e bogalhos que encontrou no chão, quando andavam à procura dos troncos de madeira. “Comecei a ver as bolotas no chão e depois lembrei-me que podíamos fazer um terço. Falámos os três e concordámos. É tudo com materiais reaproveitados”, disse. Neste presépio não faltam as ovelhas nem um anjo, sendo também o telheiro feito de raiz neste local. O maior desafio, revelam, encontraram-no nas orelhas e no pescoço destas figuras. Quando terminaram esta obra sentiram-se todos muito felizes. “O mais gratificante é ouvir dizer, por parte de quem visita o presépio, que está muito bonito e sentir que a Casa do Povo também é falada por isso”, atestam.

António Vicente Martins é o presidente da direcção da Casa do Povo de Ferreira Foto: mediotejo.net

O presidente da direcção da Casa do Povo, António Vicente Martins, mostra orgulho com esta obra de arte que é um motivo de atracção extra não só para os habitantes de Ferreira do Zêzere como para todos os que ali passam, no sentido do Lago Azul. O responsável disse ao mediotejo.net.

“A Casa do Povo está virada, neste momento, para as áreas da Cultura, Educaçao e Desporto. Neste momento estamos muito ligados à música. O primeiro Grupo que foi constituído foi o Cultural e as Concertinas”, disse, sublinhando que o grupo de concertinas tem vindo a representar a Casa do Povo em muitas festas e eventos.

O Presépio da Casa do Povo promete voltar no próximo ano, prometendo continuar a surpreender, uma vez que é feito com o ingrediente principal: amor.

Ferreira do Zêzere – Presépio de Madeira na Casa do Povo

Publicado por mediotejo.net em Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

 

 

 

 

 

 

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome