- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Covid-19 já afetou 5 por cento da população do concelho

Nesta altura cerca de 5 por cento da população do concelho de Ferreira do Zêzere já testou positivo à Covid-19, dos quais 2 por cento já é considerada recuperada. Os dados foram apresentados pelo Presidente da Câmara na reunião de 22 de janeiro, dia em que o concelho somou 16 novos casos e 72 pessoas em vigilância.

- Publicidade -

Nessa altura o concelho apresentava um total de 446 casos, dos quais 186 recuperados desde o início da pandemia. “Os números parecem estar a estabilizar, mas é necessário que voltem para o zero!! Vamos continuar a fazer a nossa parte, pois o sistema de saúde esta um verdadeiro “inferno”, os profissionais estão exaustos e não aguentam muito mais”, apelou Jacinto Lopes.

O autarca alertou para o aumento da estirpe inglesa e do impacto que pode vir a ter. “Vamos ver se conseguimos evitar a 4ª vaga”, afirmou.

- Publicidade -

Os cinco membros do executivo trocaram informações e opiniões sobre o tema, com o Vice-Presidente Paulo Neves (PSD) a revelar alguns contágios que resultam de contactos entre familiares.

“As coisas só não estão piores nos lares e nas IPSS porque, de uma forma geral, todas elas têm tido os cuidados necessários no que diz respeito à proteção individual, à desinfeção e à proximidade com idosos”, congratulou-se o autarca.

Paulo Neves enalteceu o trabalho das “autoridades que estão a fazer o seu melhor”.

“Temos noção que os serviços de saúde não estão a conseguir, em tempo útil, fazer a triagem”, lamentou, fazendo um balanço positivo da campanha de vacinação no concelho.

Ainda sobre o tema da Covid-19, o Presidente da Câmara revelou que alguns bombeiros já foram vacinados, defendendo que “as vacinas que fossem sobrando dos lares fossem atribuídas aos bombeiros porque são eles que estão na linha da frente”.

No entanto, “alguém mandou parar” essa medida, continuando os autarcas a fazer pressão para que os bombeiros sejam vacinados.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).