Ferreira do Zêzere: Dia Mundial do Ovo comemorado com iguarias na mesa

Sexta-feira, 14 de outubro, Dia Mundial do Ovo. O município de Ferreira do Zêzere não podia ficar indiferente a esta efeméride não fosse aqui a Capital portuguesa do Ovo. Vários restaurantes, Casas de Tapas e pastelarias aceitaram o desafio de, neste dia, servir uma iguaria confeccionada a partir do ovo. Jacinto Lopes, presidente da Câmara de Ferreira do Zêzere, disse ao mediotejo.net que ambiciona que o ovo esteja presente não só neste dia mas durante todo o ano na ementa dos restaurantes. Só assim se faz jus ao seu epíteto. Por isso, e para celebrar o Dia Mundial do Ovo, a autarquia distribuiu gratuitamente ovos aos restaurantes e estabelecimentos aderentes para que pudessem confeccionar e dar aos clientes, de forma gratuita, um produto feito a partir do ovo.

PUB

img_9658
José Rosa, do restaurante “A Grelha” prepara ovos mexidos com farinheira Foto:mediotejo.net

Poder-se-ia dizer que há mil e uma maneiras de cozinhar um ovo, um dos alimentos que dizem ser benéfico à saúde. Na cozinha do restaurante “A Grelha”, José Rosa, prepara uma das entradas que são servidas habitualmente: ovos mexidos com farinheira. No tempo do lagostim, costuma acrescentar ainda este ingrediente.

PUB

Não há nada que saber: numa frigideira coloca-se um pouco de farinheira cortada e quando esta estiver um pouco tostada juntam-se os ovos, que já foram polvilhados com uma pitada de sal e pimenta. A seguir mexe-se tudo até ficar pronto a servir. Para terminar, um raminho de salsa para colorir. “É um ingrediente que é muito utilizado. Fazemos muitos pratos com ovos escalfados, colocamos ovo na salada e também o usamos para os nossos doces”, refere o chef.

img_9667
Ovos mexidos com farinheira: apenas uma das muitas maneiras de cozinhar ovos Foto:mediotejo.net

PUB

Castanhas doce. É mesmo este o nome que António Peixoto deu ao doce de ovo que saboreamos na Pérola do Zêzere, bem perto do mercado municipal. Assemelhando-se a uma castanha, graças ao feitio que é marcado com um garfo, é muito fácil de fazer e nem sequer leva muito tempo de forno. Uma delícia.

Por norma só o faz por altura do Natal mas abriu uma excepção para comemorar o Dia Mundial do Ovo. “Faz parte da família dos doces conventuais à base de ovos”, explica. Mas na sua pastelaria, António Peixoto, apresenta ainda tigeladas e outros doces que fazem crescer água na boca. Há 30 anos no negócio, está sempre a inovar, e alguns doces são obra da sua imaginação e engenho.

img_9671
António Peixoto e as deliciosas “Castanhas doces” que ofereceu aos clientes da Pérola do Zêzere Foto: mediotejo.net

Jacinto Lopes refere que Ferreira é a Capital do Ovo tem a ver com o reconhecimento de uma das actividades económicas com maior projecção, uma vez que é o concelho a nível nacional onde se produz mais ovos. “Neste momento, estimamos que em Ferreira do Zêzere se produza entre 40 a 45% dos ovos que se consomem no país”, exemplifica o autarca, atestando que já foi registada a marca Capital do Ovo.

img_9674
O ovo está na base de muita doçaria conventual Foto:mediotejo.net

Para o autarca, registar a marca foi importante também porque permitiu impulsionar a economia do concelho e ao crescimento das empresas. Em Ferreira do Zêzere, 200 postos de trabalho estão directamente relacionados com a indústria dos ovos mas todas as atividades conexas representam muitos mais.

“O Dia Mundial do Ovo já está reconhecido há muito tempo. Dizem que é o segundo melhor alimento, só superado pelo leite materno. E para as famílias é importante até porque o ovo pode ser cozinhado de várias maneiras para servir de refeição”, destacou o presidente da Capital do Ovo.

PUB
Elsa Ribeiro Gonçalves
Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

2 COMENTÁRIOS

  1. O nome do cozinheiro do restaurante “A Grelha do Zêzere ” é José Rosa e não António Rosa. Agradeço que corrijam o erro. Obrigado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).