Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Novembro 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Má utilização de palco municipal leva executivo a limitar cedências

Na reunião camarária de quinta-feira, 28 de fevereiro, o executivo municipal discutiu e aprovou um conjunto de novas regras para a cedência de equipamentos, nomeadamente palcos para festas populares. Segundo explicou o vereador Paulo Neves (PSD), sendo apoiado pelo presidente Jacinto Lopes (PSD), há alguma anarquia na utilização do palco municipal e, por vezes, falta de cuidado com os equipamentos, pelo que o município não encontrou outra solução que estabelecer novas regras, limitado as cedências.

A proposta, aprovada em reunião, estabelece que os pedidos das entidades organizadoras de festas populares para empréstimos de “baias, sinalização, contentores de resíduos e palco menos recente” devem ser feitos por escrito, via email. Neste sentido, será realizada a verificação da disponibilidade dos equipamentos para os dias requeridos, sendo que será “da responsabilidade dessa entidade o levantamento, transporte, montagem, desmontagem e a entrega do mesmo, nas instalações da Câmara Municipal. Para tal previamente deverão contactar os encarregados Sr. Salvador ou Carlos Ideias”.

O executivo decidiu ainda que o levantamento dos equipamentos “poderá ser feito a partir da última segunda-feira antes do evento e a sua entrega deverá ocorrer na terça-feira imediatamente a seguir ao mesmo, entre as 8h00 e as 16h00”. A terminar, salienta que “todo o equipamento será verificado por ambas as entidades, aquando do seu levantamento e entrega”.

O tema levantou algum debate, com o deputado Bruno Gomes (PS) a questionar se não se estaria a limitar em demasia o uso dos equipamentos e se não se deveria apostar mais na sensibilização dos utilizadores. Paulo Neves e Jacinto Lopes argumentariam, porém, com a vasta experiência nestas cedências, defendendo a implementação de novas regras.
O tópico acabaria a ser aprovado.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome