Ferreira do Zêzere | Município entra na corrida das 7 Maravilhas Doces de Portugal

O concurso 7 Maravilhas vai premiar desta vez os doces de Portugal, encontrando-se a decorrer a fase de candidatura dos municípios. Ferreira do Zêzere candidatou-se na última semana com sete doces típicos do concelho.

Segundo informação disponibilizada pelo município, os doces a concurso são: tigeladas de Ferreira do Zêzere (Doces de Território); Bons Maridos e Boas Esposas (da Pastelaria Pérola do Zêzere – Doces de Pastelaria); Pudim de Abóbora (do restaurante Casa dos Leitões – Doce de Colher e Doce à Fátia); Dornitos (do restaurante O Rio – Bolos Secos); Bolinhos dos Santos (Doces Festivos); Mel de Queiró (de “Serra de Dornes – Ildebrando Ferreira – Doces de Fruta e Mel); Mousse de Fava (de restaurante Casa dos Leitões – Doce de Inovação).

As 7 Maravilhas Doces de Portugal querem eleger os melhores doces de Portugal, com foco na tradição e na inovação, associadas a determinada região do país. Na primeira fase um painel de especialistas vai votar para selecionar vinte e um doces de cada distrito ou região autónoma. De seguida, a lista será reduzia a sete.

PUB

A lista dos sete finalistas por distrito será divulgada a 7 de abril de 2019, seguindo-se as eliminatórias regionais e as meias-finais, de julho a agosto.

A Gala final decorre no dia 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre.

PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).