“Estamos de férias….”, por Vânia Grácio

Chegaram as férias e a maioria das famílias tem as crianças em casa praticamente três meses durante o verão. Uma alegria para as crianças, uma “dor de cabeça” para os pais. Muitos só conseguem tirar 15 dias nesta altura, e nos tempos que correm, a maioria não tem retaguarda familiar. Ou porque estão longe, ou porque os avós ainda trabalham. Então que fazer? Onde colocar as crianças? O que fazer para as manter ocupadas durante todo o dia, sem fazerem demasiadas asneiras, mas principalmente sem correrem perigos?

PUB

A ideia que ocorre aos pais, em primeiro lugar, é procurar na comunidade entidades e associações que promovam campos de férias ou atividades de verão. Mas depois há os custos destas atividades… outra dor de cabeça. De qualquer forma, de certeza que vai conseguir encontrar uma alternativa à medida da sua carteira ou pense na possibilidade das crianças irem passar uns dias a casa dos avós ou dos tios, mesmo que seja longe. Será um descanso para si e uma alegria para eles.

Se tem apoio familiar e pode deixar as crianças em casa dos avós, aproveite. Os avós são aqueles seres que “estragam” os netos com mimos. Eu defendo que sim, mas só se estiverem com os netos de vez em quando, neste caso, nas férias. Quando estão com eles todos os dias, devem ser “aliados” dos pais na promoção da educação e do crescimento saudável, mas isso fica para outra crónica. No entanto, nas férias aproveitem para brincar ao ar livre, num alguidar com água no quintal, para lerem histórias e rirem juntos. Desliguem a televisão. Cozinhem, façam bolos ou bolachas para o lanche. Mexam na terra, andem descalços.

PUB

O verão não tarda em terminar e vai saber muito bem aos pais, aos avós e às crianças este período. E as recordações ficarão para sempre.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub
Artigo anteriorÀ Descoberta de Ourém: Conhece o Park do Rato?
Próximo artigoAbrantes: Plataforma Prodfarmer vai facilitar venda online de produtos regionais
Vânia Grácio é Assistente Social e Mediadora Familiar e de Conflitos. Licenciada em Serviço Social pelo Instituto Superior Bissaya Barreto e Mestre em Serviço Social pelo Instituto Superior Miguel Torga. Pós Graduada em Proteção de Menores pelo Centro de Direito da Família da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e em Gestão de Instituições de Ação Social pelo ISLA. Especializou-se na área da Mediação de Conflitos pelo Instituto Português de Mediação Familiar e de Conflitos. Trabalha na área da Proteção dos Direitos da Criança e da Promoção da Parentalidade Positiva. Coloca um pouco de si em tudo o que faz e acredita que ainda é possível ver o mundo com “lentes cor-de-rosa”. Gosta de viajar e de partilhar momentos com a família e com os amigos (as). Escreve no mediotejo.net ao sábado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here