- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Comandante do Bombeiros fala pela primeira vez da sua demissão: “Fui um alvo a abater”

Mário Ferreira escreve uma carta aos leitores do mediotejo.net, garantindo que durante dois anos foi "enxovalhado" e "vítima de perseguição e assédio laboral", tendo sido alvo de 56 processos disciplinares. Fala em "desvios de dinheiros" por parte daqueles que exigiram a sua demissão e afiança que não desistirá de defender o seu bom nome e o bom nome dos bombeiros.

O ainda comandante dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere, Mário Ferreira, decidiu prestar esclarecimentos ao mediotejo.net sobre a situação polémica na corporação, na sequência de vários protestos ao longo do último ano e da entrega de um manifesto, assinado pela maioria dos Bombeiros e da própria Direção daquela Associação Humanitária, a exigir a sua demissão ou exoneração.

- Publicidade -

Tal como o mediotejo.net noticiou, após a reunião realizada no quartel dos bombeiros, na noite de sexta feira, 5 de novembro, com a presença do Comandante Distrital de Operações de Santarém, do Presidente da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere, da Direção da Associação Humanitária de Bombeiros de Ferreira do Zêzere, do Comando do Corpo de Bombeiros e do Corpo Ativo, Mário Ferreira disse que iria apresentar a demissão.

No final da reunião, nem a Direção da Associação nem o Comandante quiseram prestar declarações. No entanto, após a publicação da notícia do medotejo.net, Mário Ferreira entendeu que devia apresentar a sua versão dos factos.

- Publicidade -

É esse texto que passamos a transcrever:

Caros Leitores,
Começo por agradecer ao mediotejo.net a oportunidade que me está a dar e pelo bom serviço que tem prestado, para, em poucas palavras transmitir alguns, e só alguns relatos dos acontecimentos que levaram o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere, Mário Ferreira, à atual situação.

Não são lamechas, não é uma angariação para o manifesto, não é jogada, é apenas a minha resposta com a verdade de quase dois anos de horror, desgaste psicológico ao mais alto nível, o enxovalhar publicamente a minha pessoa, perseguição e assédio laboral nas suas mais variadas formas.  

A Direção dos Bombeiros de Ferreira do Zêzere, e aqui com um sublinhado muito importante, é só mesmo a Direção, não tenho nada a comentar sobre os restantes órgãos sociais, salvo uma exceção que é conivente com a Direção, a Direção dos Bombeiros resolveu, desde o primeiro momento em que tomou posse, “abater” o Comandante que já tinha um ano nessas funções.

Os objetivos foram sempre claros, o desejo pelo poder associado às funções de Comandante, os controlos totais de toda a atividade financeira foram determinantes para esta “guerra” sem escrúpulos dirigida ao Comandante.

Fui e ainda estou a ser alvo de inúmeros processos disciplinares.

Em resumo, em 2020 inicia a caos. Fui alvo de 56 queixas feitas pela Direção à DNB – Direção Nacional de Bombeiros às quais respondi durante umas 19 horas de audiência. Após conclusão do processo foi tudo arquivado, em todos os pontos de acusação.

Apresentado em tribunal, um processo judicial relacionado com telecomunicações que ainda está a decorrer.

Fui alvo de um processo disciplinar de caráter laboral por ter representado o Corpo de Bombeiros no Exercício de Proteção Civil no IPT “A Terra Treme”. No mesmo processo também foi incluído a minha representação no funeral do Sócio e benfeitor que em muito ajudou a Associação e não só. Recordo aqui também o grande Homem que foi o Sr. José Cristóvão. Representei a Associação quando nenhum, repito, nenhum diretor se deu ao respeito de estar presente. Neste processo fui acusado de ausência do posto de trabalho sem autorização da Direção. Pena aplicada, retirada de 5 dias de férias (efetuei recurso em tribunal de trabalho).

Recentemente, e permitam-me que recorde aqui também o Falecido Bombeiro do Quadro de Honra Joaquim Carecho, um amigo, uma referência incontornável dos BVFZ, nome que nos deixa tantas saudades e memórias de histórias boas e divertidas, nem aqui houve o respeito e a dignidade pelos Bombeiros por parte da Direção. Mais uma vez não se fizeram representar.

Fui acusado de ilegalidades e falsidades nos registos e pagamentos de dinheiros públicos destinados ao Dispositivo de Combate aos Incêndios Rurais DECIR. Feita a inspeção pela ANEPC – Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, a quem até disponibilizei os meus apontamentos pessoais, deu num resultado interessante. Afinal as inconformidades, chamemos-lhe assim, foram cometidas pela Direção dos Bombeiros que reteve ilegalmente parte desses dinheiros públicos e que tem de devolver uma enorme quantia a esta autoridade. Lá diz o ditado antigo… ”mais um tiro no pé”…

Mas ainda há mais… A Direção dos Bombeiros de Ferreira do Zêzere andou a subtrair vários valores aos subsídios de voluntariado que são atribuídos pelo Estado, via ANEPC, aos Bombeiros pelo seu empenhamento nos DECIR de 2020 e 2021, vulgarmente conhecido pelos ECINs. Depois vem o Comandante que é o tal “incompetente, o que não defende os bombeiros e todo o resto…” a interpor. O resultado do parecer jurídico, mas uma vez, é favorável aos bombeiros.

Continuando nos processos, recentemente fui alvo de mais um processo disciplinar laboral por não respeitar o horário de trabalho dado que foi alterado pela Direção, propositadamente, para ficar “em cima” do horário escolar, impedindo assim o meu acesso ao ensino a que todos temos direito.

E ainda… E ainda… recentemente fui alvo de um outro novo processo disciplinar aberto pela DNB – Direção Nacional de Bombeiros com várias queixas, sim, várias queixas que em boa verdade não sei ainda quantas são. Quando souber, farei a soma às 56 acima referidas e já arquivadas.

Neste momento acredito que os Caros Leitores estejam perdidos com tantos processos. Compreendo perfeitamente porque eu próprio tenho tido muito trabalho e dificuldade na sua organização.

Há muito mais que podia relatar sobre o assédio laboral que está a acontecer no seio desta Associação de Bombeiros Voluntários que já foi reportado às autoridades competentes e motivo de queixa.

Há usurpação de competências a acontecer todos os dias.

Aqui não pode ser, mas poderei em local próprio falar sobre documentos e faturas, aquisições, equipamento de proteção individual… entre outras coisas.

Ainda há dúvidas porque sou assim tão inconveniente?

Devem os sócios em local próprio pedir todos estes esclarecimentos para ficarem com a noção da realidade dos Bombeiros de Ferreira do Zêzere nestes quase dois anos últimos.

Foi publicada num jornal local uma carta de um sócio descontente que denunciou várias situações. Claro que a resposta da Direção foi um relatório que não se poupou a mentiras. Nem sei como se conseguem encaixar tantas mentiras em tão pouco espaço. Afirmo aqui que estou totalmente disponível para colaborar na defesa deste Sócio depois de saber que foi declarado que iria ser processado judicialmente.

A situação é preocupante e não é por ficar sem Comando, a situação é grave por estar a ser gerida pela atual Direção que está a tomar medidas que em nada são benéficas para a Associação, Sócios e Munícipes.

A manipulação de conceitos, a manipulação da informação divulgada nas redes sociais é constante.

Os números de referência são escolhidos estrategicamente para mostrar resultados que não são a realidade.

Qual terá sido motivo pelo qual não me foi permitido incluir os relatórios operacionais junto com a apresentação de contas nas Assembleias Gerais?

Este é um caso flagrante de não quererem mostrar a realidade dos números e do serviço que estão a prestar à população.

Entre muitas coisas, foi-me barrado o acesso às várias plataformas de gestão dos serviços de transporte de doentes não urgentes que muito tem gerado descontentamento, principalmente nos lares do Concelho, no que respeita a serviços de retorno de doentes dos hospitais.

Fui e ainda estou a ser um alvo a abater pela verdade que defendo. Vou continuar a defender esta nobre causa, mesmo que isso me traga represálias e virar de costas de pessoas que pensava serem meus amigos ou apenas pessoas verdadeiras e responsáveis.

Mantive o silêncio em nome da estabilidade e na esperança de que houvesse uma consciencialização para a realidade, mas pelo andar da situação está a agravar-se demasiado para que deixe passar.

Relativamente aos abaixo-assinados apresentados, não me deram a oportunidade de os ver e confirmar as assinaturas, ficando sempre na minha memória a dúvida sobre todos os processos.

Depois dos inúmeros tipos de acusações, chegou agora a vez da falta de diálogo e ausência de Comando?… Seja lá o que isto for, na minha humilde opinião é o atirar as responsabilidades para o alvo a abater quando não se consegue arranjar motivos para tais atitudes e interesses.

Os “cozinheiros” desta situação ficam agora com a responsabilidade acrescida de dar resposta aos Sócios e Munícipes e não arranjar desculpas para o que está para vir.

Manobras de bastidores levaram a esta situação em que ficou esquecido o valor e o respeito que uma Associação de Bombeiros merece. Não se justificam os meios para este fim.

A reunião na passada sexta feira (dia 5) decorreu de forma cordial, sim, porque eu também sou cordial e sempre comandei este Corpo de Bombeiros com cordialidade e respeito.

Valeu a pena dois anos como 2º Comandante e mais estes 3 como Comandante.

Quando se está integrado numa organização que funciona numa hierarquia e os elementos que dela fazem parte querem mandar e não querem ser comandados com disciplina, devem de se repensar porque podem estar a colocar em causa o funcionamento dessa organização.

Eu e a minha equipa de Comando estamos de consciência totalmente tranquila com o trabalho que desenvolvemos. Fomos empurrados e arrastados para uma situação que em nada favorece o bom nome da Associação de Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere e os próprios Bombeiros, por interesses de alguns, com promessas que certamente vão ter de ser pagas ou a coisa volta a correr mal.

Isto é um dizer basta à perseguição cerrada que me tem sido feita. No que respeita à Associação, é um alerta para quem o quiser ouvir.

No dia de hoje tenho a lamentar uma exoneração do corpo ativo, quantas mais se vão seguir?

Concluindo, o Comandante Mário Ferreira não tem nenhuma pena disciplinar no seu registo e cadastro de 39 anos de bons serviços nos Bombeiros, tem apenas louvores e condecorações.

As represálias internas aplicadas pela atual Direção dos Bombeiros ao Comandante Mário Ferreira nos últimos dois anos é que estragam a média…

Brevemente haverá mais informações.

Obrigado por tudo. Um bem hajam…

Comandante BVFZ, Mário Ferreira

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome