Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ferreira do Zêzere: Biblioteca presta homenagem ao jovem falecido esta semana

A Biblioteca Municipal de Ferreira do Zêzere presta homenagem ao ferreirense Manuel Sebastião, o jovem de 27 anos que foi encontrado sem vida nas águas da albufeira de Castelo, esta quinta-feira, dia 7 de abril.

- Publicidade -

Em comunicado de imprensa, a Biblioteca Municipal de Ferreira do Zêzere refere que Manuel Sebastião era “utilizador assíduo, voluntário no Arquivo Histórico Municipal, participante no Encontro de Poetas de Ferreira do Zêzere, vencedor do concurso “Eu conheço a União Europeia” promovido pela Biblioteca, com viagem ao Parlamento Europeu a realizar em breve”.

Apaixonado por poesia, a Biblioteca de Ferreira do Zêzere recorda um dos poemas de Manuel Sebastião:

- Publicidade -

Sem-Abrigo

“Uma esplanada repleta.
O botequim a abarrotar.
Tu aí dentro,
Junto de uma das enormes janelas,
Observando-me assim;
Fixando-me com o teu olhar reprovador.
Aparentas ser como visão do horizonte
Sobre mim em plena manhã de nevoeiro.
A tarde apresenta-se bastante desagradável.
Encontraste reconfortada no aconchego de um cigarro
E de um brando licor.
Eu vou caminhando por entre a minha solidão,
Por entre os bafos despojados da minha beata.
Vou prosseguindo o meu longo percurso
E tu reapareces contemplando-me novamente.
Já não deténs o olhar demoradamente na minha figura.
Segues a tua apressada marcha
E ignoras, por completo, o meu andar a teu lado.
Voamos juntos num jogo de pura sedução intelectual.
Tento adivinhar para onde te diriges,
Mas nada me ocorre na minha mente debilitada.
Dois quarteirões adiante,
Separamo-nos definitivamente.
Vais de encontro
Ao teu universo
De castas artificialidades.
O meu corpo e pensamento mergulham
No quotidiano de um oceano
Onde alegres realidades
Rapidamente se esfumam.
Lá continuo a minha caminhada solitária,
Descendo a curva do meu implacável destino
Até aos subúrbios da sensatez.
Requisito auxílio ao juízo,
Mas este não me entende.
Sinto-me absolutamente perdido
E um sem-abrigo no coração da enorme cidade”

E deixa o link onde poderá ser vista a participação de Manuel Sebastião no 1º Encontro de Poetas de Ferreira do Zêzere, que se realizou em 2015: https://youtu.be/kpByCrmc3Bc

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here