Faleceu Rui Picado, maestro do Orfeão de Abrantes

O maestro Rui Picado, 65 anos, faleceu hoje vítima de doença prolongada em Abrantes, cidade que o acolheu depois de sair de Portalegre, terra natal, dirigindo atualmente o Coro Misto do Orfeão de Abrantes, onde era Diretor Artístico desde 1981, disse ao mediotejo.net fonte da instituição abrantina.

PUB

“Rui Picado trabalhou connosco muitos e bons anos, e é um homem a quem muito o Orfeão e a própria cidade de Abrantes fica a dever, pelo trabalho cultural desenvolvido e pela forma como levou o nome de Abrantes a todo o país e ao estrangeiro, por via das nossas atuações”, disse António Maia, vice-presidente do Coro Misto do Orfeão de Abrantes.

O corpo de Rui Picado está esta tarde em Câmara Ardente na Capela de Sant´Ana, em Abrantes, sendo celebrada uma missa às 19:15, na Igreja de São Vicente, regressando depois à Capela, de onde partirá no sábado, às 12:00, com destino a Lisboa para ser cremado.

PUB

Na página oficial do Coro Misto do Orfeão de Abrantes foi publicada hoje uma mensagem de despedida e apreço:

“Deixou-nos hoje, 29 de abril de 2016 e nosso Maestro Rui Picado.
Deixou-nos o amigo mas também a responsabilidade de continuar o trabalho que deixou ao Coro Misto do Orfeão de Abrantes.
A todos os Orfeonistas um enorme pesar.
O canto hoje está mais triste”.

PUB

Na página online do Coro Misto do Orfeão de Abrantes pode ainda ler-se um resumo do perfil e atividade desenvolvida pelo maestro Rui Picado:

Rui Martins Picado nasceu em Portalegre a 18 de Fevereiro de 1951 e desde muito jovem que veio demonstrando grande interesse pela música, procurando por iniciativa própria obter conhecimentos musicais através de manuais próprios.

Durante a sua infância e adolescência em Portalegre fez parte dos pequenos cantores de Portalegre e estudou piano com professores particulares.

Frequentou até ao 5ºano, Canto e Educação Musical. Já mais tarde, em 1975, frequentou vários cursos de Direção Coral promovidos pelo Ministério da Cultura, em Torres Novas, com o Coral Phydellius, ministrados pelo Maestro José Robert, e que decorreram anualmente de 1979 a 1989.

Em 1985, frequentou simultaneamente estágios de Direção e Regência Coral com o Maestro Erwin Liszt em Strasbourg, ao mesmo tempo que estudou técnica vocal aplicada aos Coros Amadores, com Gilles Schneider também de Strasbourg.

Em 1986/1987 frequentou novos estágios de Direcção e Regência Coral, tendo estudado com os Maestros Pepe Prazt, de Barcelona, e Erwin Liszt.

Em 1990 novo estágio de Direcção e Regência Coral tendo estudado novamente com Erwin Liszt e Pepe Pratz, e ainda técnica vocal com Gilles Schneider.

Em Paris em 1992 frequentou um Estágio / Atelier para Diretores Artísticos de Coros Amadores Europeus, sob a Regência do Maestro Bruno Leleu.

Desde 1981 que era Diretor Artístico do Coro Misto do Orfeão de Abrantes e desde 1996 Director Artístico do Coral Polifónico de Ponte de Sor.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Fez parte da minha infância, da minha adolescência… Tive a honra de lhe chamar amigo. Um homem singular que ficará para sempre nos nossos corações com as melhores melodias que a vida nos pode dar. 🙁

Responder a Nádia Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here