Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Escolas vão ter novos laboratórios já a partir do próximo ano letivo

Foi hoje, dia 12 de abril, formalmente entregue por parte da DGESTE o protocolo de colaboração promovido pelo Município de Ferreira do Zêzere com a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e Agrupamento de escolas de Ferreira do Zêzere, tendo em vista a instalação de novos laboratórios na Escola Pedro Ferreiro.

- Publicidade -

A curto prazo será realizada visita técnica por parte da DGESTE ao Agrupamento de escolas para dar andamento aos procedimentos necessários para a realização das obras de adaptação das atuais salas existentes, transformando esses espaços em laboratórios.

As obras de adaptação serão responsabilidade da DGESTE. O apetrechamento dos mesmos, assim como respetivo mobiliário, será realizado com investimento da autarquia  de 40 142,13 €, cofinanciado através de candidatura ao abrigo do programa PEDIME/CIMT, medida CENTRO 2020, inserida no âmbito do combate ao insucesso escolar.

- Publicidade -

Ainda ao abrigo do presente programa, a autarquia irá também riar salas de ciências, projeto “Experimenta + Ciência”, nos centros escolares de Ferreira do Zêzere e de Areias, com um investimento total de 33 750,18 € e que permitirá aos alunos de 1º ciclo desenvolver atividades científicas acompanhadas de um programa pedagógico adequado, que tem por objetivo estimular e despertar interesse e curiosidade pelas presentes áreas numa idade precoce. Essas salas entrarão em funcionamento também já a partir do próximo ano letivo.

A entrega do protocolo realizou-se nas instalações da CIMT e contou com a presença de Francisco Neves, Delegado Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo, Hélio Antunes, vereador da Educação da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere, e de Isabel Saúde, Diretora do Agrupamento de Escolas de Ferreira do Zêzere.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome