Ferreira do Zêzere | Filarmónica Frazoeirense assinala 179 anos em prol da cultura

Fotografia de grupo nos jardins do Palácio de Belém em maio de 2019. Foto: António Freitas

A Associação Recreativa Filarmónica Frazoeirense, de Ferreira do Zêzere, assinala hoje, dia 8 de setembro, o 179º aniversário da sua fundação. O ano passado, tocou o Hino Nacional no Palácio de Belém, recordando assim ter sido esta a primeira banda filarmónica a interpretar “A Portuguesa” junto de Alfredo Keil, compositor da música, que passava férias no concelho de Ferreira do Zêzere.

PUB

Na ocasião, perante a presença de Marcelo Rebelo de Sousa, foi ainda doado ao Museu da Presidência da República a partitura original do Hino Nacional, pelo arquiteto Francisco Keil do Amaral, bisneto do autor da música e proprietário do documento.

Já em 2001 a Filarmónica interpretou o Hino Nacional no Salão Nobre da Assembleia da República, aquando das comemorações dos 90 anos do Hino Nacional, sendo até hoje, a única banda civil a tocar na Assembleia da República.

PUB
Presidente da República conviveu em 2019 com a Filarmónica Frazoeirense, que tocou o Hino Nacional no Palácio de Belém Foto: António Freitas

Covid-19 | Filarmónica Frazoeirense prepara festa dos 180 anos

A Associação Recreativa Filarmónica Frazoeirense comemora esta terça-feira, dia 8 de setembro, 179 anos ao serviço da cultura. De forma ininterrupta tem desenvolvido a cultura no concelho de Ferreira do Zêzere através da Banda Filarmónica e Academia de música, Grupo de Teatro e Grupo Coral Polifónico.

PUB

Em comunicado, a direção da Associação dá conta que este ano, devido à pandemia, não poderá comemorar o seu 179º aniversário conforme tem feito nas últimas décadas, deixando um “agradecimento especial a todos aqueles que fizeram e fazem com que esta Associação perdure no tempo, sempre em atividade ao longos de quase dois séculos”.

“No próximo ano contamos organizar as comemorações dos 180 anos em grande, à altura que vos habituámos e condizente com a grandeza desta Associação”, refere Carlos Sousa, presidente da direção da Associação Recreativa e Filarmónica Frazoeirense.

Acompanharam a histórica visita ao Palácio de Belém, em 2019, vários autarcas, incluindo o presidente Jacinto Lopes. Foto: António Freitas

Historial da Associação Recreativa e Filarmónica Frazoeirense

A Associação Recreativa e Filarmónica Frazoeirense foi fundada em 08/09/1841 no lugar da Frazoeira, pelo Comendador Higino Otto de Queiroz e Mello na casa pertencente ao Solar dos Senhores do Vinculo da Frazoeira (data de 1766), propriedade deste ilustre cidadão que se encontra logo à entrada do lugar, razoavelmente conservada.

No início da existência desta coletividade e devido à falta de sede própria história, a Associação Recreativa e Filarmónica Frazoeirense passou por vários edifícios provisórios na localidade, o que originou o extravio de documentação. Na altura do lançamento do primeiro livro “Vidas pela Música” fizemos vários apelos para que nos chegassem documentos que nos ajudassem a escrever a história o mais real e precisa possível, mas tal não aconteceu. No entanto, a documentação história do arquivo da coletividade, ouvindo os testemunhos dos músicos, diretores e amigos desta Associação possibilitaram com os conhecimentos da Drª Teresa Mendes a realização deste livro que pode ser adquirido na nossa sede e noutros pontos de venda.

Neste ano que comemoramos os 179 anos de vida, realçamos algumas datas que são de facto históricas e que ajudam a compreender o percurso rico e autêntico que a todos nos orgulha defender.

Assim a 05/09/1862, 21 anos depois da Filarmónica Frazoeirense ter sido fundada, a mesma participou nas festas da Srª da Guia do Avelar, notícia do Jornal O Alvaiazarense que refere a Filarmónica Frazoeirense.

Em 1891, Alfredo Keil ao passar férias na pensão D. Aninhas em Besteiras, dirigiu-se à Filarmónica para ouvir a música que acabara de escrever “A Portuguesa”, que em 1910 foi adotada Hino Nacional. Outra data que é oficial são os Estatutos da Filarmónica Carrilense, que ao ir para o Carril, terá mudado de nome, estatutos esses com data de 1909. Em 01/04/1943, muda-se para outra sede provisória pertencente à quinta e Solar da família Granado Cotrim Carvalho e Vasconcelos (mais conhecida casa Visconde de Tinalhas data 1748).

A Filarmónica voltou para a sua origem cujo nome voltou a ser alterado por Assembleia Geral em 13/04/1958 passando a denominar-se Associação Recreativa e Filarmónica Frazoeirense.

O grande mentor de tudo, o Dr. José Real e sua família a quem muito devemos pela dedicação na construção da sede e dinamização cultural em várias vertentes.

Até à presente data, muitas têm sido as iniciativas de âmbito cultural e social.

Realçamos mais algumas datas, que foram um marco importante para muitos: a primeira televisão do concelho na casa da música em 1958; a sopa para os pobres inaugurada no dia 01/11/1958 e que se manteve até 1971, altura da reabertura da Casa do Povo da Frazoeira e que veio atribuir as reformas rurais passando as pessoas a ter um meio de sobrevivência; o primeiro Rancho Folclórico “Os Atrividinhos da Frazoeira” em 1956; depois da visita da imagem peregrina de Fátima, na mesma data, a criação do Grupo de Teatro com o nome de Resitas.

Nas últimas 4 décadas também fomos pioneiros em relevantes atividades: – O lançamento do 1º CD;

– O restauro e ampliação da nossa sede completamente renovada;

– Em 19/06/2011 a participação na cerimónia das comemorações dos 90 anos do Hino Nacional na Assembleia da Republica, facto reconhecido por ter sido esta Filarmónica a primeira a ensaiar “A Portuguesa”.

– Comemoração dos 100 anos da Republica em que tivemos um papel de destaque pela nossa ligação à Portuguesa.

– Participação nas comemorações dos 20 anos de serviço dos aviões F16 em Portugal na base aérea de Monte Real.

A 24/05/2019 a Associação Recreativa Filarmónica Frazoeirense, viveu mais um momento marcante da sua história. Como primeira banda a ter executado “A Portuguesa” após a adaptação de piano para orquestra, foi convidada a estar presente na cerimónia de doação da partitura original da marcha patriótica ao Museu da Presidência da República, com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e familiares dos compositores.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here