Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Outubro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ferreira do Zêzere | Assembleia aprova plano e orçamento de quase 10 milhões de euros

Principal assunto da sessão da Assembleia Municipal de Ferreira do Zêzere, realizada no dia 18 de dezembro no Centro Cultural, as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2021 foram aprovadas com 14 votos a favor e oito abstenções. O orçamento aprovado é de 9.875.589 euros, mais cerca de 1 milhão e 100 mil euros do que no orçamento de 2020.

- Publicidade -

Na sua intervenção inicial sobre o assunto, o Presidente da Câmara, Jacinto Lopes (PSD), apresentou, com recurso a uma projeção multimédia, o primeiro esboço do orçamento que previa mais do dobro da despesa do que da receita.

Jacinto Lopes explicou depois que teve de fazer cortes para ajustar a despesa à receita, acabando num orçamento de 9 milhões e 875 mil euros, valor que lá para fevereiro pode atingir os 12 milhões, depois de ser incorporado o saldo de 2020.

- Publicidade -

O autarca afirmou não ser fácil fazer um orçamento, explicando que há verbas que não podem ser cortadas como as do pessoal, da iluminação pública, entre outras.

O deputado municipal Carlos Salgado (PS) congratulou-se pela solução quanto ao problema do cemitério e da casa mortuária. Sugeriu a introdução do orçamento participativo e questionou sobre a Casa da Música e o Ginásio, investimentos prometidos e ainda não concretizados.

A deputada municipal Maria Fernanda Moura (PS) considerou, por sua vez, que o orçamento “não serve o concelho, não serve a população e fica muito aquém do que aquilo que os ferreirenses precisam”. Defende um plano “com mais ambição e mais estratégia a médio e longo prazo”.

Na mesma linha, o deputado municipal Paulo Rodrigues (PS) manifestou dúvidas de que o orçamento seja totalmente executado, classificando-o de “eleitoralista”.

Em resposta, o presidente da Câmara classificou o orçamento como “equilibrado”. “Estamos a fazer aquilo que podemos fazer, com os pés assentes no chão. Somos ambiciosos q.b., não somos mais porque não temos mais dinheiro”, argumentou Jacinto Lopes, elencando os principais investimentos previstos.

A intenção do Município é continuar em 2021 as obras da candidatura do PARU – Plano de Ação para a Regeneração Urbana, já aprovado, que contempla a requalificação de espaço público nas ruas Eduardo Mota, rua da Fonte Ferreira, rua de São Miguel, rua do Campo de Futebol e rua de Santo António, sendo este o principal investimento.

O orçamento contempla a construção de uma casa mortuária junto à igreja da vila e o início do processo de construção de um novo cemitério.

O apoio às empresas que contratem jovens ferreirenses, a pavimentação de estradas nas freguesias, a manutenção do Prazo Médio de pagamentos de 0 dias, o apoio ao associativismo e a adoção de políticas sociais que procurem diminuir as dificuldades sentidas pelas famílias e atenuar as assimetrias do concelho são outros aspetos contemplados no plano para 2021.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome