Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Estamos a um dia de ter um novo presidente do PSD”, Nuno Serra

Estamos a um dia de ter um novo presidente do PSD.

- Publicidade -

Um acontecimento que, inquestionavelmente, é de enorme relevância para Portugal. Não fosse o Partido Social Democrata o maior partido Português.

Este é um dos momentos grande dos partidos políticos.

- Publicidade -

Chegou a hora onde os militantes podem e devem decidir quem é que querem à frente dos destinos do seu partido. Esta decisão é sempre suscetível de reflexões a vários níveis, umas mais pragmáticas e outras mais românticas e meditativas, sobre o futuro politico de um partido.

Contudo, antes de qualquer decisão ou reflexão mais apurada, há algo que não pode ser escamoteável ou esquecido.

O PSD é um partido basilar da democracia Portuguesa, com um destacado mérito na reconstrução da autoconfiança Nacional, sempre que foi posto a prova pelos Portugueses.

E, sem dúvida nenhuma, qualquer militante social democrata reconhece, orgulhosamente, o passado do PSD, em especial aqueles que foram os últimos 6 anos e onde os social democratas, pela mão de Pedro Passos Coelho, tiveram, provavelmente, o cenário mais difícil de governação do nosso País, desde 1974.

Naturalmente, para qualquer comum e claro, em especial para os militantes, só não está em condições de defender as cores laranja, a partir de amanhã, quem não tenha defendido os candidatos social democrata em eleições locais ou nacionais, quem não consiga enaltecer o passado do seu partido, ou mesmo quem não se orgulhe do trabalho que foi realizado em Portugal, depois de uma gestão socialista que nos levou a bancarrota.

Obviamente, da mesma forma, é normal que qualquer Português, seja militante ou não, em particular aqueles que voltaram a dar a confiança a Pedro Passos Coelho, nas legislativas de 2015, para governar Portugal e que estão conscientes das diferenças entre o PSD e o PS, achem um verdadeiro atentado ao partido social democrata, qualquer hipótese de governo central, num futuro próximo.

Mas a verdadeira questão continua a persistir: qual o melhor candidato? Mais importante, quem será o melhor presidente do PSD, durante os próximos 2 anos, na oposição ao PS e atual frente esquerda?

Tem sido useiro a divulgação de sondagens a “tentar” mostrar quem seria, hoje, o mais forte candidato do PSD contra António Costa. Esta boa estratégia de propaganda seria útil para uma avaliação mais cuidada se, efetivamente, as eleições fossem hoje! Mas não, faltam praticamente 2 anos!!!

Naturalmente o que todos queremos – os social democratas – é que o próximo presidente do PSD seja alguém que possa distanciar-se do PS, nos próximos 2 anos, com propostas políticas assentes nos valores que nos fizeram ser o maior partido Português.

Queremos um líder que possa fazer uma oposição coerente a toda esta frente de esquerda, afirmando as nossas diferenças, os nossos valores humanistas e mantendo o princípio de que o PSD não nasceu para ser segundo, muito menos para governar ao lado do partido socialista.

Portugal precisa de um PSD forte e unido, que defenda o País como um todo, como tem feito até hoje.

Será esse o PSD que os militantes social democratas irão entregar a Portugal amanhã.

 

*Nuno Serra é deputado na Assembleia da República eleito pelo distrito de Santarém

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome