Fátima | Jacinta Marto, a vidente operada sem anestesia que morreu sozinha

A 20 de fevereiro, quinta-feira, faz 100 anos que Jacinta Marto, a mais nova dos pastorinhos de Fátima, faleceu no hospital D.Estefânea, em Lisboa. A vidente, que ainda não completara os 10 anos, já perdera o irmão, Francisco Marto, no ano anterior, e foi transportada para Lisboa a expensas de um desconhecido, para o então melhor hospital pediátrico do país. Morreu sozinha, alguns dias depois de uma operação às costelas, sem anestesia.

PUB

A história e os pormenores da morte de Jacinta Marto foram narrados ao público presente na quinta-feira, 6 de fevereiro, no Encontro dos Hoteleiros, promovido anualmente pelo Santuário de Fátima, pela postuladora da causa de canonização de Francisco e Jacinta Marto, a Irmã Ângela Coelho.

A religiosa traçou um breve perfil da mais jovem dos três pastorinhos, com base em relatos da época, quer de testemunhas quer da Irmã Lúcia. Descreveu assim uma criança completamente “normal” (Lúcia definiu-a como “caprichosa”, no sentido de querer tudo para ela), mas que depois das aparições foi retratada como angelical.

PUB

Irmã Ângela Coelho narrou alguns episódios dos últimos dias de Jacinta Marto Foto: mediotejo.net

Já os pormenores da sua morte revelam uma dose de martírio. Jacinta adoeceu, como o seu irmão Francisco, com a gripe espanhola. A doença evoluiu para pneumonia, fazendo a jovem um abcesso. Esteve alguns meses internada no hospital em Ourém, tendo regressado a casa com uma ferida no peito. Posteriormente, um desconhecido ofereceu-se para pagar o tratamento em Lisboa, no hospital D.Estefânea, então o melhor hospital pediátrico do país.

Segundo a Irmã Ângela Coelho, a pastora entrou sozinha no hospital, tendo a família regressado a casa por não ter posses para ficar na capital. Assim ficaria até morrer a 20 de fevereiro de 1920, depois de uma operação em que lhe tiraram duas costelas, sem anestesia, depois da qual viveu com muitas dores.

Jacinta Marto tinha 7 anos quando ocorreram as aparições. É a vidente que mais desperta atenção junto do público FOTO: D.R.

O cirurgião que a operou, Leonardo Costa Freire, ateu, descreveria anos mais tarde a “paciência heróica” com que suportou o sofrimento. “As palavras que ouvi dela durante a cirurgia foram apenas estas: Ó Jesus, ó meu Deus!”, terá dito o clínico. O mesmo médico terá mencionado que o corpo de Jacinta, após a sua morte, cheirava a flores.

Segundo a Irmã Ângela Coelho, Jacinta é a vidente que mais atrai a atenção do público e é aquela que tem originado mais livros. “Jacinta não nasceu santa”, sublinhou, mas a sua morte foi um testemunho de grande devoção.

PUB
PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).