Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Feira da Golegã até dia 13 com regras mais apertadas para andar no picadeiro central

A Feira Nacional do Cavalo/Feira de S. Martinho está a decorrer na Golegã até segunda-feira, dia 13 de novembro, oferecendo durante dez dias provas de todas as disciplinas equestres e atividades de tradição rural que enchem a pequena vila ribatejana. Ponto obrigatório de visita anual por milhares de visitantes, este sábado de manhã é a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, quem anuncia a sua visita a Feira da Golegã, capital do Cavalo.

- Publicidade -

O certame deste ano – que junta a 42.ª Feira Nacional do Cavalo (FNC) e a 19.ª Feira Internacional do Cavalo Lusitano (FICL) à centenária Feira de S. Martinho – apresenta no programa a tradicional gastronomia, castanha assada, desportos equestres, exposições, colóquios, espetáculos equestres e de fado, lançamento de livros e o 1.º Troféu Tradição, ligado ao traje tradicional – equitação à portuguesa, além de um reforço de segurança, através de novas regras e condutas.

Por isso, este ano, o novo executivo da autarquia, liderado de novo por Veiga Maltez colocou novas regras e vai fazer cumprir outras que parecem esquecidas. “Sinto que esta feira tem vindo a ser invadida por irresponsabilidades e insensatez de pessoas que precisam de saber usar o cavalo, sobretudo que tenham a preocupação do bem-estar do cavalo e da segurança das pessoas. Têm havido muitas regras que não foram cumpridas durante estes quatro anos. E os regulamentos estavam feitos. O que vai acontecer é que os carros de cavalos estão proibidos de circularem na manga, nos dias 9, 10 e 11, entre as 17h e as 21h30. São as horas de maior movimento e queremos garantir a segurança das pessoas. Este ano vamos também sensibilizar e retirar as pessoas que não estiverem trajadas corretamente no picadeiro central. Não é preciso que estejam trajadas à portuguesa, podem até trajar à espanhola, à inglesa, à mexicana. Têm é que vir trajados a preceito para um espaço que está a ser observado a nível nacional e internacional e que é uma mostra. Se um cavalo com sangue na boca ou nas pernas estiver no picadeiro rapidamente a fotografia vai acabar nas redes sociais e nós não queremos ficar com essa mancha porque até somos pessoas que tratam bem os animais. Não se pode entrar em mangas de camisa ou de colete para o picadeiro central“, afirma José Veiga Maltez, presidente da Câmara Municipal da Golegã.

- Publicidade -

Programa de 10 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA)

 HIPPOS – GOLEGÃ – CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DE DESPORTOS EQUESTRES

15h00 Final do Campeonato Combinado de Maratona – 1a Mão

ARNEIRO DA FEIRA

18h00 Apresentação da Associação das Amazonas de Portugal

18h30 Apresentação de “Li ́l Herc”, por Suzanne Kopp-Moskow e Beatrice Bulteau

19h00 Apresentação da Raça Sorraia, Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS)

21h30 Recordar João Trigueiros de Aragão e D. José d ́Athayde

22h00 Apresentação da Escola Portuguesa de Arte Equestre (EPAE)

SALÃO NOBRE DOS PAÇOS DO CONCELHO

19h00 Recepção aos Embaixadores/Corpo Diplomático

QUINTA DOS ÁLAMOS

20h00 Baile da Jaqueta

CAMPO DE TÉNIS

09h00 XX Open Golegã FNC

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Ainda bem que este ano vai haver mais segurança pois deixei de ir mais o meu marido e filhos, por um dito cavaleiro com o seu cavalo veio de encontro a nós e só tive tempo de puxar a minha filha, e outro entrou com o cavalo na tasca que era dentro de casa onde estávamos a comer, a partir dai deixamos de ir e ate na (brincadeira) que nada tem de graça devo ser franca, ( o pior da feira é mesmo algumas bestas que andam em cima dos cavalos), sem querer ofender quem quer que seja, mas visto haver este ano um maior aperto da segurança talvez vá, já que a minha filha adora cavalos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome