Ferreira do Zêzere | Câmara não aceita contraordenação da Agência Portuguesa do Ambiente

Wakeboard em Castelo de Bode pode levar a Câmara de Ferreira do Zêzere a pagar uma multa.

O Município de Ferreira do Zêzere é réu num processo judicial movido pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) por causa da prática de wakeboard no cable park do Lago Azul. Segundo informou o presidente da Câmara na sessão da Assembleia Municipal do dia 27 de dezembro, o valor da ação é “não determinado”, mas está em causa uma contraordenação ambiental que pode chegar aos 10 mil euros.

PUB

Na base da contraordenação está a alegada falta de título para que se possa praticar wakeboard no Lago Azul, acusação que o Município rejeita.

O presidente da Câmara ironizou dizendo que “foi uma contraordenação ambiental gravíssima que pôs em causa o bem-estar e saúde de três milhões de pessoas que bebem água de Castelo do Bode”. Jacinto Lopes não reconhece que se tenha cometido qualquer ilícito. Vai mais longe e diz que esta é mais uma “tontaria que temos na nossa administração pública”.

PUB

O Município, através do seu advogado, argumentou e impugnou a contraordenação. O autarca promete trabalhar para “arquivar isto” e garante que a Câmara “irá pagar zero”. Aliás, “já não seria a primeira vez que a Câmara de Ferreira do Zêzere ganha um processo deste género”, reforçou Jacinto Lopes.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here