Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Junho 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Freguesia de Nª Srª do Pranto “é um Mini Município” e Dornes a joia da coroa

Serão poucos os que não conhecem Dornes, aldeia ribeirinha do rio Zêzere, grande vencedora da iniciativa 7 Maravilhas de Portugal na categoria de aldeias ribeirinhas, em setembro de 2017. Uma albufeira (Castelo do Bode), uma península, um santuário e uma referência na história dos Templários em Portugal. Tudo isto é Dornes, a principal atração turística do concelho de Ferreira do Zêzere, que faz parte obrigatória dos circuitos de lazer e turismo no interior de Portugal.

- Publicidade -

É também, a par de Frazoeira, Carril e Paio Mendes, uma das localidades de referência na freguesia de Nossa Senhora do Pranto, criada em 2013 por agregação das centenárias freguesias de Dornes e de Paio Mendes.

Se a aldeia rainha é mais do que conhecida, o mesmo não se pode dizer da freguesia onde se insere, com muitos outros motivos de interesse.

- Publicidade -

O presidente da Junta de Freguesia, Manuel Nunes, costuma dizer em tom de brincadeira que Nª Srª do Pranto “é um Mini Município”. Isto porque, além de dispor de uma série de serviços, mantém a sede da Junta a funcionar todos os dias da semana, das 8h30 às 16h40, com uma funcionária no atendimento. “É um privilégio, porque a maioria das freguesias não tem”, salienta o autarca.

A freguesia de Nossa Senhora do Pranto tem uma área de 30,49 km² onde vivem cerca de 1100 habitantes pelos cálculos de Manuel Nunes, que aponta o número de 806 eleitores nas últimas eleições.

Sede da Filarmónica Frazoeirense, Foto: mediotejo.net

Frazoeira é o local central da freguesia onde se localiza a sede da freguesia. Na localidade funciona o centro de saúde, a farmácia, o Centro de Inovação social que inclui um centro de acolhimento a crianças abandonadas e o centro de dia.

Se a nível cultural o natural destaque vai para a centenária Filarmónica Frazoeirense – a primeira a interpretar o tema que é desde 1911 o hino nacional “A Portuguesa” -, a nível empresarial assume natural relevância a maior empresa produtora de ovos do país, a Zêzerovo – Produção Agrícola e Avícola do Zêzere S.A., que garante cerca de centena e meia de postos de trabalho.

“Nossa Senhora do Pranto é uma freguesia histórica, começando pela torre pentagonal de Dornes, o rio, a igreja da Senhora do Pranto, o Santuário, toda aquela zona envolvente”, realça o Presidente da Junta, visivelmente orgulhoso do seu território.

No campo comercial, a junta de freguesia conseguiu dar nova vida ao mercado semanal do Carril que “está a funcionar muito bem” desde que foram reduzidas as taxas aos vendedores. O mercado “estava moribundo” mas, graças à nova politica fiscal da autarquia, aumentou o número de vendedores, tal como de clientes.

Na volta pela freguesia que o repórter do mediotejo.net deu com o Presidente da Junta, saltam à vista as inúmeras quintas e as casas apalaçadas, muitas delas recuperadas. Seguindo a tendência dos últimos anos no campo do turismo, surgiram várias unidades de alojamento local.

Dornes. Foto: DR

Dornes, a joia da coroa

Ex-libris da freguesia, Dornes é considerada “a joia da coroa” do concelho de Ferreira do Zêzere. Não foi por acaso que, em 2017, venceu o concurso das 7 maravilhas entre as aldeias ribeirinhas.

Na península de Dornes, a torre pentagonal do tempo dos Templários (séc. XII) com as águas da albufeira de Castelo do Bode a seus pés, marca a paisagem onde o verde da floresta e o azul da água são as cores predominantes.

Depois de vencer o concurso das 7 Maravilhas, foram anunciados investimentos para valorização da aldeia.

“Estamos a aguardar que a câmara inicie as obras que prometeu fazer. Os projetos estão encaminhados, mas já se sabe que estas coisas demoram o seu tempo, são precisos vários pareceres”, explica o autarca.

Estão previstos parques de estacionamento à entrada da aldeia, a melhoria do calcetamento e acabar com os fios à mostra entre as casas com a criação de tubagem subterrânea. “A ideia é fazer uma aldeia à antiga”, resume o Presidente da Junta.

Também enredado na burocracia e nos pareceres está o projeto das novas casas de banho de Dornes. Os sanitários que existiam tiveram de ser encerrados por não estarem em condições de serem utilizados. Provisoriamente, as casas de banho da igreja estão sempre abertas conforme acordado entre a junta e a paróquia, até que sejam feitas as obras necessárias. A Junta mandou fazer o respetivo projeto e a câmara assumiu fazer a obra, uma vez que a Junta não tem capacidade financeira.

Nesta fase, além dos sanitários da igreja, a Junta conseguiu que se reabrissem – estavam fechadas há cinco anos – umas casas de banho em madeira que já existiam à beira do rio.

Na reta final do seu primeiro mandato e a preparar a recandidatura, Manuel Nunes elenca algumas obras “que faziam falta”, as quais tenciona inaugurar assim que as condições sanitárias o permitam.

A Zêzerovo é a principal empresa da Freguesia. Foto: mediotejo,net

A Junta investiu em dois parques de lazer equipados com máquinas de ginástica, um na Frazoeira junto ao centro de saúde e outro em Paio Mendes, perto da antiga sede da junta.

Em marcha está ainda o projeto de um parque infantil a implantar no adro da igreja de Paio Mendes, local central da freguesia onde decorre a catequese com a consequente concentração de crianças. A igreja cedeu o terreno necessários e nesta fase aguarda-se a entrega do projeto. “Depois demos de arranjar o dinheiro e temos de o contruir antes de terminar o mandato”, anuncia o autarca.

Nesta fase do ano (primavera), decorre a campanha da cal em que a Junta disponibiliza aos seus fregueses este produto para a pintura de muros.

A crise demográfica e o envelhecimento da população são dois problemas que preocupam Manuel Nunes, que resume esta ideia numa frase: “crianças, ou melhor a falta delas, e os idosos são as nossas principais preocupações”.

Em 2020 a junta apenas atribuiu dois subsídios de natalidade, ou seja, nasceram apenas duas crianças na freguesia. Para 2021 há a expectativa de que surjam mais crianças. “É com gosto que atribuímos os subsídios de natalidade porque é sinal de vitalidade da freguesia”, explica o autarca. Na freguesia não funciona qualquer escola, existe sim um centro ATL – Atividades de Tempos Livres ligada à Caritas que funciona em Paio Mendes.

A Associação de Melhoramentos e Bem Estar Social de Pias assume um papel importante no apoio aos idosos e crianças. O centro de dia funciona com 18 utentes e presta apoio domiciliário a cerca de 40 idosos. No centro de acolhimento de crianças em risco estão atualmente alojadas 12 crianças.

Projeto sucessivamente adiado e que tarda em concretizar-se é a construção do lar de idosos, cujas paredes já estão de pé. Há mais de uma década que o edifício foi iniciado no local onde funcionou a casa de saúde da Frazoeira, no entanto, problemas de projetos e de financiamento fizeram adiar o sonho há muito acalentado por aquela IPSS.

Os seus novos dirigentes, com o Vice-Presidente da Câmara, Paulo Neves, à cabeça, e onde está também o Presidente da Junta estão a trabalhar e mostram-se confiantes que na próxima candidatura do Programa PARES, em junho, o projeto seja contemplado

No setor económico além do natural destaque para a maior empregadora, a Zêzerovo, salta à vista a atividade agrícola numa freguesia onde existem sete fruticultores e onde se vê muitos terrenos amanhados e cultivados.

“Ao pé de outras, considera a minha freguesia muito dinâmica”, enaltece o Presidente da Junta que faz questão de, quase diariamente, dar uma volta pela freguesia.

A poucos meses de terminar o seu mandato, e assumindo-se como recandidato natural, Manuel Nunes assume: “gostaria, eu e os meus colegas, de dar continuidade ao nosso trabalho. As coisas estão organizadas como gostávamos e ainda gostava de fazer mais algumas obrazitas, gostava de continuar a trabalhar para o bem das pessoas”.

 

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome