Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Especial Mação | A Feira Mostra na máquina do tempo

A Feira Mostra de Mação faz este ano a bela idade de 28 anos. Os seus objetivos têm sido desde a sua origem a divulgação das potencialidades do Concelho. Será esse um dos motivos porque alguns dos seus cartazes representavam com algum destaque a imagem de um presunto – o Concelho de Mação é responsável por 70% da sua produção nacional, sendo conhecido como a ‘capital do presunto’ ou a ‘catedral do presunto’.

Foto: DR

Foto: DR

O cartaz de 1990 afirmava ‘O Presunto será Rei’, tendo-se realizado nesse ano o “Encontro para o conhecimento do Presunto de Mação”. Entre 1989 e 1991 a Feira realizou-se no Largo dos Combatentes da Grande Guerra e o cartaz do primeiro ano publicitava um evento dedicado à agricultura, indústria, artesanato e turismo. Em 1992 passou para Pavilhão Gimnodesportivo Municipal e o cartaz representava tão somente um presunto, numa alusão clara ao produto rei da região.

Imagem: CM Mação

Nos anos de 1993, 1994 e 1995 a Feira voltou ao Largo dos Combatentes e a partir de 1996 a mudança para o Largo Infante D. Henrique, tornou-se definitiva. A tanto obrigou o número crescente de expositores presentes – em 1992 o número era cerca de 40, em 1993 mais que duplicou para 68 e em 1995 já contava com 91 stands.

Imagem: CM Constância (Arq municipal)

Em 1997 o nome do certame foi alterado para ‘Feira de Artesanato e Gastronomia’, mantendo-o até à sua 4ª edição no ano de 2000. Em 1996 tinha ocorrido a 8ª edição e é em 2001 que recupera o nome de ‘Feira Mostra’ e retoma a contagem de edições, dando lugar à ‘9ª edição da Feira Mostra do Concelho de Mação’. É neste ano também que volta a mudar de local, para o Campo de Futebol, onde se manteve pelo menos até 2003.

“Correio da Mostra de Mação” – 1º número (2003)
Edição da CM Mação | Imagem cedida pelo Município

Tendo como referência os últimos anos da Feira Mostra, 2013 foi o ano de requalificação de algum do espaço envolvente para dar melhores condições aos visitantes e aos expositores. Foi criado um anfiteatro ao ar livre, em torno do sobreiro histórico que fica à entrada do recinto. Conhecido inicialmente como o ‘Anfiteatro do Sobreiro’, recebeu o nome do maçaense António José Costa em 2014 em reconhecimento dos seus feitos em prol da cultura de Mação. Aqui está a funcionar actualmente a Feira do Livro que já vai este ano na sua 19ª edição. A capacidade do recinto da Feira Mostra voltou a ficar esgotada com os 65 expositores presentes e ficou provada a necessidade de rever o modelo da feira para acolher um número ainda maior.

No ano de 2014 eram 70 stands. Foi inaugurada a galeria de exposições do Centro Cultural Elvino Pereira e foram distinguidos empresários do Concelho. Em 2015 o número de expositores passou para 72, contando com 7 espaços de restauração com pratos típicos e bares. Eventos eleitos: atuação de grupos musicais concelhios; BTT; zumba; cicloturismo; trail; seminário de RCI e obedience; exposição especializada de raça boxer; demonstração canina; encontro de cães de parar; futsal; malha; jogos tradicionais; passeio de motorizadas clássicas; marchas populares e animação infantil com insufláveis para crianças.

Depois de 22 anos com 3 dias de Feira – excepção feita a 2014, ano em que foi repartida em dois fins de semana – em 2016 a autarquia decidiu alargar para 5 dias a sua duração. Tal como esperado, o número de stands voltou a aumentar. Passou a 82 expositores, 7 de restauração, 6 bares, um stand representativo da Câmara Municipal e outro da Associação AmarMação. Neste ano, as novidades não acabaram aqui. Foi realizado no auditório do Centro Cultural Elvino Pereira e no Cine Teatro da Vila o ‘1º FICA – Festival Internacional de Cinema Arte – Mação 2016′.

Nos 5 dias em que decorre este ano a ‘24ª Feira Mostra de Mação’ podemos assistir à ’19ª edição da Feira do Livro’, à ‘2ª edição do FICA’ e a concertos de artistas concelhios e nacionais. Está a acontecer no Largo Infante D. Henrique, conhecido como o Largo da Feira – junto às piscinas, à GNR e ao Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo, não há como enganar. Podemos degustar as especialidades da região nos stands de restauração; assistir a provas desportivas e jogos tradicionais e muito mais. Há que visitar e viver na primeira pessoa.

O certame tem demonstrado ao longo da sua existência que se adequa ao gosto e idades dos diferentes públicos, tanto pela diversidade de artistas como pela oferta cultural, gastronómica e desportiva, mostrando o que o Concelho de Mação tem de melhor. Em 2018, veremos o que os maçaenses nos reservam. A julgar por estes 28 anos de provas dadas, só pode ser bom.

 

Comecei numa das primeiras rádios locais do País, nos idos anos ‘80, passei pelas (então) novas áreas da informática, a par dos estudos da faculdade, e dediquei duas décadas à banca de investimento, até a Troika decidir mudar-me a vida. Troquei a capital por Abrantes e os números pelas letras. Não gosto do acordo ortográfico, continuarei a usar os "P" e dos "C", mesmo que não se leiam. A par da gestão e produção de vários projetos do grupo editorial do mediotejo.net fui desenvolvendo uma receita de compota de pimento que foi premiada em 2017 pela Inov’Linea e dois anos depois abri um espaço de restauração no centro histórico de Abrantes onde sirvo diariamente refeições com dois ingredientes especiais: amor e carinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome

- Publicidade -